! Sem torcida, Santos estréia com goleada - 24/04/2005 - UOL Esporte - Futebol

UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  24/04/2005 - 20h03
Sem torcida, Santos estréia com goleada

MBPress
Em São Paulo

O atual campeão brasileiro estreou de forma inusitada na competição nacional. Longe da Vila Belmiro e com as arquibancadas vazias, o Santos venceu o Paysandu por 4 a 1 no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul e começou bem a disputa pelo bi.

Fernando Donasci/Folha Imagem 
Robinho e Deivid comemoram terceiro gol do Santos com Edmílson; veja as fotos
A vitória sobre o Paysandu deixou o time comandado pelo técnico Gallo entre os líderes do Campeonato Brasileiro. Ao término da rodada inicial, a primeira posição é dividida por Atlético-MG, Santos, Botafogo, Goiás, Fluminense, Coritiba e Ponte Preta.

O confronto entre paulistas e paraenses foi realizado no estádio do São Caetano, no ABC paulista, por conta de punição do Superior Tribunal de Justiça Deportiva (STJD) imposta ao time da baixada santista ainda na temporada 2004.

Em jogo contra o Corinthians pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro, realizado no estádio da Vila Belmiro, a torcida santista atirou objetos no gramado e, como punição, perdeu o mando das cinco partidas seguintes. Como só teve mais quatro jogos em casa, a última parte da punição foi cumprida somente agora.

Com uma atuação pouco inspirada, o Santos por pouco não complicou um jogo que poderia ter sido decidido ainda no primeiro tempo. Mesmo com domínio total do jogo na primeira etapa, o time fez apenas 2 a 1. E na etapa final, permitiu que o Paysandu chegasse com perigo, exigindo boas defesas do goleiro Henao.

O Santos volta a campo somente no próximo domingo, novamente pelo Campeonato Brasileiro. Na segunda rodada da competição, o time paulista enfrenta o Coritiba no estádio Couto Pereira, em Curitiba. Já o Paysandu recebe no estádio do Mangueirão, em Belém, o Fluminense, que neste domingo venceu o São Paulo por 2 a 1.

Silêncio
Para o elenco santista, a principal mudança provocada pela ausência do público foi no ânimo da equipe. "É difícil jogar sem o torcedor. Fica sem aquela empolgação. Mas temos que ser profissionais e tentar buscar a vitória do mesmo jeito", disse o atacante Deivid no intervalo da partida.

Já para a arbitragem e para os treinadores, o silêncio no estádio pareceu facilitar o trabalho. Atento aos gritos vindos do banco de reservas do Paysandu, o árbitro Cléver Assunção Gonçalves fez questão de deixar claro que estava ouvindo as reclamações e poderia punir quem exagerasse.

Os técnicos Gallo e Paulo Campos também tiveram mais facilidade do que normalmente para falar com seus jogadores em campo. Sem os gritos da torcida, nenhum atleta pôde alegar que não ouviu as orientações dos comandantes.

O jogo
Artilheiro do Santos no Brasileirão 2004 ao lado de Robinho, com 21 gols cada, o atacante Deivid não demorou nem cinco minutos para balançar as redes na edição 2005 da competição. Logo aos 4min, o goleiro Ronaldo tentou se livrar de bola recuada na área, mas o chute acabou acertando a cabeça de Deivid, que abriu o placar.

Depois do gol, o Santos passou a controlar a posse de bola, trocando muitos passes no meio de campo e sem permitir que o Paysandu fizesse qualquer ameaça ao gol de Henao. O time paulista, no entanto, também parou de criar e só voltou ao ataque aos 19min.

O volante Bóvio recebeu bola na entrada da área e tentou tocar para infiltração do atacante Deivid. No meio do caminho, contudo, a bola bateu na mão do zagueiro Tanajura e o pênalti foi marcado. Na cobrança, Robinho marcou o segundo do Santos chutando no canto esquerdo do goleiro Ronaldo.

A reação do Paysandu, porém, foi imediata. Aos 22min, o time paraense cobrou falta da esquerda com uma bola alçada na área santista e o zagueiro Leonardo, na tentativa de cabecear para escanteio, acabou marcando gol contra para os visitantes.

No restante da primeira etapa, o Santos voltou a abusar do toque de bola e o jogo seguiu sem muitas emoções. O Paysandu tentou chegar com cruzamentos para a área santista, mas os passes não encontraram o atacante Robson e a defesa afastou o perigo com facilidade.

A postura santista não mudou no início da segunda etapa, e com uma atitude mais ofensiva, o Paysandu ameaçou mais o gol defendido por Henao. Depois do intervalo, além das bolas cruzadas na área, a equipe paraense apostou também nos chutes de longa distância.

Contudo, foi o Santos que conseguiu chegar ao gol e decidiu a partida. Aos 24min, Bóvio e Ricardinho fizeram boa jogada pelo centro do campo de ataque. O capitão lançou Léo na esquerda e o lateral fez cruzamento para Edmílson marcar de cabeça.

Já nos acréscimos, o Santos ainda ampliou com o segundo gol de Deivid na partida. Depois de cruzamento da esquerda, o atacante tocou de cabeça para fechar a goleada do atual campeão por 4 a 1.

SANTOS
Henao; Paulo César, Leonardo, Ávalos e Léo; Fabinho, Bóvio, Zé Elias (Edmílson) e Ricardinho; Robinho e Deivid
Técnico: Gallo

PAYSANDU
Ronaldo; Alemão, Tanajura, Alex Pinho e Renatinho; Donizete Amorim, Vânderson, Jobson (Lecheva) e Rodriguinho (Rodrigo); Robson e Zé Augusto (Balão)
Técnico: Paulo Campos

Local: estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul (SP)
Árbitro: Clever Assunção Gonçalves (MG)
Auxiliares: Helberth Costa Andrade e Flamarion Sócrates da Silva (ambos de MG)
Cartões amarelos: Zé Augusto (P), Jóbson (P)
Gols: Deivid, aos 4min, Robinho, aos 20min, e Leonardo (contra), aos 22min do primeiro tempo; Edmílson, aos 24min, e Deivid, aos 45min do segundo tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias