! De virada, Santos vence e mantém tabu da Vila - 03/03/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  03/03/2005 - 21h11
De virada, Santos vence e mantém tabu da Vila

MBPress
Em São Paulo

O Santos recebeu o Danúbio, do Uruguai, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, e após um susto logo aos dezesseis segundos de jogo, conseguiu a virada, que garantiu à equipe a primeira vitória na Copa Libertadores 2005, por 3 a 2.

VITÓRIA SUADA NA VILA

Santos sofre gol aos 20s e joga muito mal no começo


..mas Léo mergulha para empatar antes do intervalo


...e Ricardinho define a vitória no fim batendo pênalti

Com a vitória, o Santos foi a três pontos e empatou com o próprio Danúbio e com o Bolívar, da Bolívia, na liderança do grupo 2 da competição. O time boliviano, no entanto, realizou apenas uma partida até agora. Na próxima terça-feira, enfrenta a LDU, do Equador.

O resultado garantiu ao Santos a manutenção de um tabu que se iniciou em 2003, ano da primeira participação do clube na Libertadores no século XXI. Desde que voltou à competição internacional, o Santos jamais foi derrotado jogando na Vila Belmiro.

Na noite desta quinta-feira, mais uma vez o herói santista foi o atacante Robinho. No primeiro tempo, além de dar muita criatividade ao setor ofensivo da equipe, ele foi o responsável pelas melhores chances criadas antes do gol de empate. No segundo tempo, quando o jogo ainda estava 1 a 1, foi Robinho que marcou o gol de empate.

Contudo, já no final da partida, um outro herói da torcida santista também mostrou ser predestinado. Após o segundo gol do Danúbio, Basílio criou o lance do gol decisivo, ao sofrer pênalti, depois convertido por Ricardinho.

Apesar de sofrida, a vitória sobre o Danúbio pode dar um novo ânimo ao time comandado por Oswaldo de Oliveira, que havia sido derrotado pelo Bolívar por 4 a 3 na estréia da Libertadores, e, após alguns resultados inesperados, ficou a quatro pontos de distância do São Paulo no Campeonato Paulista.

O próximo jogo do Santos na Libertadores acontece no dia dezessete de março, no Equador, contra a LDU. Neste domingo, o time do técnico Oswaldo de Oliveira volta a campo pelo Campeonato Paulista, no clássico contra o Palmeiras.

O jogo
Contrariando a expectativa de que o Danúbio fosse jogar de forma cautelosa contra o campeão brasileiro, o time uruguaio foi para cima do Santos logo no primeiro lance. E com menos de vinte segundos de jogo, os visitantes conseguiram abrir o placar na Vila.

Na saída de bola, o Danúbio avançou tocando a bola pelo centro do campo de ataque e a bola acabou dominada pelo meia Gonzalez, na entrada da área santista. Ele driblou o lateral Paulo César e carregou para a esquerda, de onde chutou cruzado para marcar.

Somente aos 3min o Santos conseguiu se aproximar do gol uruguaio. Ricardinho cobrou falta pela esquerda do ataque, alcançando Domingos, dentro da área. O zagueiro, no entanto, cabeceou para fora.

Quatro minutos depois foi a vez de o Danúbio atacar também em cobrança de falta. De frente para o gol de Mauro, o lateral Lima chutou forte, mas a bola foi para fora, à esquerda do gol. No lance seguinte, o Santos finalmente ameaçou com perigo. O atacante Deivid chutou bem de fora da área, mas o goleiro defendeu com segurança no canto direito.

Aos 10min, Robinho começou a aparecer na partida. Ele recebeu passe de Paulo César e invadiu a área uruguaia, mas, na hora do chute, a bola desviou na defesa e saiu para escanteio.

Com a desvantagem no placar, o Santos se lançou ao ataque e passou a pressionar insistentemente a defesa adversária. No entanto, os chutes dos jogadores brasileiros acabaram todos na defesa dos visitantes ou nas mãos do goleiro Barbat.

Contudo, apesar do domínio santista, o Danúbio não abdicou do ataque, e seguiu criando chances, principalmente em chutes de longa distância e bolas alçadas na área. Aos 22min, Robinho perdeu grande chance de empatar a partida. Depois de bate rebate na área, ele chutou da marca do pênalti, mas a bola subiu muito, saindo sem perigo.

