! São Paulo vence U. de Chile e mantém tabu de 18 anos - 09/03/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  09/03/2005 - 23h36
São Paulo vence U. de Chile e mantém tabu de 18 anos

MBPress
Em São Paulo

NOITE QUENTE

Lugano deu início ao ritmo frenético...


...que ganhou força com dois gols de Gioino (d)


Mas Rogério Ceni, cobrando falta...


... e Cicinho, que comemora gol de cabeça...


...tranquilizaram o exigente torcedor são-paulino
O "cascudo" São Paulo conquistou sua primeira vitória na Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira, com o estádio do Morumbi lotado, a equipe tricolor venceu a Universidad de Chile por 4 a 2 e assumiu a liderança do Grupo 3 com quatro pontos.

Além de confirmar a invencibilidade são-paulina nesta temporada, a vitória desta noite ajudou a equipe do técnico Emerson Leão a manter um tabu que já dura 18 anos: o de não perder em casa pela competição sul-americana.

A última derrota do São Paulo no Morumbi pela Libertadores aconteceu no dia 8 de maio de 1987, quando o clube foi derrotado pelo também chileno Colo Colo por 2 a 1. O gol tricolor na ocasião foi marcado pelo atacante Muller.

Desde então, o tricolor participou de mais quatro edições (1992, 1993, 1994 e 2004), somando um total de 22 partidas. Destas, o São Paulo venceu 19 e empatou três.

Mas não é apenas na competição internacional que a equipe são-paulina está sem perder diante da sua torcida. Contando o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana de 2004 e o Paulistão deste ano, o time não perde em casa desde setembro do ano passado.

A Universidad de Chile, por sua vez, conseguiu acabar com apenas um tabu dos dois que a perseguem: o de não marcar gols contra o tricolor. Em três partidas, antes deste 4 a 2, o time chileno havia perdido dois por 2 a 0 e empatado um por 0 a 0. Por outro lado, a equipe segue sem ganhar do time brasileiro.

O São Paulo volta a campo no próximo sábado, dia 12, quando enfrenta o Rio Branco, no estádio do Morumbi. A partida será válida pela 12ª rodada do Campeonato Paulista, competição da qual o tricolor é líder isolado [e invicto] com 29 pontos.

Pela Copa Libertadores da América, a equipe do técnico Emerson Leão joga de novo apenas na quarta-feira, dia 16. O adversário será o Quilmes, na Argentina.

O jogo
O São Paulo entrou em campo na noite desta quarta-feira com total apoio de sua torcida, que lotou o estádio do Morumbi para ver a primeira partida da equipe em casa na Copa Libertadores da América de 2005 - na estréia, em La Paz, o tricolor empatou por 3 a 3 com o The Strongest.

Com três novidades em relação ao time que enfrentou o Paulista no último domingo pelo campeonato estadual (Cicinho e Mineiro cumpriram suspensão e Fabão se recuperou de lesão), os comandados do técnico Emerson Leão começaram pressionando a Universidad do Chile.

LEÃO FAZ MEA CULPA
Em dois jogos na Libertadores-2005, o São Paulo já sofreu quatro gols. O técnico Emerson Leão assume ter responsabilidade pela marca. "Eu sou em parte culpado pelos erros defensivos do São Paulo. Mas é porque a torcida não quer um time com a melhor defesa e sem títulos, ela quer um time campeão. Aumentamos o número de gols sofridos, mas melhoramos o poder ofensivo", diz Leão, em referência aos sete gols em dois jogos nesta edição da competição. Leia mais.
Tanto que logo aos 2min o São Paulo abriu o placar. Após cobrança de escanteio da esquerda, o o atacante Grafite cabeceou e acertou a trave. No rebote, Cicinho cruzou para Luizão, que, em posição duvidosa, ajeitou para Lugano marcar de cabeça.

Percebendo o ímpeto ofensivo da equipe brasileira, o time chileno também foi para cima do adversário. Principal jogador do clube chileno, o atacante Gioino avançou pelo meio aos 4min e chutou forte da entrada da área e Rogério Ceni fez ótima defesa.

Dois minutos depois, porém, Gioino não desperdiçou. Após cobrança de escanteio pela direita, Lucas desviou de cabeça e o atacante chutou da pequena área para empatar.

O São Paulo não se intimidou com o gol de empate e manteve sua disposição tática. Aos 11min, por exemplo, o meia Danilo deu bom passe para Grafite, que foi travado por um zagueiro na hora do chute.

Aos 20min, Danilo fez ótima jogada pelo meio e sofreu falta. Na cobrança, o goleiro Rogério Ceni acertou o ângulo direito de Herrera e colocou mais uma vez o São Paulo em vantagem.

Um minuto depois, porém, o tricolor sofreu uma baixa. O atacante Luizão sentiu uma lesão muscular na coxa direita e deixou o campo, visivelmente chateado, para a entrada de Marco Antonio.

Com ausência do atacante, a equipe do técnico Emerson Leão diminuiu seu ritmo ofensivo e passou a ter dificuldade para furar o bloqueio da zaga da Universidad de Chile, que novamente empatou aos 38min, quando Edcarlos falhou feio e tocou para Gioino marcar mais um.

Preocupado com o empate dentro de casa, o São Paulo foi recuperando seu ritmo de jogo aos poucos. Mas só aos 47min conseguiu ficar à frente do placar mais uma vez. Após bom cruzamento de Danilo, o lateral-direito Cicinho subiu na segunda trave e marcou de cabeça.

No segundo tempo, o técnico Emerson Leão manteve a mesma formação que terminou a etapa inicial. O treinador Héctor Pinto, da Universidad, no entanto, sacou o atacante Rivarola e escalou Canio.

Logo aos 4min, o São Paulo ganhou um presente, mas que não pôde ser aberto. O goleiro Herrera cobrou mal o tiro de meta e a bola caiu nos pés de Grafite, que chutou para o gol e o camisa 1 do time chileno defendeu. Antes disso, porém, o árbitro havia parado a jogada porque o são-paulino pegou a bola dentro da grande área, o que no caso não é permitido.

Melhor em campo, o time do Morumbi pressionou o adversário no seu campo de defesa. E aos 11min, aliás, quase ampliou. O meia Marco Antonio recebeu a bola na direita na grande área, dominou no peito e chutou cruzado. A bola passou perto da trave direita de Herrera.

De tanto insistir, o tricolor chegou ao quarto gol aos 19min, quando o meia Danilo deu ótimo lançamento para o atacante Grafite, que chutou de primeira de perna direita, sem chance de defesa para o goleiro Herrera, da Universidad de Chile.

Depois disso, o técnico Emerson Leão resolveu ceder aos pedidos da torcida e colocou Falcão no lugar de Danilo. Só que o panorama da partida continuou o mesmo e o São Paulo venceu mesmo por 4 a 2.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Lugano, Fabão e Edcarlos (Renan); Cicinho, Josué, Mineiro, Danilo (Falcão) e Júnior; Grafite e Luizão (Marco Antonio)
Técnico: Emerson Leão

UNIVERSIDAD DE CHILE
Herrera; Santibáñez, Ponce, Lucas e Rojas; Martínez, Ormazábal, Pinto e Riveros (Olea); Gioino e Rivarola (Canio)
Técnico: Héctor Pinto

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)
Auxiliares: Martín Vasquez e Pablo Fontino (ambos do Uruguai)
Cartões amarelos: Josué (SP)
Gols: Lugano, aos 2min, Gionio, aos 6min, Rogério Ceni, aos 20min, Gioino, aos 38min, e Cicinho, aos 47min do primeiro tempo; Grafite, aos 19min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias