! Imbatível em casa, São Paulo assume a ponta - 13/04/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  13/04/2005 - 23h39
Imbatível em casa, São Paulo assume a ponta

MBPress
Em São Paulo

O São Paulo segue imbatível no Morumbi. O time dirigido por Emerson Leão recebeu o Quilmes nesta quarta-feira e venceu por 3 a 1. Com isso, alcançou 23 partidas válidas pela Libertadores sem conhecer um resultado negativo em seu estádio. O ponto negativo foi a atitude racista do zagueiro Desábato contra o centroavante Grafite. O camisa 9 da equipe brasileira foi expulso (junto com o meia Arano) e o caso acabou no 34º Distrito Policial da Vila Sônia.

A última derrota do São Paulo na Libertadores jogando no Morumbi aconteceu no dia 8 de maio de 1987, 2 a 1 para o Colo Colo.

NOVO LÍDER

Em partida tumultuada...


Tardelli faz gols em triunfo


sacramentado por Cicinho

Além disso, o técnico Emerson Leão também ostenta excelente aproveitamento no Morumbi. Sob seu comando, o São Paulo perdeu apenas duas partidas em casa (para o Coritiba, no Brasileiro do ano passado, e para a Portuguesa, no Paulistão 2005).

E o São Paulo mantém um tabu favorável contra times argentinos. Nas sete partidas que disputou contra equipes daquele país como mandante, o time do Morumbi conquistou sete vitórias.

De quebra, o resultado desta quarta-feira encerra uma seqüência negativa do São Paulo. O time paulista não vencia há três partidas (derrotas para Portuguesa e Ponte Preta por 2 a 1 e empate por 0 a 0 com o Santos).

Neste período, apesar dos resultados negativos, o São Paulo conquistou o Campeonato Paulista. A taça foi garantida com a igualdade diante do Santos e a festa ocorreu no Morumbi, no último sábado, quando o time de Leão perdeu para a Ponte Preta.

A vitória desta quarta-feira, aliás, é fundamental para o São Paulo. Afinal, com este resultado, o time de Emerson Leão assume a liderança do Grupo 3 da Libertadores. Agora, a equipe paulista soma oito pontos e ultrapassa o Universidad do Chile, que fica com sete.

Para o Quilmes, o resultado desta quarta-feira faz com que uma vaga nas oitavas-de-final da Copa Libertadores fique muito longe. O time argentino estaciona nos quatro pontos e, com apenas mais duas rodadas para o término da primeira fase, tem três de desvantagem para o vice-líder Universidad do Chile.

Com os três gols marcados nesta quarta-feira, o São Paulo ainda se consolidou como melhor ataque da Copa Libertadores 2005. O time paulista marcou 12 vezes em quatro jogos, média de três tentos a cada 90 minutos.

Nesta quarta-feira, os dois primeiros gols do São Paulo foram marcados pelo centroavante Diego Tardelli. O camisa 19, que havia balançado as redes adversárias apenas uma vez no torneio sul-americano, chega a três e empata com Grafite na liderança dos goleadores do time paulista.

Ao contrário de Diego Tardelli, Grafite viveu uma noite tensa. O centroavante disse ter recebido ofensas racistas durante o primeiro tempo, repetição do que havia acontecido no primeiro confronto entre as equipes (empate por 2 a 2 no dia 16 de março, na Argentina).

Aos 45min, Grafite se revoltou com os xingamentos. O camisa 9 do São Paulo dividiu uma bola com Arano e os dois jogadores foram expulsos. Antes de receber o cartão vermelho, o centroavante do São Paulo foi chamado de negro pelo zagueiro Desábato e respondeu com um empurrão na cara do defensor.

Na próxima rodada da Copa Libertadores, o São Paulo viaja a Santiago para encarar no Universidad do Chile, no dia 21 de abril (quinta-feira), às 22h30. O adversário do time paulista perdeu apenas uma partida no torneio sul-americano de 2005, exatamente para o clube do Morumbi (4 a 2 em São Paulo).

O Quilmes terá mais tempo de descanso. O próximo compromisso do time argentino pela Copa Libertadores acontecerá no dia 28 de abril, em La Paz, contra o The Strongest, que somou apenas dois pontos nos quatro primeiros jogos do torneio sul-americano.

Antes de se preocupar com a Copa Libertadores, contudo, o São Paulo ainda tem mais um compromisso pelo Campeonato Paulista. Com o título assegurado, o time dirigido por Emerson Leão entra em campo no próximo domingo, em Mogi Mirim, contra o Mogi Mirim.

O jogo
Em casa, o São Paulo optou por pressionar a saída de bola do Quilmes desde o início do confronto desta quarta-feira. No entanto, com apenas Danilo responsável pela armação das jogadas, a equipe paulista sentiu falta de criatividade no meio-campo.

Prova disso é que a primeira oportunidade de gol do São Paulo aconteceu em um chute de longa distância. Josué teve liberdade para avançar aos 2min e tentou de fora da área. A bola passou à esquerda de Pontiroli.

Melhor em campo, o São Paulo só passava apuros em faltas nas laterais. Isso porque o técnico Emerson Leão optou por fazer uma linha de impedimento nos cruzamentos e os defensores estiveram longe da perfeição nesta tática.

Foi assim aos 6min, quando o centroavante Osorio recebeu cruzamento dentro da área e concluiu de primeira. No entanto, o árbitro Martín Vazquez anulou o lance alegando impedimento.

Animado por este lance de perigo, o Quilmes chegou novamente com perigo aos 8min. Rueda lançou Arano na esquerda e ele inverteu o jogo para Osorio. Dentro da área, o atacante concluiu de primeira e mandou a bola perto da trave esquerda de Rogério Ceni.

Aos 11min, em nova cobrança de falta, o Quilmes balançou as redes do São Paulo. Como em todos os cruzamentos, a bola encontrou Osorio dentro da pequena área e o atacante desviou de Rogério Ceni. Porém, mais uma vez, Martín Vazquez alegou impedimento e invalidou o lance.

O São Paulo só respondeu aos 19min, também em uma bola parada. Cicinho chutou da meia esquerda, Edcarlos não conseguiu desviar de cabeça e Pontiroli caiu para o canto esquerdo para defender.

Sem qualquer lampejo de criatividade, o São Paulo só chegava em cobranças de falta. Aos 24min, Cicinho levantou para a área e encontrou Fabão. O defensor tocou de cabeça e obrigou Pontiroli a praticar difícil intervenção.

A melhor oportunidade do São Paulo, contudo, aconteceu aos 25min. Júnior aproveitou uma falta na ponta direita e bateu muito fechado, rasteiro. Pontiroli, que saía para cortar o cruzamento, conseguiu voltar e segurar.

Quando conseguiu criar uma jogada com a bola rolando, o São Paulo chegou ao primeiro gol. Diego Tardelli carregou a bola pela direita e cruzou rasteiro. Mineiro desviou no primeiro pau e Pontiroli espalmou. No rebote, o goleiro dividiu com Grafite e Cicinho e a bola sobrou para o próprio Tardelli dentro da pequena área. O camisa 19 chutou de primeira, de pé direito, e inaugurou o marcador.

Depois do gol, o São Paulo esboçou uma ascensão em campo. Aos 37min, Cicinho arrancou com a bola dominada e tentou o chute de fora da área. A bola passou à direita de Pontiroli, muito perto da trave.

Entretanto, este foi o único lance de perigo do São Paulo até o término do primeiro tempo. O confronto, sem qualidade técnica, só teve emoção aos 45min. Grafite dividiu uma bola com Arano e os dois foram expulsos. O centroavante do São Paulo ainda foi chamado de negro pelo zagueiro Desábato e respondeu com um empurrão no rosto do argentino.

Com dois homens a menos em campo, o segundo tempo mostrou mais espaços para os ataques das duas equipes trabalharem. E quem aproveitou melhor esta vantagem foi o São Paulo.

Logo aos 4min, em contra-ataque puxado por Danilo, Mineiro recebeu no meio e lançou na direita para Diego Tardelli. O camisa 19 chutou forte e mandou a bola à esquerda do goleiro Pontiroli.

No minuto seguinte, Tardelli proporcionou outro lance de perigo. O camisa 19 desceu pela direita, assim como no primeiro gol, e tentou o cruzamento alto. Contudo, a bola pegou muito efeito e Pontiroli precisou desviar para a linha de fundo.

De tanto insistir, Diego Tardelli conseguiu fazer o segundo dele no jogo e ampliar a vantagem do São Paulo. Aos 9min, Josué roubou uma bola na meia esquerda e a sobra ficou com Danilo, que lançou de pé esquerdo. Dentro da área, Tardelli percebeu a saída de Pontiroli e bateu cruzado para marcar.

Melhor em campo, o São Paulo só não conseguiu manter a vantagem devido à insistente falha da defesa dos donos da casa. Aos 10min, a defesa do time do Morumbi fez linha de impedimento e errou. Almeyda recebeu o cruzamento na direita e ajeitou de cabeça para Rueda, dentro da pequena área, só completar com a coxa.

Mesmo com o gol, o rendimento do São Paulo não caiu. O time da casa seguiu melhor e quase ampliou a vantagem aos 15min. Josué fez linda jogada individual pelo meio e chutou de fora da área. Pontiroli fez linda defesa no ângulo direito e desviou para escanteio.

Depois disso, porém, o São Paulo diminuiu o ritmo. Os únicos jogadores que mantiveram o ímpeto do início do segundo tempo foram o lateral-direito Cicinho e o volante Josué. E foi exatamente Cicinho que cobrou falta muito perigosa aos 19min, no lado externo da rede de Pontiroli.

Mas a grande oportunidade do São Paulo aconteceu aos 29min. Danilo fez jogada individual pela esquerda e tentou o cruzamento. A bola pegou efeito e acertou o travessão do goleiro Pontiroli.

Aos 36min, o São Paulo ampliou graças a um chute de Rogério Ceni. O goleiro cobrou falta da meia esquerda, Pontiroli espalmou e o rebote ficou com Cicinho, que completou de pé direito para marcar.

Pronto, a vantagem do São Paulo estava definida. Daí em diante, o time da casa apenas trocou passes e, empolgado pelo som da torcida, esperou o apito final do árbitro Martín Vazquez.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Fabão, Edcarlos e Diego Lugano; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo (Renan) e Júnior; Grafite e Diego Tardelli (Luizão)
Técnico: Emerson Leão

QUILMES
Pontiroli; Nelson Vivas, Alayes, Desábato e Raúl Saavedra; Caneo, Matías Almeyda (Benítez), Andrés Pérez e Arano; Luis Rueda (González) e Aldo Osorio (Sanchez)
Técnico: Gustavo Alfaro

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Martín Vazquez (Uruguai)
Auxiliares: Fernando Cresci e Edgardo Acosta (ambos do Uruguai)
Público: 38703 pagantes
Renda: R$ 643.312,00
Cartões amarelos: Saavedra (Q), Vivas (Q), Danilo (S), Josué (S), González (Q), Cicinho (S), Fabão (S)
Cartões vermelhos: Grafite (S), Arano (Q)
Gols: Diego Tardelli, aos 31min do primeiro tempo; Diego Tardelli, aos 9min, Rueda, aos 10min, Cicinho, aos 36min do segundo tempo

Veja em vídeo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias