! Brasil enfrenta Haiti no "Jogo da Paz" - 18/08/2004 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  18/08/2004 - 00h06
Brasil enfrenta Haiti no "Jogo da Paz"

Por Sérgio Rangel, enviado especial
Da Agência Folha
Em Porto Príncipe (Haiti)

O adversário é dos mais fracos da história -o Haiti é o 95º no ranking da Fifa, liderado pelo Brasil desde 2002. O país vive num verdadeiro caos social e político desde o final do ano passado. A confusão é tão grande no país que os atletas brasileiros vão ser levados para o estádio em carro de combate.

Apesar do cenário desanimador, os jogadores da seleção dizem não se importar. Comandados por Carlos Alberto Parreira, as estrelas fizeram questão de enfrentar os semiprofissionais haitianos, nesta quarta-feira, às 16h30, no estádio Sylvio Cator, no "Jogo da Paz". Até abriram mão da premiação.

"Estou muito entusiasmado de fazer algo importante para o futuro de um país, que vive numa guerra'', disse Ronaldo, o 'mais rico" da seleção. Nesta temporada, Ronaldo vai receber cerca de 20 milhões de euros (mais de R$ 70 milhões). Os clubes do Haiti não pagam mais de US$ 1.000 -R$ 3.000- a seus astros.

Para fazer uma comparação, a soma de todos os salários da atual equipe nacional haitiana -cerca de U$ 20 mil - é menor do que o prêmio recebido pelo roupeiro da seleção na conquista da Copa do Mundo de 2002 -a CBF pagou aproximadamente U$ 25 mil.

Por causa da crise financeira do país e dos conflitos armados, o campeonato local ainda não começou e dificilmente será realizado. A tradição do país no esporte é pequena. Os haitianos só disputaram uma Copa do Mundo (em 1974, na Alemanha), e foram eliminados na primeira fase.

"Isto não importa (ao ser questionado sobre a fragilidade do adversário). A nossa intenção é tentar ajudar os haitianos e chamar a atenção mundial para o país", disse o meia Edu, do Arsenal, que teve que convencer os dirigentes do seu clube a liberá-lo.

O Haiti só enfrentou uma vez a seleção brasileira, pouco antes da Copa da Alemanha, e foi goleado por 4 a 0, em Brasília. Para a partida, os jogadores brasileiros dizem que vão se divertir e prometem uma nova goleada. "Não estamos misturando futebol com política, mas com a área social", disse Ronaldo.

Por questões de segurança, a delegação brasileira desembarcará apenas duas horas antes da partida no Haiti. Logo após o jogo, a delegação deixará o país.

Treino
Um dia antes do "Jogo da Paz", a confusão prevaleceu no único treino da seleção para o amistoso desta quarta. Cerca de três mil dominicanos, que enfrentaram sol de quase 40ºC, foram enganados pela federação local.

Aproveitando a passagem da seleção pelo país, os dirigentes dominicanos venderam ingressos para um suposto amistoso contra a seleção, que não estava previsto. O bilhete mais barato custou cerca de US$ 3 (R$ 12).

Só quando a seleção entrou em campo com a roupa de treino é que os torcedores tomaram conhecimento de que foram enganados. A histeria dos torcedores provocou brigas na arquibancada.

HAITI
Fenelon; Stephane, Richard e Jean Jaques; Dorcelus, Coriolan, Cherie, Heroldgracien e Romulus; Richardson e Thelamour
Técnico: Carlo Marzelin

BRASIL
Júlio César; Belletti, Juan, Roque Júnior e Roberto Carlos; Renato, Gilberto Silva, Edu e Juninho Pernambucano; Ronaldinho e Ronaldo
Técnico: Carlos Alberto Parreira

Local: estádio Sylvio Cator, em Porto Príncipe
Horário: quarta-feira, às 16h30 (de Brasília)
Juiz: Paulo César de Oliveira (BRA)


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias