! São Paulo perde e sonho fica distante - 30/10/2004 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  30/10/2004 - 22h24
São Paulo perde e sonho fica distante

MBPress
Em São Paulo

O sonho de conquistar o título do Campeonato Brasileiro ficou mais distante do Morumbi. O São Paulo perdeu para o Figueirense por 1 a 0 neste sábado, no estádio Orlando Scarpelli, e aumentou muito a distância para os líderes do torneio.

O Santos, dono da primeira posição, tem 72 pontos. E o São Paulo, com a derrota, estaciona nos 65. Assim, o time comandado pelo técnico Emerson Leão cai para a quarta posição na tabela de classificação do Brasileiro. O São Caetano também soma 65 pontos, mas tem um jogo a menos do que o tricolor, que tem um a menos em relação aos outros concorrentes.

Para o Figueirense, a vitória não altera a posição na tabela de classificação. A equipe catarinense chega a 54 pontos, mas segue com a 11ª melhor campanha. O Fluminense, décimo colocado, tem 56 pontos.

Entretanto, o maior motivo de comemoração é que esta foi a primeira vitória do Figueirense sobre o São Paulo na história do Campeonato Brasileiro. Nas seis partidas anteriores, o time paulista havia conquistado quatro vitórias e dois empates.

Além disso, esta foi a segunda derrota do São Paulo no Campeonato Brasileiro desde que Emerson Leão assumiu o comando da equipe. Antes, o time do Morumbi só havia sido superado pelo Grêmio (2 a 1), no estádio Olímpico.

O São Paulo também tinha uma seqüência de cinco vitórias seguidas, série que o Figueirense interrompeu neste sábado. A última derrota do time paulista no Brasileiro havia acontecido no dia 25 de setembro, justamente para o Grêmio.

Esta foi a primeira partida do São Paulo depois da tragédia envolvendo o zagueiro Serginho, do São Caetano. O jogador sofreu uma parada cardio-respiratória na quarta-feira, no gramado do Morumbi, e acabou falecendo.

O Figueirense só volta a campo no dia 7 de novembro. O time catarinense encara o Coritiba fora de casa, no estádio Couto Pereira, às 16h. O São Paulo joga na quarta-feira, no Morumbi. A equipe precisará disputar os 31 minutos restantes do confronto com o São Caetano.

O jogo
A principal aposta do técnico Emerson Leão foi a forte marcação sobre a saída de bola do Figueirense. Assim, o São Paulo conseguiu concentrar as ações da partida em seu campo ofensivo e impediu a criação dos meias catarinenses.

Entretanto, quando conseguiu se desvencilhar da marcação paulista, o Figueirense encontrou uma defesa extremamente frágil. Sendo assim, a equipe da casa utilizou principalmente as costas dos alas Cicinho e Júnior, que avançavam muito.

Foi assim que Romualdo teve excelente oportunidade aos 21min. O atacante tabelou com Alexandre Gaúcho e recebeu cara a cara com Rogério Ceni. O jogador do Figueirense chutou forte e a bola passou muito perto da trave direita do goleiro são-paulino.

O São Paulo respondeu em uma bela jogada do centroavante Grafite. Aos 25min, o camisa 9 recebeu bom passe de Renan, girou o corpo e chutou de pé direito, à esquerda do goleiro Édson Bastos.

Só que os visitantes não conseguiram solucionar os problemas de sua defesa. Tanto é que o Figueirense teve nova oportunidade aos 28min. Romualdo passou entre os zagueiros Rodrigo e Diego Lugano, invadiu a área e chutou no canto esquerdo de Rogério Ceni, que salvou com os pés.

Depois das duas grandes chances desperdiçadas, o Figueirense se retraiu. O time da casa voltou para seu campo e o São Paulo teve mais espaço para trabalhar a bola. A equipe paulista, no entanto, não conseguiu armar lances ofensivos.

Diante disso, o nível técnico do confronto caiu muito. Figueirense e São Paulo limitaram-se à disputa da bola no meio-campo e os goleiros não trabalharam mais até o final da primeira etapa.

E o panorama não mudou nos minutos iniciais do período complementar. Mais do que qualquer ação dentro de campo, o que chamou atenção foi a expulsão do técnico Emerson Leão. O comandante são-paulino reclamou de uma marcação do árbitro Luciano Augusto Almeida e acabou excluído.

A primeira conclusão da etapa final só aconteceu aos 15min. O meia Danilo recebeu na intermediária, ajeitou para o pé esquerdo e arriscou de muito longe. O goleiro Édson Bastos, no meio do gol, defendeu com segurança.

Além disso, o segundo tempo foi marcado pelo excessivo número de faltas. As duas equipes utilizaram as infrações como forma de conter o adversário e a partida ficou truncada, sem alternativas ofensivas.

Na primeira jogada trabalhada, o Figueirense inaugurou o placar. Alexandre Gaúcho conduziu a bola pela esquerda e chutou cruzado. Rogério Ceni não conseguiu segurar e o rebote ficou com Genílson, que apenas empurrou para as redes.

Em desvantagem, o técnico Emerson Leão queimou as três alterações. Trocou o lateral-esquerdo Júnior pelo reserva Fábio Santos. Além disso, tirou o meia Danilo e o atacante Nildo para a entrada dos atacantes Vélber e Diego Tardelli.

As modificações, contudo, não aumentaram a força ofensiva do São Paulo. Pelo contrário. Os visitantes perderam organização no meio-campo e, mesmo com três homens na frente, tornaram-se previsíveis demais. A marcação do Figueirense teve ainda menos trabalho para administrar o resultado e garantir a vitória.

FIGUEIRENSE
Édson Bastos; Paulo Sérgio, Márcio Goiano, Cléber e André Santos; Jeovânio, Alexandre Gaúcho (Nenê), Carlos Alberto e Bilu; Romualdo (Galeano) e Genílson (Vágner)
Técnico: Dorival Junior

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Fabão, Diego Lugano e Rodrigo; Cicinho, Alê, Renan, Danilo (Diego Tardelli) e Júnior (Fábio Santos); Grafite e Nildo (Vélber)
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)
Árbitro: Luciano Augusto Almeida (Fifa-DF)
Assistentes: Jorge Paulo Oliveira e Renato Miguel Vieira (DF)
Cartões Amarelos: Renan (S), Danilo (S), Jeovânio (F), Alexandre Gaúcho (F), Vágner (F)
Gol: Genílson, aos 24min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias