Topo

Futebol


Tite mira evolução de jovens e vê opções mais variadas do que na Copa

2019-06-16T08:00:00

16/06/2019 08h00

O grupo que está representando a Seleção Brasileira na Copa América tem 14 remanescentes da Copa do Mundo na Rússia, mas oferece alternativas mais variadas. A análise é de Tite, que valoriza as caras novas e diz que faz um trabalho individualizado com os mais jovens, justamente os responsáveis por esse leque maior de opções.

- Sim (mais opções do que na Copa). A característica dos atletas dá mais opção - disse o treinador ao ser questionado sobre o assunto.

David Neres e Richarlison, ambos de 22 anos, foram titulares na vitória por 3 a 0 sobre a Bolívia, sexta-feira, no Morumbi, e muito provavelmente serão mantidos na equipe para o jogo contra a Venezuela, às 21h de terça-feira, na Fonte Nova. Everton, 23 anos, entrou no segundo tempo, marcou o último gol brasileiro e começa a pedir passagem. E no banco ainda estavam Éder Militão, Arthur, Paquetá...

- Uma das atenções que tenho é dar suporte maior aos mais jovens, para que eles sintam responsabilidade, mas que possam ter alegria, possam desenvolver. Richarlison, David, Militão, Cebolinha, Arthur, Paquetá... - enumerou Tite.

As principais novidades em relação ao grupo da Copa do Mundo estão no ataque. Pela esquerda, onde Neymar era titular absoluto na Rússia e tinha Taison como reserva, a briga neste momento é entre David Neres e Everton. Pela direita, que tinha Willian como titular na Rússia, o dono da posição é Richarlison, jogador que Tite enxerga como "peculiar" por conseguir jogar pela beirada e aparecer quase como um segundo centroavante.

- O Richarlison tem um posicionamento muito peculiar. É diferente do que a gente vinha jogando antes. É mais de área, fica mais próximo do pivô. Richarlison é de área, finalização, imposição física, ele joga mais dentro - analisou o comandante, antes de explicar que ele não briga pela "camisa 9" com Jesus e Firmino.

- A briga de 9 é Gabriel e Firmino.

O técnico também tem ressaltado a variedade de opções para o meio de campo, que não tem mais Paulinho e Renato Augusto. Além de Fernandinho, remanescente do ano passado, agora há Allan e Arthur como alternativas. Arthur, aliás, seria titular contra a Bolívia se não tivesse machucado o joelho direito no amistoso contra Honduras. É possível que ele retorne diante da Venezuela.

- Fernandinho é passador e posicional. Allan é box to box. Arthur é um articulador, mas também posicional, tal qual no Grêmio, não no Barcelona - destrinchou.

Mais Futebol