! Santos arranca empate, mas se complica - 28/11/2004 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  28/11/2004 - 17h55
Santos arranca empate, mas se complica

MBPress
Em São Paulo

A ousadia do Santos foi premiada neste domingo. A equipe paulista começou mal e sofreu o primeiro gol no confronto com o Paysandu. Depois, porém, procurou o gol durante todo o tempo e conseguiu chegar ao empate através do centroavante William.

Entretanto, o Santos não tem motivos para comemorar. Afinal, com o empate a equipe comandada pelo técnico Wanderley Luxemburgo desperdiçou a chance de ultrapassar o líder Atlético-PR. O clube paulista soma agora 80 pontos, dois a menos que os rivais, que também tropeçaram e empataram com o Grêmio em 3 a 3.

Melhor para o São Paulo, que diminuiu em dois pontos a desvantagem em relação aos líderes. O clube da capital paulista, que chegou a estar 12 pontos atrás do Atlético-PR, venceu sua partida contra o Internacional no sábado e "secou" os adversários no domingo. Agora, está a quatro pontos do Atlético-PR e a dois do Santos.

Já o Paysandu, com este resultado, ficou desesperado. O time paraense chegou a 49 pontos e fica ainda mais próximo da ameaça de rebaixamento. Agora, a equipe comandada por Vágner Benazzi fica com a 20ª posição e está muito perto do grupo de descenso.

Além disso, Paysandu e Santos ostentam séries diferenciadas. O time paraense alcançou neste domingo a incômoda marca de seis partidas sem vencer (três empates e três derrotas). E os paulistas não perdem há seis jogos (três empates e três vitórias).

Este foi o segundo empate da história do confronto entre Paysandu e Santos. Nas outras partidas, o time paulista obteve 12 vitórias e perdeu apenas duas vezes, ambas em Belém.

O Paysandu ainda traz grandes recordações para o Santos. No primeiro turno do Campeonato Brasileiro deste ano, o time de Luxemburgo venceu os paraenses por sonoros 6 a 0. Foi a maior goleada da equipe no torneio e também o resultado mais elástico da história deste confronto.

Na próxima rodada, o desesperado Paysandu encara outra equipe ameaçada pelo rebaixamento. Os paraenses vão a Belo Horizonte para jogar contra o Atlético-MG, que demitiu o técnico Mário Sérgio neste fim de semana. O Santos segue lutando pelo título no confronto com o lanterna Grêmio.

O jogo
O treinador Wanderley Luxemburgo apostou no esquema 3-5-2 para poder liberar os laterais do Santos. A formação, porém, não teve o efeito esperado. Isso porque os defensores André Luís e Ávalos demonstraram muita lentidão e não conseguiram acompanhar os atacantes do Paysandu.

O jogador mais perigoso da equipe paraense era o atacante Leonardo. Incisivo, ele atuou aberto e procurou sempre os lances em velocidade. Mas também soube aproveitar as falhas de marcação da defesa santista. Foi assim aos 5min, quando ele recebeu um cruzamento de Maurinho dentro da área, dominou e chutou por cima da meta.

A defesa do Santos estava completamente perdida, sobretudo quando o Paysandu utilizou jogadores vindos de trás. Aos 7min, em um lance desta maneira, nasceu o primeiro gol. Leonardo driblou André Luís e cruzou com perfeição. O lateral-esquedo Alonso apareceu livre de marcação e tocou de cabeça, no canto esquerdo do goleiro Mauro.

O lance desestabilizou o Santos, que passou a errar muito. O Paysandu se retraiu e apostou nos contra-ataques rápidos. Entretanto, aos 13min, o time paulista teve excelente oportunidade para marcar. Ricardinho lançou Deivid dentro da área, o camisa 9 driblou o goleiro Alexandre Fávaro e foi derrubado. Pênalti.

O próprio Deivid se encarregou da cobrança. Ele tocou no canto direito de Alexandre Fávaro, que praticou a defesa. O árbitro invalidou o lance devido à invasão da grande área e deu nova chance ao camisa 9 do Santos. Desta vez, o atacante escolheu o lado esquerdo do arqueiro adversário. Mesmo assim, o camisa 1 do Paysandu levou a melhor novamente.

A oportunidade desperdiçada pesou. O Santos ficou psicologicamente abalado e o meio-campo parou de funcionar. E o Paysandu assumiu o controle do jogo. No entanto, os donos da casa também sentiram falta de criatividade e não conseguiram fazer a bola chegar ao ataque.

Diante da má apresentação do Santos, o técnico Wanderley Luxemburgo resolveu abdicar do esquema com três zagueiros. Ainda no primeiro tempo, ele tirou Antônio Carlos e colocou o atacante Marcinho.

A modificação melhorou o time paulista, mas não foi suficiente para alterar a situação do jogo. O Paysandu seguiu com mais posse de bola e o Santos não conseguiu oferecer perigo ao gol de Alexandre Fávaro. A única exceção aconteceu aos 38min, em falta cobrada por Ricardinho. Ele colocou a bola no ângulo esquerdo do camisa 1 adversário, que conseguiu desviar para escanteio.

No segundo tempo, depois da bronca do técnico Wanderley Luxemburgo, o Santos voltou melhor. E até conseguiu pressionar o Paysandu. O problema é que a equipe paulista insistiu em cruzamentos para a área e a defesa paraense foi soberana no jogo aéreo.

A única bola alçada que conseguiu encontrar um atacante do Santos aconteceu aos 11min. Ricardinho cruzou, Lecheva desviou de cabeça e a sobra ficou com Deivid. O camisa 9 bateu de pé direito e Alexandre Fávaro novamente levou a melhor.

Dois minutos depois, Paulo César cobrou escanteio para a área e André Luís cabeceou para o gol. Alexandre Fávaro conseguiu defender e evitou o gol de empate do Santos.

A pressão do Santos teve seqüência aos 14min. Marcinho arrancou pela esquerda, driblou um marcador e arriscou de fora da área. A bola passou muito perto do ângulo esquerdo do goleiro Alexandre Fávaro.

O Santos dominava o jogo, mas sentia falta de poder de finalização. Por isso, Luxemburgo apostou na entrada do centroavante William. E o reserva marcou logo na primeira oportunidade. Basílio cruzou rasteiro aos 18min e ele concluiu para as redes, mas o árbitro alegou impedimento e invalidou o lance.

Quando parecia que o Santos não conseguiria o empate, William decidiu. Ricardinho cruzou da esquerda, o centroavante mostrou muita explosão e chegou de carrinho para tocar no canto esquerdo de Alexandre Fávaro, que nada pôde fazer.

Mesmo depois do gol, o técnico Vágner Benazzi recuou ainda mais o Paysandu. Com isso, o Santos apenas administrou o resultado e esperou o tempo passar. Mesmo assim, aos 41min, Balão quase marcou. Ele arrancou pela esquerda, invadiu a área e chutou de pé esquerdo. A bola passou à direita de Mauro.

PAYSANDU
Paulo Musse; Maurinho, Flavio Tanajura, Alex Pinho e Alonso; Lecheva, Sandro, Alexandre (Denis) e Hernani (Luiz Fernando); Leonardo (Balão) e Zé Augusto
Técnico: Vágner Benazzi

SANTOS
Mauro; Antônio Carlos (Marcinho), André Luís e Ávalos; Flávio, Fabinho (William), Zé Elias (Paulo César), Ricardinho e Léo; Basílio e Deivid
Técnico: Wanderley Luxemburgo

Local: estádio Mangueirão, em Belém (PA)
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (FIFA PE)
Auxiliares: Erick Bartholomeu Bandeira e Irani Pinto da Paz (ambos de PE)
Cartões amarelos: Leonardo (P), Antônio Carlos (S), André Luís (S), Alexandre (P), Hernani (P), Alexandre Fávaro (P), Ávalos (S), Lecheva (P), William (S)
Gol: Alonso, aos 7min do primeiro tempo; William, aos 35min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias