Topo

Esporte


CRB e CSA não balançam as redes no Clássico Rei marcado pela tensão

Gustavo Henrique/RCortez/CSA
Imagem: Gustavo Henrique/RCortez/CSA

2018-09-29T18:24:43

29/09/2018 18h24

CRB e CSA se encontraram na tarde desse sábado (29) no estádio Rei Pelé, em Maceió, pela 29ª Rodada da Série B. Apesar da disputa intensa por espaço, Oportunidades dos dois lados apareceram, mas não foram aproveitadas e o marcador terminou como começou: Sem gols.

Agora, o CSA segue na terceira posição com 47 pontos enquanto o arquirrival sobe um posto, virando o 17° com 31 unidades por ter um saldo de gols menos negativo do que o Paysandu (-9 contra -10).

Regatianos levando perigo

Apesar do CSA inicialmente parecer que estava mais bem postado em campo, o primeiro chute que realmente levou mais riscos ao gol de uma das equipes veio do ataque do CRB. Em bola de rebote dado pela zaga do Azulino aos 12 minutos, Williams Santana acertou uma boa finalização para a boa defesa de Lucas Frigeri.

Resposta Azulina em dose dupla

Por coincidência, o lance onde o time então visitante no Clássico Rei também chegou graças a um rebote da zaga, dessa vez do CRB. Após a bola sair da grande área, o experiente Juan soltou a bomba para bela defesa de João Carlos com 20 minutos. Na volta, Neto Berola tentou pegar de primeira, mas acabou chutando cruzado e viu a bola passar a esquerda do gol.

Chegou bem, mas na hora de finalizar...

Iago se mostrava uma alternativa de habilidade bem utilizada nas costas da defesa do CSA pelo lado de Celsinho. Em uma das oportunidades, o meia Regatiano ganhou na velocidade e tocou para o meio vendo a chegada do centroavante Neto Baiano. Na hora de finalizar, o camisa 9 acabou chegando um pouco atrasado e mandou por cima da meta, levando muitos torcedores presentes ao desespero.

Já no último minuto do primeiro tempo, Paulinho bateu falta no lado esquerdo do ataque e Everton Sena subiu mais alto que a zaga rival, vendo a bola passando muito perto da trave esquerda de Lucas Frigeri.

Quer falta? Então toma!

Seguindo a linha de um jogo de alta tensão por tudo que envolvia a partida pensando na tabela de classificação e nas divididas "intensas", o número de faltas chegou a 22 (10 do CRB e 12 do CSA) nos primeiros 45 minutos de embate. Além dos três cartões amarelos para o Galo da Praia, o Alviceleste também teve uma advertência.

Cara a cara e milagre de João Carlos!

Em um segundo tempo menos criativo do que a primeira etapa, com muita colaboração nesse sentido do aumento no índice de erros dos dois times, o CSA conseguiu seu primeiro lance de perigo já aos 23 minutos. Em cruzamento rasteiro de Juan, o centroavante Rubens ficou em boas condições de finalizar, mas não contava com a grande defesa de João Carlos.

No travessããããão!

O CRB não ficou abaixo por muito tempo e, por muito pouco, não contou com a colaboração de Lucas Frigeri para tirar o zero do placar em Maceió. Após escanteio batido por Paulinho, Lucas ia sendo enganado pela curva da bola e, ao dar de soco nela, fez com que ela explodisse no travessão, tendo a zaga Azulina reação rápida de afastar para a linha de fundo. Até ali, com 25 minutos de etapa complementar, a oportunidade mais clara de gol em toda a partida.

CRB perdeu de novo!

Em outra boa jogada de Iago, o mais constante da partida do lado do Galo da Praia, Neto Baiano se infiltrou na área do adversário e, assim como no primeiro tempo, chegou um pouco atrasado e acabou pegando embaixo da bola. CRB se mostrava mais ativo ofensivamente na segunda etapa.

Foi pro chuveiro mais cedo

Quando os anfitriões se mostravam mais próximos do gol, com mais volume de jogo, aos 39 minutos o volante Mazola foi expulso pelo árbitro Rodolpho Toski Marques com cartão vermelho direto.

Apesar do homem a mais em campo, o máximo obtido pelo ataque do CSA foi bater uma falta levando muito perigo com Rafinha e o centroavante Alemão tocando de perna direita meio desequilibrado para fora. Assim, o Clássico Rei do segundo turno teve o mesmo resultado do primeiro: Empate sem gols.

Mais Esporte