Corinthians sela paz com instituto, e diretor alfineta Palmeiras

Horas depois de a Justiça penhorar a taça do Mundial de 2012 do Corinthians, o clube parece ter contornado a questão de forma amigável. Após entrevista coletiva do presidente Andrés Sanchez nesta quinta-feira, outro pronunciamento foi feito pelo clube, desta vez com o diretor de marketing Luis Paulo Rosenberg ao lado de Paulo Linhares, pró-reitor da UniSant'Anna, do Instituto Santanense de Ensino Superior. É a entidade que cobra dívida do Timão que gerou a penhora. Lado a lados, as partes acenaram com acordo e, de quebra, Rosenberg cutucou o rival Palmeiras.

- Infelizmente tenho de dizer que os clubes que não tem mundial não vão mais poder fazer lances na nossa taça - brincou o dirigente, referindo-se às gozações de rivais com o clube alviverde.

Rosenberg disse que a confusão se deu porque a ação foi movida pela administração anterior do instituto e que, sob nova direção, os rumos serão diferentes, daí a presença do pró-reitor. O Instituto entrou com processo contra o Corinthians em 2008 cobrando dívida contraída na gestão passada, do ex-presidente Alberto Dualib.

- Vamos Recuperar um pouco da história. A Uni entrou ainda na gestão Dualib, houve um entrevero, a universidade foi buscar seus direitos, nesse processo ela teve problemas financeiros, encontrou um grupo sólido representado aqui pelo Paulo Linhares que adquirou a universidade para recolocá-la entre as grandes. Enquanto seguia o jurídico iniciado pelos outros gestores. Procuraram o Corinthians dizendo que o intuito era crescer em São Paulo, ter uma participação importante na Zona Leste e que via com bons olhos a associação da marca com o Corinthians - disse o dirigente.

- Enquanto isso prosseguia, como os ritos jurídicos tem seus tempos e suas normas próprias, justamente agora que nós estamos às vésperas de um entendimento vantajoso para o Corinthians, para a universidade, e principalmente para os alunos, tivemos isso. Eles pediram para vir aqui, esclarecer, dizer a posição dos atuais administradores e dizer para o corintiano que não há nenhum intenção de se valer do símbolo (da taça) - completou.

Paulo Linhares, representante da instituição de ensino, falou em seguida.

- A universidade está sob uma nova direção e nosso foco é trabalhar pela educação. Assim que assumimos começamos a fazer acordos e um que estamos tratando como prioridade é com o Corinthians. Tivemos uma excelente reunião, daqui para a frente vai ser uma nova história. Não tivemos em nenhum momento o intuito de desrespeitar, essa questão jurídica agora vamos cuidar não de remoer o passado, mas sim tranquilizar a todos e dizer que daqui pra frente esperamos uma nova história - declarou.

No pronunciamento, que não foi aberto para perguntas, as partes não entraram em detalhes sobre como fica a decisão judicial da penhora, se ela será retirada.

A decisão da penhora saiu nesta quinta-feira por ordem do juiz Luis Fernando Nardelli, da 3ª Vara Cível de São Paulo. Ele aceitou o pedido referente dívida de 2,48 milhões, cobrados pelo instituto desde 2008 e com vitória já em 2010. O Corinthians nunca pagou e, no período, houve tentativa de bloqueio de outras receitas do clube.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos