Adaptado ao Botafogo, Marcelo quer evoluir: 'O principal é ganhar títulos'

  • Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Ele chegou com discrição. Falou pouco, fez o simples. Mas, agora, se considera adaptado para brilhar no Botafogo. O volante Marcelo, que desembarcou no Rio em março, por empréstimo, disputa posição com os também meio-campistas Marcelo e Rodrigo Lindoso, e vai surgindo, na função, como principal concorrente nos primeiros trabalhos comandados por Marcos Paquetá.

"Estou muito feliz de estar morando no Rio de Janeiro, podendo jogar em um grande clube como é o Botafogo e já estou muito adaptado. Minha adaptação foi muito rápida ao clube e à cidade. Pude conhecer o Cristo Redentor e espero conhecer mais lugares legais. Mas o principal é ganhar títulos com o Botafogo", afirma.

Desde que chegou ao Glorioso, no início de março, Marcelo não jogou muito: apenas dez jogos, sendo seis como titular. Além da concorrência num setor extremamente disputado, ele teve que se re-acostumar com o futebol brasileiro. Afinal, ele esteve mais de um ano no futebol de Israel.

"Sim, tive um pouco de dificuldade em relação ao estilo de jogo, que é muito diferente, e também cheguei muito abaixo dos outros jogadores porque não tive pré-temporada. Isso dificultou muito o meu desempenho dentro de campo", admite o atleta.

Deste modo, o período da Copa do Mundo, dedicado ao descanso, treinamento e de ganho de ritmo dos jogadores, está sendo duplamente importante para o meio-campista de 24 anos. Cedido pelo Maccabi Tel Aviv após pouco jogos no primeiro empréstimo, ao Bnei Yehuda (ambos de Israel), ele quer desempenhar um bom papel até dezembro, quando termina o vínculo com o Alvinegro.

"Esta intertemporada está sendo importante para mim. Estou adquirindo a minha melhor forma, me dedicando ao máximo para poder chegar ao meu nível ideal", explica.

Bate-papo com Marcelo, volante do Botafogo:

Você tem uma meta pessoal a cumprir?

- Minha meta é fazer o maior número de jogos possível. Estou trabalhando forte para poder voltar a ser titular e seguir ajudando o Botafogo a alcançar os objetivos dessa temporada.

Quem te dá mais conselhos no grupo e em casa?

- Eu moro com a minha namorada, Roberta, e ela sempre está comigo. E eu converso muito com todos. O grupo é muito bom, todos são muito unidos.

Já houve conversas para uma eventual continuidade no Botafogo?

- Não. Ainda não teve nenhuma conversa, mas procuro fazer o meu trabalho e deixar isso para o meu empresário resolver.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos