! São Paulo goleia e consolida invencibilidade - 19/03/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  19/03/2005 - 17h55
São Paulo goleia e consolida invencibilidade

MBPress
Em São Paulo

GOLEADA NO MORUMBI

Júnior marca logo aos 2min


Danilo (esq) amplia uma vez


outra e, ainda no 1º tempo,


São Paulo garante a vitória


Grafite amplia no 2º tempo;


Rogério, de falta, faz o 6º


e ergue a Taça dos Invictos
O São Paulo conquistou neste sábado o primeiro título da temporada. Com uma sonora goleada sobre o Marília, 6 a 0, a equipe dirigida por Emerson Leão alcançou 13 partidas de sem perder no Campeonato Paulista e faturou a Taça dos Invictos.

A goleada ainda coroa a excelente fase vivida pelo São Paulo. Afinal, o time do Morumbi ainda não perdeu nesta temporada. O último insucesso aconteceu no dia 19 de dezembro de 2004, quando o Goiás venceu o time de Leão por 2 a 0 no Serra Dourada.

Diante do Marília, o retrospecto do São Paulo é ainda mais contundente. O time da capital nunca perdeu jogando no Morumbi. Além disso, venceu 22 dos 30 confrontos entre as duas equipes.

E o Marília estava invicto há sete partidas. A última derrota do time do interior havia acontecido no dia 5 de fevereiro, 4 a 2 para o América, em Rio Preto.

Neste sábado, o São Paulo conseguiu a maior goleada do Campeonato Paulista. Dono do melhor ataque do torneio, agora com 40 gols marcados, o time do Morumbi é o primeiro a marcar seis de diferença (antes disso, o placar mais elástico havia sido a vitória do Corinthians por 6 a 1 sobre o União São João).

Individualmente, o São Paulo teve como grande destaque no primeiro tempo o camisa 10 Danilo. O meia aproveitou a superioridade dos donos da casa e marcou dois gols em lances de muita habilidade.

"O Leão pediu para arriscar sempre que houver espaço e foi isso que eu tentei fazer. Fui muito feliz nas conclusões e fico feliz por ter ajudado a minha equipe", contou Danilo.

Além de Danilo, o meia Marco Antônio também chamou atenção. O jogador foi o principal articulador do São Paulo no segundo tempo e ainda marcou um belo gol em uma cobrança de falta.

Em contrapartida, o centroavante Diego Tardelli ficou devendo. Artilheiro do Campeonato Paulista com dez gols, o jogador passou em branco na goleada.

A mesma situação viveu o argentino Frontini, jogador do Marília, que também marcou dez vezes neste Campeonato Paulista. O camisa 9 pouco produziu em campo e não criou sequer um lance de perigo para o goleiro Rogério Ceni.

Com a goleada deste sábado, o São Paulo está cada vez mais próximo do título do Campeonato Paulista. A equipe de Leão soma agora 35 pontos, oito à frente do vice-líder Santos (que tem um jogo a menos).

E o Marília, com esta derrota, perde a chance de encostar nos líderes do Estadual. A equipe do interior estaciona nos 20 pontos e cai para a sexta colocação. No domingo, com o complemento da rodada, ainda pode despencar mais.

FABÃO ACUSA RIVAL DE RACISMO
Após a vitória, o zagueiro Fabão, do São Paulo, afirmou que o atacante argentino Frontini, do Marília, cometeu racismo contra ele durante a partida. "Ele me xingou e me chamou de macaco. O Edcarlos e o Júnior viram. Foi um ato totalmente preconceituoso", disparou o defensor. O companheiro de defesa de Fabão, Edcarlos, confirmou as acusações a Frontini. "Ele chamou de macaco sim. Infelizmente, nem todo mundo entra em campo preocupado só em jogar futebol. Isso é lamentável". Leia mais
O São Paulo volta a campo na próxima terça-feira, dia 22 de março. A equipe comandada por Emerson Leão viaja até Campinas e encara o Guarani às 20h30. Na quarta, O Marília recebe a Ponte Preta no Estádio Municipal Bento de Abreu, também às 20h30.

O jogo
Uma lesão muscular tirou o volante Josué do São Paulo neste sábado. E por mais incrível que isso possa parecer, a ausência de um dos principais destaques melhorou o rendimento do meio-campo da equipe dirigida por Emerson Leão.

Tudo porque, com a entrada de Renan, Mineiro ganhou mais liberdade para avançar. Assim, o meio-campista se transformou em uma das principais armas ofensivas do São Paulo.

Logo na primeira investida de Mineiro, o São Paulo abriu o placar. A 1min, o camisa 7 carregou pela direita e fez lindo lançamento na frente para Danilo. O camisa 10 girou o corpo e cruzou rasteiro para Júnior, que bateu de pé direito para marcar.

Com Mineiro aberto pela direita, o São Paulo ainda ganhou outra importante arma: Cicinho, amparado pelo camisa 7, pôde avançar tranqüilamente. Foi assim aos 13min, quando o lateral tabelou com Marco Antônio e lançou para Grafite. O centroavante bateu de primeira, de pé direito, e mandou por cima.

A movimentação do meio-campo do São Paulo e as constantes trocas de posição entre os atletas da equipe de Emerson Leão deixaram o Marília completamente perdido em campo. O único jogador sensato da equipe do interior era o meia Éder, que mostrou muita qualidade técnica.

Aos 13min, o camisa 10 lançou na esquerda para Bruno Soares. O meia ganhou da marcação, levou a bola para a linha de fundo e cruzou rasteiro, mas Frontini chegou atrasado e não conseguiu completar.

Mais equilibrado em campo, o São Paulo voltou a assustar aos 16min. Mineiro roubou a bola no meio, tabelou com Grafite e recebeu de frente para a meta. O camisa 7 arriscou de fora da área e o chute passou muito perto da trave direita do goleiro Bruno.

A pressão do São Paulo teve seqüência aos 21min. Marco Antônio recebeu no meio e abriu na direita para Grafite. O camisa 9 deixou a bola tocar no gramado e chutou de primeira, de pé direito. O goleiro Bruno ainda conseguiu desviar, mas a bola tocou no travessão antes de sair.

O Marília estava atordoado. Prova disso é que o São Paulo teve nova oportunidade aos 22min. Marco Antônio cobrou escanteio da direita, Fabão tocou de cabeça no primeiro pau e Diego Tardelli quase conseguiu completar para o gol.

O único jogador apagado no meio-campo do São Paulo era o camisa 10 Danilo. Era. Aos 33min, ele dominou de frente para Juninho, cortou para o meio e bateu colocado. A bola entrou no ângulo esquerdo de Bruno, que nada pôde fazer.

O São Paulo ainda teve uma chance de ampliar a vantagem no primeiro tempo. E mais uma vez, em uma investida de Mineiro. O camisa 7 tocou para Grafite e o centroavante acertou linda devolução para o volante. Dentro da área, ele tocou por cima do goleiro Bruno e acertou a trave esquerda.

Mas o time da casa só conseguiu ampliar a vantagem quando a bola caiu nos pés do camisa 10 Danilo. Num lance parecido com o do segundo gol, o meia recebeu na entrada da área. Desta vez, driblou Umberto duas vezes e arriscou de pé direito. A bola desviou na defesa e enganou no goleiro Bruno, que caiu para o canto errado.

Com a vantagem estabelecida no primeiro tempo, o São Paulo diminuiu o ritmo depois do intervalo. A equipe da casa preferiu impedir as descidas do Marília e trocar passes para administrar o tempo.

E se não chegava com a bola rolando, o São Paulo contou com as faltas para sepultar qualquer possibilidade de reação do Marília. Aos 6min, Marco Antônio cobrou falta da intermediária. O chute entrou no canto direito de Bruno, que não conseguiu segurar.

Dois minutos depois, Marco Antônio voltou a assustar. O meia cobrou falta de muito longe e desferiu um chute muito forte. A bola explodiu no travessão de Bruno e saiu.

Sem o mesmo brilhantismo do primeiro tempo, o São Paulo seguiu trocando passes. E aí, contou com a habilidade de Grafite. O camisa 9 recebeu na direita aos 21min, jogou a bola entre as pernas de Beto, invadiu a área em diagonal e tocou entre as pernas de Bruno.

Depois disso, o técnico Luís Carlos Martins tirou o meia Bruno Soares e colocou o zagueiro Vladimir em campo. A modificação retraiu o Marília e deu ainda mais espaços para o meio-campo do São Paulo trabalhar.

Com isso, o volante Renan pôde conduzir a bola aos 25min até ser derrubado por Jéferson na meia esquerda. A cobrança da falta coube ao goleiro Rogério Ceni, que mostrou muita categoria e colocou no ângulo direito de Bruno.

Pronto, o jogo estava definido. Até o final, o São Paulo apenas trabalhou a bola e administrou a vantagem construída. O Marília, inofensivo, pouco fez para complicar a vida dos donos da casa.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Cicinho (Daniel Rossi), Fabão, Edcarlos e Júnior (Fábio Santos); Mineiro, Renan, Marco Antônio e Danilo (Alê); Grafite e Diego Tardelli
Técnico: Emerson Leão

MARÍLIA
Bruno; Juninho (Sérgio Manoel), César, Beto e Cláudio; Jéferson, Umberto, Bruno Soares (Vladimir) e Éder (Ricardinho); Wellington Amorim e Frontini
Técnico: Luís Carlos Martins

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Bernardino Demonico Junior (SP)
Auxiliares: Giovani César Canzian e Osny Antônio Silveira (ambos de SP)
Cartões amarelos: Beto (M), Frontini (M), César (M)
Cartão vermelho: Ricardinho (M)
Gols: Júnior, a 1min; Danilo, aos 33min e aos 46min do primeiro tempo; Marco Antônio, aos 6min; Grafite, aos 21min; Rogério Ceni, aos 25min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias