! Santos perde do Bolívar na estréia da Libertadores - 16/02/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  16/02/2005 - 23h42
Santos perde do Bolívar na estréia da Libertadores

MBPress
Em São Paulo

Um Santos com uma postura bem diferente daquele que bateu o Corinthians no final de semana foi derrotado por 4 a 3 pelo Bolívar nesta quarta-feira, no estádio Hernando Siles de Milaflores, em La Paz, na Bolívia. A partida marcou a estréia do time brasileiro na Libertadores 2005.

AFP 
Zagueiro Ávalos luta por bola no alto durante a derrota do Santos em La Paz
Com este resultado, a equipe da Vila Belmiro segue com um retrospecto ruim quando joga na altitude. Desde 2003, quando o clube voltou a disputar a competição internacional (e também a Sul-Americana), foram duas vitórias, dois empates e cinco derrotas.

No confronto com o Bolívar, a derrota do alvinegro foi consolidada em apenas dois minutos. Depois de estar atrás no placar em duas oportunidades, o Santos conseguiu empatar, mas vacilou no final da partida e sofreu dois gols: um aos 40min e outro aos 42min.

O destaque do Santos neste duelo foi o atacante Deivid, que marcou dois gols (Robinho marcou o outro). No entanto, ele saiu de campo no segundo tempo sentindo os efeitos da altitude.

Do lado boliviano, o ponto positivo foi a atuação do meia Zermatten, que infernizou os zagueiros santistas e ainda marcou três dos quatro gols da equipe do Bolívar.

Quanto ao colombiano Henao, que ganhou a preferência do treinador para defender o gol alvinegro na Libertadores, sua atuação foi razoável. Inseguro em alguns lances, ele falhou no primeiro gol.

O Santos volta a campo no próximo domingo, dia 20, quando enfrenta o Ituano, às 18h, no estádio Novelli Junior, em Itu, pela oitava rodada do Paulista. O alvinegro está na segunda colocação do certame com 17 pontos, dois a menos que o líder São Paulo.

O jogo
Desde que soube que jogaria sua primeira partida na Copa Libertadores da América na altitude de La Paz, na Bolívia, o Santos logo se preocupou com as consequências que isso teria, principalmente com relação ao fôlego dos atletas e também dos chutes.

Foi até por isso que o técnico Oswaldo de Oliveira optou por colocar o goleiro Henao como titular. "Ele é um goleiro que já está acostumado a jogar na altitude e também é experiente na Libertadores", comentou o treinado alvinegro no final de semana.

A preocupação do Santos, porém, aumentou logo no primeiro minuto da partida. Em cobrança de falta da ala esquerda, o meia do Bolívar Zermatten chutou cruzado, a bola passou por toda a zaga e enganou o camisa 1 do time brasileiro.

Empolgados com a vantagem no placar, os bolivianos começaram a explora bastante os chutes de fora da área. Aos 9min, Angulo avançou pelo meio e chutou de longe. Henao, bem colocado, espalmou por cima do gol.

O time do téncico Oswaldo de Oliveira, no entanto, não se intimidou e partiu para cima. Só que os atacantes santistas pararam na forte marcação dos zagueiros da equipe boliviana.

A melhor jogada do alvinegro antes dos 20min aconteceu com Tcheco, que, aos 14min, avançou sozinho pela direita, passou por vários marcadores e cruzou para a área. A bola saiu sem direção e ficou nas mãos do goleiro Mauro Machado.

Sem desistir, o clube da Vila Belmiro conseguiu chegar ao empate ainda na primeira etapa. Aos 24min, após cruzamento da direita, a bola sobrou para Basílio, que chutou em cima do zagueiro. No rebote, o atacante Deivid acertou o gol.

Dez minutos depois, o Santos teve uma excelente oportunidade de ampliar. O atacante Robinho avançou no contra-ataque e tocou para Deivid, que dominou mal na grande área e permitiu o corte da zaga adversária.

Após sofrer o gol de empate, o Bolívar voltou a arriscar os chutes de longa distância, mas sem sucesso. A última tentativa da etapa incial aconteceu aos 37min, quando Galindo chutou rente à trave direita de Henao.

No segundo tempo, ambas as equipes voltaram com a mesma formação e postura do primeiro tempo: o Bolívar com forte marcação e o Santos tocando bastante a bola e cadenciando o jogo.

Apesar da melhor técnica santista, o time da casa ampliou primeiro. Aos 8min, o meia Zermatten recebeu a bola na grande área e, sem a marcação de Domingos, que lhe deu espaço, chutou cruzado.

A equipe brasileira mais uma vez não se abalou e conquistou o empate aos 11min. Em cobrança de tiro livre indireto de dentro da área, o atacante Robinho rolou para Deivid acertar um forte chute rasteio no canto direito de Mauro Machado.

Sentindo a pressão do Bolívar após o empate, o técnico Oswaldo de Oliveira preferiu adotar o esquema 3-5-2. Aos 25min, ele sacou o meia Tcheco e colocou o zagueiro Leonardo.

Depois de dez minutos, o Santos perdeu mais uma ótima oportunidade de ficar à frente no placar. O atacante Robinho avançou pela direita, passou por três marcadores e cruzou para Basílio, que, de frente para o gol, chutou em cima da zaga.

O Bolívar, por sua vez, não desperdiçou quando teve uma chance. Após chute de Pachi no travessão, o meia Zermatten aproveitou novo rebote e marcou seu terceiro gol no jogo.

Dois minutos depois, o time da casa ainda marcou mais um. O atacante Cabrera avançou pela esquerda e chutou de fora da área. A bola entrou no canto direito do goleiro Henao.

O Santos ainda encontrou forças para diminuir. Aos 45min, o atacante Robinho avançou no contra-ataque e chutou na saída do goleiro Mauro Mendonça. A reação, no entanto, foi tardia.

BOLÍVAR
Mauro Machado; Daner Pachi, Óscar Sánchez, Marcos Sandy e Percy Colque; Carmelo Angulo, Pizarro (Reyes), Gonzalo Galindo e Zermatten; Digo Cabrera e Augusto Andaveris
Técnico: Vladimir Soria

SANTOS
Henao; Paulo César (Flávio), Domingos, Ávalos e Léo; Fabinho, Bóvio e Tcheco (Leonardo); Robinho, Basílio e Deivid (Deivid)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

Local: Estádio Hernando Siles de Miraflores, em La Paz (Bolívia)
Árbitro: Carlos Torres (Paraguai)
Auxiliares: Ricardo Grance (Paraguai) e Celestino Galván (Paraguai)
Cartões amarelos: Pizarro (B), Deivid (S), Paulo César (S), Angulo (B), Zermatten (B), Cabrera (B)
Gols: Zermatten, a 1min, e Deivid, aos 24min do primeiro tempo; Zermatten, aos 8min, e Deivid, aos 11min, Zermatten, aos 40min, Cabrera, aos 42min, e Robinho, aos 45min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias