! São Paulo vence Guarani e põe mão na taça - 23/03/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  23/03/2005 - 23h38
São Paulo vence Guarani e põe mão na taça

MBPress
Em São Paulo

O São Paulo está com uma mão na taça do Campeonato Paulista. Com a vitória desta quarta-feira por 2 a 1, de virada, sobre o Guarani, fora de casa, e a derrota do Santos no ABC, a equipe do Morumbi pode conquistar a competição já no sábado, contra o Santo André, em casa.

Fernando Donasci/Folha Imagem 
Grafite comemora gol que garantiu a vitória do São Paulo em Campinas
Para que isso aconteça, no entanto, a equipe do técnico Emerson Leão precisa conquistar mais um triunfo e torcer por outro tropeço da equipe da Vila Belmiro, que recebe a lanterna Inter de Limeira na próxima rodada -a diferença entre o tricolor e o alvinegro, agora, é de dez pontos.

Este possível tropeço do Santos não seria apenas uma nova derrota, mas também um empate. Neste caso, o time do Morumbi ficaria com cinco vitórias a mais do que o rival e poderia ser igualado apenas no número de pontos, e não no primeiro critério de desempate. O São Paulo também precisaria torcer por tropeço do Corinthians, que ainda "respiraria", se ganhar no sábado do União Barbarense.

Dessa maneira, o projeto do São Paulo de levantar a taça no clássico contra o Santos, que será realizado na Vila, no dia 3 de abril, pode ser melado.

DOIS LADOS
O São Paulo está entre a euforia e a cautela depois da vitória sobre o Guarani, resultado que deixou o time 10 pontos à frente do vice-líder Santos.

"As coisas melhoraram bastante, mas ainda não está definido. No ano passado, eu ouvi um monte de gente quebrar a cara com o Atlético-PR, que estava cinco pontos à frente do Santos e perdeu o título. Estamos apenas numa condição muito boa", disse o comedido técnico Emerson Leão.

Do outro lado, o superintendente de futebol do clube, Marco Aurélio Cunha, já entende que a conquista do título paulista está sacramentada. "O São Paulo está igual a um novo pai. Sabe que o filho vai nascer, mas só não sabe quando. O título é nosso, mas ainda não tem data definida."
Além de aumentar sua vantagem sobre o segundo colocado e manter a invencibilidade na temporada, o tricolor manteve um tabu diante do Guarani. A equipe não perde para o rival campineiro desde 18 de maio de 1997, quando perdeu por 2 a 0 em Campinas.

Desde então, São Paulo e Guarani se enfrentaram 18 vezes [contando a partida desta quarta], com 13 vitórias do time de Leão e cinco empates.

O destaque tricolor no confronto desta noite foi o atacante Grafite. O jogador deu uma excelente assistência para Marco Antonio no gol de empate e ainda marcou o gol da virada.

"Conseguimos uma vantagem maior rumo ao título, mas vamos deixar a euforia com a torcida e continuar trabalhando a passos largos pela conquista", disse Grafite ainda no gramado do Brinco de Ouro da Princesa.

Do lado do Guarani, a derrota significou o fim de uma seqüência invicta de 13 jogos como mandante. Antes de cair diante do São Paulo, o time de Jair Picerni só havia perdido no dia 2 de outubro do ano passado, quando perdeu para o Santos no Campeonato Brasileiro.

O jogo
Molhado, bastante molhado. Assim foi o primeiro tempo da partida entre Guarani e São Paulo na noite desta quarta-feira. Com as fortes chuvas que atingiram Campinas nos minutos iniciais do jogo, o gramado do estádio Brinco de Ouro ficou cheio de poças d'água.

Nos primeiros dez minutos de confronto, apenas um lance chamou a atenção. Aos 4min, o atacante Diego Tardelli, em um gesto de gentileza, amarrou as chuteiras do goleiro Jean, do time campineiro. Fora isso, ambas as equipes nada criaram nesse período.

Aos poucos, o São Paulo começou a descobrir os atalhos do gramado e passou a pressionar o Guarani em seu campo de defesa. No entanto, os atacantes tricolores não conseguiram chutar sequer uma bola com perigo ao gol de Jean.

O lance mais emocionante da etapa inicial saiu dos pés do meia Héverton, do Guarani. Aos 11min, após boa tabela com Tucho, ele chutou cruzado e obrigou Rogério Ceni a fazer boa defesa.

Depois disso, ambas as equipes travaram um duelo com a água e não conseguiram criar boas oportunidades de gol. O que se viu, então, foi uma série de balões para área, que foram facilmente cortados pelas zagas do time da capital e do interior.

"Está difícil. A bola pára [nas poças] toda hora. Assim fica difícil o passe, daí temos que levantar a bola e jogar na área. Não tem outro jeito", declarou Junior no intervalo da partida.

No segundo tempo, os técnicos Jair Picerni, do Guarani, e Emerson Leão, do São Paulo, mantiveram as mesmas formações que terminaram a primeira etapa. A única mudança foi no tempo, já que a chuva deu uma trégua.

Apesar do gramado menos molhado e de terem mais espaços para criarem suas jogadas, tricolor e alviverde não conseguiram criar boas jogadas nos primeiros minutos da etapa final. A equipe local, no entanto, mostrou mais vontade.

Tanto que aos 11min abriu o placar. Após cobrança de falta cruzada da esquerda de Tucho, o zagueiro Juninho desviou com as costas e colocou o Guarani em vantagem.

A alegria do time campineiro, porém, durou pouco. Aos 15min, o atacante Grafite fez boa jogada pela esquerda e cruzou para o meia Marco Antonio, livre, desviar para o fundo do gol.

O São Paulo conquistou a virada aos 25min. O goleiro Rogério Ceni deu um chutão para frente e a bola sobrou para Grafite, que avançou até a área e tocou na saída do goleiro Jean.

Depois de sofrer com uma leve pressão do time alviverde, o tricolor do Morumbi teve uma ótima oportunidade de ampliar, mas Diego Tardelli desperdiçou um pênalti aos 42min. Esta foi a segunda vez que ele perde uma cobrança no Paulistão. Antes, o erro foi contra o Rio Branco.

O gol, porém, acabou não fazendo falta ao São Paulo.

GUARANI
Jean; Mariano, Paulo André, Juninho (Nilson Sergipano) e Adauto; Careca, Marcos Paulo, Héverton e Tucho; Catatau e Roncatto
Técnico: Jair Picerni

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Cicinho (Daniel Rossi), Fabão, Edcarlos e Júnior (Fábio Santos); Mineiro, Renan, Marco Antônio (Alex) e Danilo; Diego Tardelli e Grafite
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Paulo Sérgio Breghiroli
Cartões amarelos: Héverton (G), Catatau (G), Jean (G), Danilo (SP)
Gols: Juninho, aos 11min, Marco Antonio, aos 15min, e Grafite, aos 25min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias