Hulk comemora título chinês em grande temporada do Shanghai SIPG

A festa do título chinês do Shanghai SIPG parece não ter data para terminar. Capitão da equipe chinesa, Hulk relembrou que a campanha no ano passado já havia sido positiva, mas os duelos contra o Guangzhou Evergrande haviam sido determinantes para a conquista do rival.

Nesta temporada, contudo, a história foi diferente. Para o Hulk, os confrontos diretos contra o Guangzhou Evergrande foram cruciais para a quebra da hegemonia no futebol da China.

- No ano passado nós fizemos uma campanha muito boa. Não só na Liga Chinesa, mas na Champions também. Perdemos na semifinal para o Urawa Reds, que foi o campeão do ano passado da competição. Perdemos a final da Copa da China para o Shanghai Shenhua, que é o nosso rival. E a Liga Chinesa, que perdemos para o Evergrande. Isso foi muito triste, porque poderia ser um ano maravilhoso para gente - afirmou o brasileiro:

- A equipe voltou esse ano com o mesmo pensamento de ganhar e buscar esse título. E conseguimos ser campeões. Foi muito importante manter o foco e a cabeça erguida, mesmo depois de não termos ganho nada o ano passado. A equipe batalhou e conseguiu realizar o sonho esse ano. E acho, sim, que os jogos contra o Evergrande praticamente decidiram o campeonato. Chegamos no primeiro jogo e a diferença era de um ponto. No nosso campo, ganhamos deles e a diferença foi para quatro. Depois em casa a gente empata e eles ganham e reduz para dois pontos. E quando nós vamos lá jogar no campo deles está dois pontos de diferença. Nós conseguimos a vitória abrindo cinco faltando duas rodadas. Então sim, foi o jogo do título. E quando a gente ganha esse jogo sabemos que podíamos comemorar.

Nesta temporada, Hulk disputou 25 jogos com o Shanghai SIPG. Foram 13 gols e 12 assistências. O brasileiro tem contrato com o time chinês até 2020.

O título da Super Liga Chinesa foi o 15º em 14 anos de carreira de Hulk. Foram 11 conquistas pelo Porto (em quatro anos em Portugal) dois no Zenit (em três temporadas na Rússia) e a Copa das Confederações pela Seleção Brasileira, em 2013.

- Tive a felicidade de onde passar ser campeão. Foi assim no Porto e na Rússia. E agora aqui no Shanghai. Acredito que aqui foi diferente porque era o sonho de todos os jogadores aqui. Ninguém nunca tinha sido campeão aqui e o clube nunca tinha ganho nada. E a gente chega e consegue fazer história ganhando esse título. Entrar para a história e escrever a nossa história aqui. Então isso com certeza foi marcante para nós. E vai ficar para o resto da vida marcado aqui. Com certeza esse título foi especial. Tem um gostinho diferente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos