Topo

Futebol


Se finalizasse melhor, Palmeiras golearia com menos posse de novo

2019-05-25T18:37:52

25/05/2019 18h37

No fim de semana passado, o Palmeiras encantou ao aplicar 4 a 0 sobre o Santos, no Pacaembu, mesmo com menos posse de bola. A atuação deste sábado não foi tão envolvente, principalmente no segundo tempo, mas, se tivesse mais eficiência nas finalizações, o líder do Campeonato Brasileiro iria além do 1 a 0 sobre o Botafogo, que ficou mais com a bola, em Brasília.

O Verdão somou três pontos dando somente duas finalizações na direção do gol o jogo todo, segundo o Footstats. Curiosamente, os dois lances foram diretamente responsáveis para a equipe balançar as redes. Aos nove minutos do segundo tempo, Dudu quase fez um golaço e deu o primeiro chute certo do time na partida. Ao tentar buscar o rebote, Deyverson sofreu pênalti. Demoraram oito minutos, por conta do árbitro de vídeo, mas Gustavo Gómez deu a segunda e última finalização correta ao converter a penalidade.

Mas os números apontam somente uma ineficiência para colocar no placar a ampla superioridade que teve na maior parte do confronto. O Palmeiras deu 16 finalizações ao todo (14 erradas), exatamente o dobro das oito do Botafogo, que acertou três e equivocou-se em cinco. E as tentativas do time carioca que foram em direção a gol ocorreram apenas depois de Gómez abrir o placar.

O Botafogo teve 55,7% da posse de bola, contra 44,3% do Verdão. Os comandados do técnico Luiz Felipe Scolari ainda ficaram mais com a bola do que no 4 a 0 diante do Santos - no clássico, 35,5% para o Palmeiras, e 64,5% para a equipe do treinador argentino Jorge Sampaoli. O líder do Brasileiro, entretanto, foi inegavelmente superior.

No primeiro tempo, o Palmeiras foi amplamente dono da partida. Enquanto o Botafogo tentava ocupar o campo adversário trocando passes, o Verdão, quando ficava com a bola, rapidamente estava na frente. À exceção de Lucas Lima, que não conseguia fazer o jogo correr com a mesma dinâmica dos colegas, o atual campeão nacional tinha movimentação, buscando muito os lados do campo. Faltou somente finalizar direito.

No segundo tempo, Dudu foi ainda mais incisivo, entrando mais na área pelo meio. Saiu o gol, e o Palmeiras deu alguns espaços ao Botafogo na sequência. Nada que tenha realmente assustado a torcida, que apareceu em excelente número ao estádio Mané Garrincha, mesmo com mando do time alvinegro. Na prática, o confronto nunca saiu da mão do Verdão.

Mais uma vez, o Palmeiras mostra consistência, mantendo a evolução ofensiva que mostrou depois de ficar 15 dias sem partidas, antes da semana de estreia no Campeonato Brasileiro. Já são seis partidas consecutivas sem sofrer gol. Com essa regularidade, segue firme na ponta do principal torneio do país.

Mais Futebol