Dois minutos depois, os donos da casa tiveram suas duas melhores oportunidades na mesma jogada. Robinho avançou pelo meio, se livrando dos marcadores do Danúbio e, depois de invadir a área, chutou em cima do goleiro. No rebote, Léo cruzou para Deivid, que cabeceou para defesa do goleiro uruguaio.

Aos 31min, novamente com Deivid, o Santos voltou a ficar perto do gol. O atacante recebeu a bola na esquerda do ataque, cortou para dentro e chutou no canto esquerdo de Barbat. O goleiro espalmou e a bola ainda triscou na trave antes de sair para escanteio.

A sete minutos do fim do primeiro tempo, o Santos finalmente conseguiu igualar o marcador, em grande jogada iniciada por Ricardinho. Da esquerda do ataque santista, o meia fez passe para Tcheco, do lado direito. Ele lançou Fábio Baiano, que cruzou para Léo, no segundo pau. O lateral cabeceou sem muita força e fez o gol santista.

Na segunda etapa, o jogo voltou mais equilibrado. Apesar da pressão santista, o Danúbio continuou acreditando na vitória e seguiu atacando, com menos volume que o Santos, mas sem se preocupar exlucisvamente em defender.

Aos 4min, Gonzalez, autor do primeiro gol, bateu de fora da área. O chute, no entanto, saiu fraco e Mauro defendeu com facilidade. Dois minutos depois, o Santos ameaçou com Fábio Baiano, que cabeceou de dentro da área, mas a bola saiu por cima do gol.

Ainda antes de completados os dez primeiros minutos, o Danúbio voltou a chegar com perigo. Depois de cruzamento da direita, o lateral Lima pegou de primeira e exigiu grande defesa de Mauro. O goleiro do Santos espalmou para o meio da área e a zaga afastou.

Dez minutos depois, os uruguaios voltaram a assustar. Da risca da grande área, Salgueiro chutou e Mauro se esticou para fazer mais uma boa defesa. No rebote, o atacante do Danúbio chutou em cima do zagueiro Ávalos.

Após os vinte minutos da segunda etapa, o Santos voltou a atacar com força, em busca do gol da vitória. As principais tentativas aconteceram em lances de bola aérea e em cobranças de faltas e escanteios.

E foi justamente em um lance desses que o time brasileiro chegou ao gol da virada. Aos 25min, após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Robinho, que dominou sozinho dentro da área e chutou no ângulo direito do Danúbio.

Aos 41min, veio a última tentativa do Danúbio. Após cobrança de falta na área, o zagueiro brasileiro Vieira cabeceou bola indefensável para o goleiro Mauro.

No minuto seguinte ao gol de empate, quando o empate parecia ser o resultado final, o Santos ainda conseguiu reagir. Depois de invadir a área, Robinho foi derrubado pelo goleiro Barbat e o juiz argentino Gabriel Brazenas marcou o pênalti. Na cobrança, Ricardinho marcou o terceiro.


SANTOS
Mauro; Paulo César (Flávio), Domingos, Ávalos e Léo; Bóvio, Tcheco (Basílio), Ricardinho e Fábio Baiano (Fernando Diniz); Robinho e Deivid
Técnico: Oswaldo de Oliveira

DANÚBIO
Barbat; Cafu Barbosa, Vieira, Melo e Lima; Pellejero (Silva), Pouso, Gargano; Gonzalez; Risso e Salgueiro (Ortiz)
Técnico: Gerardo Peluzzo

Local: estádio Urbano Caldera, a Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Gabriel Brazenas (Argentina)
Auxiliares: Oscar Sequeira (Argentina) e Claudio Rossi (Argentina)
Cartões amarelos: Cafu (D), Lima (D), Pouso (D), Deivid (S), Basílio (S) e Flávio (S)
Gols: Gonzalez (D), aos 16seg do primeiro tempo, Léo (S), aos 38min do primeiro tempo, Robinho (S), aos 25min do segundo tempo, Vieira (D), aos 41min do segundo tempo e Ricardinho (S), aos 44min do segundo tempo, de pênalti

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias