! Mogi Mirim estraga festa e vence o Corinthians - 19/01/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  19/01/2005 - 22h25
Mogi Mirim estraga festa e vence o Corinthians

MBPress
Em São Paulo

A MSI preparou uma grande festa para esta quarta-feira. A noite começou com a apresentação dos novos reforços do Corinthians (Marcelo Mattos, Tevez, Carlos Alberto, Marinho e Sebiastián Domínguez) e a continuação perfeita seria uma grande vitória diante do Mogi Mirim.

Só que o time do interior não concordou com este enredo e surpreendeu. No final, sob olhares dos novos contratados e da diretoria corintiana, vitória do Mogi Mirim por 2 a 1.

O resultado é ainda pior do que a estréia do Corinthians no Campeonato Paulista do ano passado. Em 2004, a equipe do Parque São Jorge empatou por 2 a 2 com o Atlético Sorocaba na primeira rodada e sofreu até o último jogo para escapar do rebaixamento.

Agora, o futuro é uma incógnita para os corintianos. O time que mais investiu para esta temporada ainda não tem as estrelas à disposição. Sem elas, Tite sofre para encontrar uma escalação de qualidade.

Nesta quarta-feira, Tite apostou no entrosamento e formou o Corinthians com as peças sobreviventes da temporada passada. Entretanto, o conjunto do clube paulista não foi suficiente para esconder a falta de recursos técnicos da equipe que atuou nesta quarta-feira.

No fim, para quem esperava ver a festa do Corinthians, brilhou o atacante Neto. O centroavante de 22 anos, que trabalhou com o técnico Tite no São Caetano, foi o grande nome do primeiro tempo. Marcou os dois gols do Mogi Mirim e garantiu a vantagem dos visitantes.

O Corinthians volta a campo no próximo sábado. A equipe do Parque São Jorge viaja até Marília para enfrentar o Marília às 18h. O Mogi Mirim só joga no domingo, dentro de casa, contra o União Barbarense. A partida começará às 17h.

O jogo
Corinthians e Mogi Mirim mostraram problemas típicos de início de temporada. As duas equipes erraram muitos passes, sobretudo nos minutos iniciais. Prova disso é que a primeira oportunidade aconteceu em uma falha. A equipe do interior perdeu a bola pela direita aos 3min, Fininho cruzou para a área e Jô tocou de cabeça. João Gabriel desviou com a mão esquerda e mandou para escanteio.

Ainda embalada pela apresentação dos milhonários reforços trazidos pela MSI (Marcelo Mattos, Tevez, Carlos Alberto, Marinho e Sebiastián Domínguez foram apresentados antes do início da partida), a torcida do Corinthians teve a sensação de que o jogo seria o complemento da festa do clube.

O Mogi Mirim, porém, fez o possível para estragar esta comemoração. Aos 4min, logo depois do gol perdido por Jô, a equipe do interior assustou o Corinthians. Thiago Costa puxou um contra-ataque pela direita, conduziu sozinho e chutou cruzado. Fábio Costa defendeu com segurança.

Esta foi apenas uma amostra do que aconteceu em seguida. O Corinthians tinha mais posse de bola e não encontrava espaços na defesa do Mogi Mirim. Os visitantes, mais eficientes, eram extremamente perigosos nos contra-ataques.

Aos 22min, em um destes contra-ataques, o Mogi Mirim inaugurou o marcador. Neto recebeu na esquerda, driblou o zagueiro Betão para o meio e arriscou de muito longe. O chute saiu muito forte e entrou no ângulo do goleiro Fábio Costa, que nem se mexeu.

Atordoado com o gol, o Corinthians ficou totalmente desorganizado em campo. Os meio-campistas Rosinei e Renato pouco participaram da partida. E os atacantes Jô e Gil, marcados individualmente, não levaram qualquer perigo à defesa do Mogi Mirim.

E se a derrota parcial já parecia um desastre para o Corinthians, Neto conseguiu piorar as coisas para os donos da casa. Aos 41min, ele aproveitou um chutão do zagueiro Fábio Braz, ganhou a dividida com Betão e chutou muito forte, de pé esquerdo, na saída de Fábio Costa.

Preocupado com o comportamento do Corinthians no primeiro tempo, o técnico Tite resolveu mudar sua equipe. No intervalo, tirou o ineficiente Renato para a reestréia do lateral-esquerdo Roger, que defendeu o Flamengo na temporada passada.

Com Roger atuando mais próximo de Fininho, o Corinthians ganhou uma boa opção de jogada pela esquerda. Assim, cresceu muito e dominou completamente as ações no início do segundo tempo.

Entretanto, apesar do domínio territorial, o Corinthians não tinha criatividade. Com isso, rondou a área do Mogi Mirim no início do período complementar sem levar perigo ao gol de João Gabriel. A única exceção aconteceu aos 8min. Fininho tabelou com Roger e cruzou rasteiro. Jô passou pela bola e Coelho chutou de primeira, à direita da meta.

A esquerda era realmente o melhor caminho para os donos da casa. Foi por ali que surgiu o primeiro gol do Corinthians, aos 12min da etapa final. Gil recebeu lançamento, invadiu a área e chutou cruzado. João Gabriel não segurou e o rebote ficou com Jô, que apenas completou de pé esquerdo.

Animado pelo gol e imensamente superior no quesito físico, o Corinthians aumentou ainda mais a pressão sobre o Mogi Mirim, que começou a dar sinais de cansaço. Aos 20min, Coelho cobrou falta na barreira e o rebote ficou com o lateral-direito Edson. Ele bateu de primeira e quase encobriu o goleiro João Gabriel, que conseguiu desviar para escanteio.

O Corinthians voltou a assustar aos 25min. E só não empatou porque o meia Rosinei perdeu uma oportunidade incrível. Fininho cruzou da esquerda e ele, dentro da pequena área, cabeceou para fora.

A pressão corintiana tornou-se ainda mais contundente aos 30min. Jean cometeu falta dura sobre Coelho. Como já tinha amarelo, foi expulso pelo árbitro Rodrigo Martins Cintra. Com um homem a mais, o time da casa não deixou o Mogi Mirim respirar.

Mas a pressão do Corinthians parou em uma infantilidade do meia Rosinei. Ele perdeu uma bola fácil no meio-campo por tentar dar um drible desnecessário e ofereceu o contra-ataque para o Mogi Mirim. Por isso, o zagueiro Wendell cometeu a falta e foi expulso.

CORINTHIANS
Fábio Costa; Ânderson, Wendell e Betão; Coelho (Correia), Edson, Rosinei (Dinélson), Renato (Roger) e Fininho; Jô e Gil.
Técnico: Tite

MOGI MIRIM
João Gabriel; Marcelo Miguel, Fábio Braz e Zé Roberto; Thiago Matos, Diguinho (Grazianne), Tozo, Marcelo Rosa e Jean; Fábio Costa (Mendes) e Neto (Rogério).
Técnico: José Carlos Serrão

Local: Pacaembu, em São Paulo
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra (SP)
Assistentes: Ednílson Corona e Aline Lambert (ambos de SP)
Cartões amarelos: Jean (M), Wendell (C), Edson (C), Rogério (M)
Cartões vermelhos: Jean (M), Wendell (C)
Gols: Neto, aos 22min e aos 41min do primeiro tempo; Jô, aos 12min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias