Topo

Futebol


Ceará e Fortaleza empatam em jogo marcado por confusão e expulsões

Stephan Eilert/Agif
Imagem: Stephan Eilert/Agif

17/03/2019 21h01

Pela quarta vez desde a chegada de Lisca no Ceará e a sexta desde que Rogério Ceni comanda o Fortaleza que o Clássico-Rei termina igualado. Valendo pela sexta rodada da Copa do Nordeste, o embate entre os arquirrivais ficou no 1 a 1, gols de Felipe Baxola e Éderson.

No quesito classificação, o placar não prejudicou muito as duas equipes apesar de o time alvinegro deixar de reassumir a ponta do Grupo B, ficando agora na vice-liderança com 12 unidades enquanto o Botafogo-PB tem 14. O clube comandado por Ceni é o ponteiro do Grupo A com nove pontos, sendo superior ao Santa Cruz que também tem nove unidades no saldo de gols.

Fora de controle no fim

A partida corria de maneira relativamente equilibrada, com o Ceará tendo melhorado seu desempenho, uma confusão generalizada se iniciou quando Marcelo Boeck precisou ser atendido dentro do gramado. Com direito aos técnicos Lisca e Rogério Cenie terem de entrar em campo para conter os ânimos da briga onde Derley e Leandro Carvalho acabaram sendo expulsos.

Muito volume, finalizações escassas

As duas equipes mostravam desenvoltura interessante em relação a mobilidade dos ataques e triangulações que davam alternativas para os dois lados. Porém, o chute efetivo só veio uma vez ainda nos 20 minutos iniciais e, na oportunidade, Roger pegou mal na bola de pé esquerdo e ela passou por sobre a meta de Marcelo Boeck.

Aumentou a pressão alvinegra

Depois desse período, a troca de passes e marcação do Ceará ficou mais intensa e os lances de perigo começaram a aparecer. Em ótima triangulação, Samuel Xavier bateu e, com o desvio na zaga, a bola beliscou a trave esquerda de Boeck. Em outra ótima infiltração, Roger só não marcou porque Boeck fechou bem o ângulo do meia do Vozão.

Gol sai

Depois de cruzamento cortado pela zaga do Leão através de Quintero, Baxola teve frieza para dominar e bater forte, rasteiro, no canto direito de Marcelo Boeck para inaugurar a contagem e levantar a parte Alvinegra da Arena Castelão.

Esforço final

Antes do término da primeira etapa, o Fortaleza teve uma boa oportunidade de igualar o marcador quando o meio-campista Edinho bateu de fora da área e forçou o goleiro Richard a praticar uma importante intervenção.

Gol imperdível, mas perdido

Logo quando a partida foi retomada, com dois minutos o Fortaleza formulou uma chance que precisava ser capitalizada por intermédio de Júnior Santos. Após toque de Quintero dentro da área buscando um companheiro e tirando Richard do lance, o camisa 9, com o gol vazio, chutou de pé esquerdo para fora.

Tradução do melhor momento

Com ímpeto maior do que teve em praticamente todos os 45 minutos iniciais diante do arquirrival, exercendo pressão já no campo de ataque e procurando mais o jogo, a igualdade não tardou em aparecer com Éderson. Após cruzamento de Osvaldo, o camisa 9 do Tricolor foi muito preciso ao cabecear no extremo canto esquerdo de Richard.

Mais Futebol