Diego Souza assume posto de líder e conquista diretoria, Aguirre e colegas

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Diego Souza acabou se tornando um homem de referência no São Paulo

    Diego Souza acabou se tornando um homem de referência no São Paulo

O nome de Diego Souza foi citado diversas vezes durante a apresentação de Everton Felipe, nessa quinta-feira, e não só pelo fato de o novo reforço ter construído ótima relação com ele nos tempos de Sport. Raí, diretor de futebol do Tricolor, aproveitou a oportunidade para ressaltar a importância do camisa 9 na boa fase do atual líder do Brasileirão.

"O Diego Souza rapidamente se tornou um grande líder. Tem importância muito grande", resumiu Raí.

Os holofotes estão voltados para Nenê, que ganhou a camisa 10 recentemente e é muito querido pela torcida. A braçadeira de capitão, que era de Sidão, agora está com Hudson. Mas, no clube, há quem aponte Diego Souza como liderança mais importante do elenco neste momento - o que não significa que os outros não sejam fundamentais para o bom ambiente.

Foi Diego quem tomou a palavra na roda dos jogadores antes da vitória por 2 a 1 sobre o Vasco, que valeu a liderança ao Tricolor no último domingo.

"A gente teve uma conversa uma vez, lá contra o Atlético-PR, em que a gente queria decidir onde a gente queria chegar. E onde a gente quer chegar? É hoje, aqui. Aqui dentro a gente tem a oportunidade de chegar na liderança e não sair mais, p.... Porque a gente tem a p... de um grupo aqui determinado no que quer. Então a gente tem que chegar lá dentro hoje e fazer o melhor. Porque a gente fazendo o nosso melhor, a gente está líder do campeonato hoje! Não depende de ninguém, só da gente, p...", disse ele, contagiando os demais.

Fora do vestiário, embora esteja sempre em evidência pelas brincadeiras com Nenê, Reinaldo e Everton, inseparáveis no CT da Barra Funda, ele tem optado muitas vezes pela discrição. Nesta semana, por exemplo, preferiu não participar das ações sobre a chegada de seu amigo Everton Felipe, deixando as atenções voltadas apenas para o reforço. O recém-chegado sabe como o atacante de 33 anos pode exercer influência positiva:

"O Diego é um cara muito brincalhão, eu também sou. Independentemente dos problemas da vida, a gente tem que levar tudo com alegria. O Diego gosta de jogar dominó, de ficar brincando, na resenha. Eu gosto muito disso, ia na casa dele jogar dominó. Ele faz com que o grupo fique muito leve, ele consegue brincar com todo mundo. Brinquei com ele quando jogamos juntos pela primeira vez: 'caramba, pensei que tu era um cara polêmico, mas tu ajuda todo mundo'", disse Everton Felipe.

Diego Aguirre teve participação fundamental no aumento da importância de Diego Souza no clube. Contratado por R$ 10 milhões no início do ano, o camisa 9 não conseguiu deslanchar com Dorival Júnior e chegou a ser apontado por muitos como um fracasso no Morumbi. Em abril, pouco depois da chegada de Aguirre, ele ficou perto de acertar seu retorno ao Vasco.

O técnico uruguaio, que chegou a deixá-lo fora até da lista de relacionados, teve uma conversa sincera com o jogador: explicou por que não o escalava como titular e deixou nas mãos dele a decisão de seguir no clube para buscar seu espaço ou buscar outros ares. Uma outra conversa franca, com Raí, também foi decisiva para a permanência.

"Fechado" com Aguirre e com a diretoria e com ótimo ambiente entre os jogadores, Diego Souza só precisava de uma coisa: jogar bem e conquistar a torcida. Autor de dois gols com Dorival, ele já marcou oito com Aguirre e tornou-se o artilheiro do grupo em 2018, empatado com Nenê.

Hoje, Diego é titular absoluto e deixou para trás as dúvidas sobre sua capacidade para jogar como centroavante. Domingo, às 16h, na Ilha do Retiro, ele terá seu primeiro reencontro com o Sport, clube que defendeu até a última temporada e onde era muito querido pela torcida.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos