Questionado após confusões em Moscou, Coronel Nunes não pode ser demitido

A relação de Coronel Nunes com outros representantes da Conmebol está cada vez mais estremecida. Questionando internamente, principalmente após a votação da sede do Mundial de 2016, o presidente da CBF é pressionado a deixar seu cargo de representante brasileiro na federação continental.

Apesar da pressão, segundo informações do portal UOL, Coronel Nunes só deixará a Conmebol se quiser. O cargo de representante lhe dá o poder de ficar na função independente do desejo de outras federações.

Além da influência política, o cargo remunera a Coronel Nunes um salário de aproximadamente US$ 20 mil, cerca de 75 mil reais.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos