! "Futebol-mania" da Venezuela pára no Brasil - 09/10/2004 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  09/10/2004 - 23h59
"Futebol-mania" da Venezuela pára no Brasil

Daniel Tozzi
Enviado especial do UOL
Em Maracaibo (Venezuela)

A delegação brasileira chegou a Maracaibo com a responsabilidade de enfrentar um país que finalmente era considerado um adversário. A Venezuela, que perdera todas as 15 partidas que jogou contra o Brasil na história dos confrontos, havia surpreendido adversários como Colômbia e Uruguai nestas eliminatórias. Na prática, entretanto, a história foi a mesma dos anos anteriores.

AFP 
Meia Kaká comemora o primeiro de seus gols na partida contra a Venezuela
O Brasil não encontrou problemas para se impor durante toda a partida e golear a equipe venezuelana por 5 a 2. Foi o placar mais dilatado da seleção brasileira nesta edição das eliminatórias.

O "trio de ouro" da seleção, formado por Ronaldo, Kaká e Ronaldinho Gaúcho, foi o destaque. Os três, que ainda não haviam feito nenhum gol em partida que começaram como titulares, marcaram quatro neste sábado: dois de Kaká e dois de Ronaldo.

O resultado levou o Brasil novamente à liderança das eliminatórias, com 19 pontos em nove partidas. A Argentina, que goleou o Uruguai por 4 a 2, aparece em segundo, um ponto atrás. Além disso, Ronaldo se isola na artilharia do torneio, com nove gols.

Além da boa apresentação brasileira, as invasões de campo também marcaram o confronto em Maracaibo. Dois torcedores passaram pelos policiais no segundo tempo. O primeiro, aos 6min, conseguiu abraçar o lateral Roberto Carlos. Foi necessária a ajuda de vários seguranças e atletas venezuelanos para separá-lo. O segundo foi contido a poucos metros de chegar ao atacante Ronaldo.

Antes da partida, uma briga fora do estádio havia comprometido a transmissão internacional do jogo. Torcedores que tinham ingresso em mãos e não conseguiram entrar começaram a apedrejar veículos e instalações. Durante quase todo o primeiro tempo, as emissoras que mostravam o confronto precisaram aproveitar o sinal da televisão venezuelana.

O jogo
Antes do primeiro minuto, o Brasil quase chegou ao gol. O arqueiro Angelucci errou ao tentar cortar escanteio cobrado por Ronaldinho Gaúcho e a bola sobrou para Juan. A defesa venezuelana, porém, tirou a bola pouco à frente da linha do gol.

Entretanto, cinco minutos depois, os venezuelanos não conseguiram evitar o tento. Kaká tabelou com Ronaldinho Gaúcho, passou a bola entre as pernas do zagueiro Rey na entrada da área e completou para as redes.

O Brasil quase chegou ao segundo aos 12min, em uma cobrança de falta ensaiada entre Roberto Carlos, Ronaldinho Gaúcho e Juninho Pernambucano. O meio-campista chutou bem, mas o arqueiro Angelucci defendeu.

Aos 19min, porém, quase a Venezuela chegou ao seu segundo gol na história do confronto contra o Brasil pelas eliminatórias. Arango dominou a bola pela meia-esquerda, puxou para o meio e chutou forte. Dida fez difícil defesa.

A resposta brasileira veio logo em seguida. Ronaldinho fez passe em profundidade para Ronaldo. Angelucci chegou na bola instantes antes do atacante.

Aos poucos, a Venezuela começava a melhorar em campo. Apesar de o Brasil seguir dominando, o time da casa se mostrava mais organizado na defesa. No ataque, as apostas recaíam sobre cruzamentos que só encontravam brasileiros e em chutes de fora da área.

Aos 26min, Rey quase se redimiu do drible levado no gol de Kaká. Em cobrança de falta, o zagueiro chutou no canto direito de Dida, mas o goleiro conseguiu se esticar e mandar para escanteio.

AFP 
Jogadores venezuelanos lamentam o segundo gol do Brasil, marcado por Kaká
O segundo gol do Brasil veio nove minutos depois. Ronaldo avançou pela esquerda, driblou Angelucci na grande área e a bola sobrou para Kaká completar. A bola ainda bateu na zaga antes de cruzar a linha do gol.

Aos 37min, os venezuelanos quase diminuíram. Margiotta chegou livre pela esquerda, mas chutou para a rede pelo lado de fora. Aos 46min, foi a vez de Ronaldinho Gaúcho mandar a bola por fora do gol.

O segundo tempo começou bastante movimentado. Aos 2min do segundo tempo, Hector González avançou pela direita e chutou no canto esquerdo de Dida. O arqueiro mais uma vez fez difícil defesa.

O Brasil mais uma vez respondeu em seguida. E em dobro. No lance seguinte, Zé Roberto cruzou da esquerda à meia altura. Ronaldo se jogou em direção à bola e mandou para as redes.

No minuto seguinte, o atacante do Real Madrid foi lançado e chutou rasteiro em direção a Angelucci. O arqueiro, porém, falhou: a bola passou entre suas pernas e chegou, lentamente, ao gol.

O artilheiro ficou perto de fazer o seu terceiro aos 12min. Depois de bela jogada individual, em que driblou por dois zagueiros, Ronaldo chutou à meia-altura, mas o goleiro, desta vez, defendeu.

Aos 16min, Parreira foi obrigado a sacar Juninho Pernambucano do time. O jogador do Lyon torceu o tornozelo depois de trombar com o juiz e precisou deixar a partida. Edu entrou em seu lugar.

Uma das chances mais perigosas da Venezuela ocorreu aos 21min. Dida falhou após chute de longe e Vielma mandou para o gol. Os torcedores locais vibravam muito e os jogadores venezuelanos brigavam para pegar a bola no fundo das redes quando o juiz anulou o lance, alegando impedimento.

Nos quatro minutos seguintes, Parreira fez mais duas alterações: Adriano no lugar de Kaká e Alex no de Ronaldo. Aos 29min, o atacante da Inter de Milão deixou o seu também. O jogador recebeu de Edu pela direita e chutou na saída de Angelucci.

Aos 34min foi a vez de o juiz "ajudar" os venezuelanos. Após cruzamento na área, Arango chutou e Moran, em posição de impedimento, tocou para o gol.

O Brasil seguiu pressionando até o final da partida. Aos 39min, Alex cobrou falta com perigo, mas Angelucci defendeu. Aos 42min, foi a vez de Adriano desperdiçar, livre de marcação, outra chance.

Foi a Venezuela, entretanto, que marcou o último. Moran recebeu no centro da área e chutou sem chances para Dida. O atacante entra para a história do futebol do país ao fazer dois dos quatro gols venezuelanos da história do confronto entre as equipes.

VENEZUELA 2 x 5 BRASIL

Venezuela
Angelucci; Vallenilla, Rey, Cichero e Hernandez (Vielma); Jimenez, Vera (C.González), Arango e Rojas; Moran e Margiotta (H.González)
Técnico: Ricahard Paez

Brasil
Dida; Cafu, Juan, Roque Júnior e Roberto Carlos; Renato, Zé Roberto e Juninho Pernambucano (Edu); Kaká (Adriano); Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo (Alex)
Técnico: Carlos Alberto Parreira

Data: 09/10/2004 (sábado)
Local: estádio "Pachenco" Romero, em Maracaibo (Venezuela)
Público: 35.000
Árbitro: Carlos Chandia (Chile)
Cartões amarelos: Kaká (Brasil)
Gols: Kaká, aos 6min e aos 35 min do primeiro tempo; Ronaldo, aos 4min e aos 5min, Adriano, aos 29min, e Moran aos 34min e aos 46min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias