! Santos estréia com show e goleada - 20/01/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  20/01/2005 - 22h25
Santos estréia com show e goleada

MBPress
Em São Paulo

O Santos começou 2005 com um show. Brincando, o time da Vila Belmiro goleou a Portuguesa por 5 a 1 nesta quinta-feira. Foram três gols de Deivid, dois de Robinho e um festival de lances de efeito de todos os jogadores dos donos da casa, que fizeram questão de expor a diferença técnica entre as duas equipes.

Foi o reencontro perfeito entre o Santos e sua torcida. O time não jogava em casa desde o dia 10 de novembro do ano passado, quando perdeu para a LDU por 2 a 1 e foi eliminado da Copa Sul-Americana.

Além disso, outro reencontro foi entre Santos e Portuguesa. O último confronto entre as duas equipes no Campeonato Paulista aconteceu no dia 17 de fevereiro de 2001, também na Vila Belmiro. Naquela ocasião, os donos da casa golearam por 4 a 0.

O confronto desta quinta-feira marcou a estréia do técnico Oswaldo de Oliveira no comando do Santos. Ele assumiu depois da saída de Wanderley Luxemburgo, que foi para o Real Madrid. Além disso, o volante Fábio Baiano também fez sua primeira partida com a camisa do clube paulista.

Na Portuguesa, muitos jogadores também estrearam. O ponto negativo é que o clube do Canindé não pôde escalar o goleiro Gléguer. O jogador foi vetado por problemas na documentação e foi substituído por Fava.

O gol do time do Canindé foi marcado pelo centroavante Whelliton. Muito fraco tecnicamente, ele aproveitou um cruzamento de Silas aos 43min do segundo tempo e tocou de cabeça para diminuir a vantagem do Santos.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo. O Santos viaja até Campinas e joga contra a Ponte Preta, que na primeira rodada perdeu para o São Caetano por 1 a 0. O adversário da Portuguesa, no Canindé, é o Guarani.

O jogo
A partida começou com cara de surpresa. Ousada, a Portuguesa partiu para cima e conseguiu pressionar o Santos. Entretanto, a Rubro-Verde esbarrou na falta de recursos técnicos de seus atacantes e os donos da casa conseguiram conter os avanços adversários.

A primeira oportunidade, por exemplo, foi da Portuguesa. Logo aos 3min, Whelliton aproveitou um descuido da defesa santista, invadiu a área com a bola dominada e chutou cruzado, mas a bola passou à esquerda do goleiro Mauro.

A Portuguesa voltou a assustar aos 17min. E de bola parada. Wesley cobrou falta da meia esquerda e Mauro teve muito trabalho para desviar para escanteio.

Atordoado com a pressão imposta pela Portuguesa nos minutos iniciais, o Santos só reagiu aos 23min. Quando foi ao ataque, porém, o time da casa expôs a fragilidade da defesa dos visitantes. Robinho recebeu lançamento na esquerda, passou o pé sobre a bola e cruzou rasteiro. Alexandre Lopes não conseguiu cortar e a bola sobrou para Deivid, que apenas tocou de pé direito para abrir o placar.

Depois do gol, a Portuguesa ainda tentou reagir. Para isso, contou com uma grande colaboração do goleiro Mauro. Aos 28min, ele tentou cortar uma cobrança de escanteio de Ronildo e largou a bola nos pés de Whelliton. Dentro da pequena área, o centroavante bateu de primeira e mandou a bola à direita da meta.

Mas a chance perdida foi apenas um lampejo. Depois disso, a Portuguesa assumiu a condição de inferioridade técnica e se retraiu. Com isso, passou a apenas observar o toque de bola envolvente do Santos, que administrou a vantagem com muita eficiência.

E no toque de bola, o Santos conseguiu ampliar a vantagem. Aos 33min, Elano recebeu lançamento dentro da área e chutou cruzado. O goleiro Fava não segurou e o rebote ficou com o atacante Deivid. Dentro da pequena área, ele tocou de pé direito para o gol aberto e fez o segundo dos donos da casa.

Pronto, a Portuguesa estava morta. O Santos percebeu isso e parou em campo. A equipe administrou a má condição física e não se cansou. Pelo contrário, fez a bola (e os adversários) correrem muito.

O técnico Zé Teodoro ainda tentou mudar a Portuguesa no segundo tempo. Durante o intervalo, trocou o atacante Wesley pelo meia Fabrício. Mas a alteração não surtiu efeito. O Santos continuou extremamente superior em campo.

Tocando a bola de um lado para outro, parecia que o Santos faria mais gols quando quisesse. E realmente, os donos da casa passaram a abusar de lances de efeito. Aos 9min, por exemplo, Deivid levantou para a área e a bola encontrou Basílio. O camisa 10 tentou um toque por cobertura, mas a bola passou perto do travessão.

O Santos teve nova oportunidade aos 16min. Flávio recebeu na linha de fundo e cruzou rasteiro. No primeiro pau, Deivid desviou de pé direito e mandou por cima do gol de Fava.

De tanto insistir, contudo, o Santos fez o terceiro aos 23min. Elano cruzou da direita, Deivid ajeitou de cabeça e Robinho chutou de primeira. Fava não segurou e o próprio Robinho aproveitou o rebote para empurrar para as redes.

Robinho, o grande nome do jogo no segundo tempo, voltou a marcar aos 26min. Desta vez, Elano recebeu bom passe de Fábio Baiano e cruzou para a área. O camisa 7, completamente livre, desviou de cabeça e fez o quarto gol dos donos da casa.

O Santos estava impossível. Aos 28min, Fábio Baiano tabelou com Elano e cruzou para Deivid. O atacante bateu de primeira e perdeu uma excelente oportunidade de aumentar a goleada.

Mas a Portuguesa não resistiu por muito tempo. O Santos voltou a marcar aos 30min, novamente com Deivid. Elano dominou no meio e lançou o camisa 9 nas costas da defesa. Com tranqüilidade e categoria, ele desviou de cabeça e matou o goleiro Fava.

Pronto, a festa do Santos estava completa. Nos últimos 15 minutos, o time da casa premiou os torcedores que estiveram na Vila Belmiro com muitos toques de efeito e a Portuguesa sequer encostou na bola.

A festa só não foi completa porque a Portuguesa conseguiu diminuir a vantagem do Santos. Aos 43min, Silas recebeu na direita e levantou para a área. Whelliton subiu mais que a defesa da casa, cabeceou no canto e venceu o goleiro Mauro.

SANTOS
Mauro; Flávio, Antonio Carlos (Domingos), Ávalos e Léo (Zé Elias); Fabinho, Elano e Ricardinho; Basílio (Fábio Baiano), Robinho e Deivid
Técnico: Oswaldo de Oliveira

PORTUGUESA
Fava; Nenê, Rafael Costa e Alexandre Lopes, Wilton Goiano, Alexandre (Célio), Almir, Rodriguinho (Silas) e Ronildo; Wesley (Fabrício) e Whelliton
Técnico: Zé Teodoro

Local: Vila Belmiro, em São Paulo (SP)
Árbitro: Salvio Spínola Fagundes Filho (SP)
Assistentes: Francisco Rubens Feitosa e Marcelo Carvalho Van Gasse (ambos de SP)
Cartões amarelos: Rafael Costa (P), Alexandre Lopes (P), Silas (P)
Gols: Deivid, aos 23min e aos 33min do primeiro tempo; Robinho, aos 23min e aos 26min; Deivid aos 30min e Whelliton, aos 43min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias