! Vitória perde para Ponte e cai para a Segundona - 19/12/2004 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  19/12/2004 - 17h50
Vitória perde para Ponte e cai para a Segundona

MBPress
Em São Paulo

Era o jogo do tudo ou nada para o ameaçado Vitória. Para a Ponte Preta, apenas o cumprimento da tabela. Com objetivos tão diferentes, os dois times entraram em campo neste domingo, no estádio do Barradão, para a última rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo sem pretensão nenhuma na partida - já que não tinha chances de classificação para a Copa Sul-Americana - e sem cinco titulares, a equipe de Campinas fez seu papel, conseguiu a vitória por 2 a 1 e rebaixou o time baiano para a Série B do Brasileirão no ano que vem.

O principal algoz do Vitória foi o atacante Anselmo, autor dos dois gols da partida, que valeram a descida da equipe baiana para a Segundona. Com a derrota, o time rubro-negro permaneceu com os mesmos 48 pontos na classificação final e acabou na penúltima colocação do campeonato, superando apenas o Grêmio.

Depois de três rodadas sofrendo goleadas consecutivas - para Coritiba (5 a 1), São Paulo (4 a 1) e Cruzeiro (4 a 0) -, o Vitória só escaparia do rebaixamento se vencesse a Ponte Preta e acontecesse tropeços de pelo menos dois dos quatro times que tinham chances de cair antes da última rodada neste fim de semana: Criciúma, Atlético-MG, Botafogo e Flamengo. Como não conseguiram a vitória, os baianos foram rebaixados.

Em 2005, o futebol da Bahia estará "bem representado" na Segundona. Agora, o Vitória vai fazer parceria com o arqui-rival Bahia na Segunda Divisão do futebol brasileiro. No ano que vem, o estado baiano não terá nenhum representante na Série A.

O resultado deste domingo também confirmou a superioridade do time paulista nos confrontos contra o Vitória válidos pelo Campeonato Brasileiro. Até hoje, foram 12 jogos disputados, com oito vitórias da Ponte Preta e quatro empates. O desempenho ataque-defesa também tem grande vantagem do time de Campinas, que marcou 25 gols e sofreu apenas nove.

O jogo
Precisando da vitória para permanecer na elite do futebol brasileiro, o Vitória começou a partida pressionando a Ponte Preta. Apostando na velocidade do experiente atacante Edilson, o time baiano não saiu do campo de ataque nos primeiros cinco minutos do jogo.

No entanto, na primeira descida da equipe paulista, o placar foi alterado. Em cobrança de escanteio, aos 8min, o atacante Anselmo aproveitou a falha de marcação da zaga do Vitória e tocou livre para o fundo do gol de Juninho, abrindo o placar no Barradão.

Com o gol do time paulista, a situação ficou ainda mais complicada para os donos da casa, que voltaram suas forças novamente ao ataque. E, aos 14min, o atacante Obina desperdiçou uma grande chance de empatar o jogo. Cara a cara com o goleiro da Ponte, o camisa nove do Vitória recebeu sozinho, mas não foi feliz na finalização e acabou batendo em cima de Lauro.

Sem objetividade em campo, os donos da casa não criaram boas chances de gol e a torcida baiana não poupou vaias à equipe. Por sua vez, a Ponte Preta, que apenas cumpria tabela neste fim de semana, procurou tocar a bola, apenas administrando a posse de bola.

O Vitória teve, aos 40min, mais uma chance para empatar o jogo. Em cobrança de falta perigosa da entrada da área, o lateral Carlinhos desperdiçou e bateu em cima da barreira.

No segundo tempo, os donos da casa voltaram assustando o goleiro Lauro. Logo no primeiro minuto, o camisa 1 da Ponte fez bela defesa em cobrança de falta de Magnum e impediu o gol de empate dos baianos.

Cinco minutos mais tarde, foi a vez do atacante Edilson fazer boa jogada e concluir rasteiro no canto direito do gol campineiro. Para azar do jogador baiano, a bola passou perto da trave da Ponte Preta.

Desesperado pelo gol de empate, o Vitória apostou todas as suas fichas no ataque. Abusando de lances pelo meio, o time baiano se mostrou pouco eficiente e não deu trabalho para o goleiro Lauro nos primeiros 15min da etapa final.

Se os donos da casa não souberam aproveitar as chances de gol, o mesmo não se pode dizer da Ponte Preta. Aos 21min, o atacante Anselmo aproveitou nova falha da zaga baiana, que ficou pedindo um impedimento inexistente, e tocou para o fundo do gol, para marcar o segundo gol do time de Campinas.

A situação complicada dentro de campo refletiu em vandalismo nas arquibancadas. Enquanto o cronômetro marcava 36min, a torcida do Vitória derrubou um dos alambrados do estádio do Barradão e começou a atirar vários objetos em campo. A polícia tentou acalmar os ânimos dos torcedores, atirando bombas de efeito moral nas arquibancadas.

Assustados, os dois times foram para o vestiário e o jogo foi paralisado. Com o jogo reiniciado, os donos da casa ainda arrumaram tempo para descontar o marcador. O atacante Obina, um dos mais criticados pela torcida, balançou as redes aos 44min, sob vaias dos torcedores, e deu números finais ao marcador.

VITÓRIA:
Juninho; Carlinhos (Alex Santos), Milton do Ó, Cametá e Fabinho; Amaral, Advaldo (Magnum), Arivelton (Rafael) e Leandro Domingues; Edilson e Obina
Técnico: Evaristo de Macedo

PONTE PRETA:
Lauro; André Cunha, Marcão, Luiz Carlos, e Bill; Ricardo Conceição (Ângelo), Luciano Baiano, Flávio (Rissuti) e Danilo (Rodrigues); Anselmo e Roger
Técnico: Nenê Santana

Local: estádio Barradão, em Salvador (BA)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz e Rogério Carlos Rolim (ambos do PR)
Cartões Amarelos: Flávio (P), Danilo (P), Amaral (V), Nilton do Ó (V), Ângelo (P), Bill (P)
Gols: Anselmo, aos 8min do primeiro tempo; Anselmo, aos 21min, e Obina, aos 44 do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias