! Gallo supera Leão e Santos vence o Palmeiras - 21/09/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  21/09/2005 - 23h45
Gallo supera Leão e Santos vence o Palmeiras

Da Redação
Em São Paulo

Campeão brasileiro em 2002 e vice da Libertadores em 2003, Emerson Leão deixou a Vila Belmiro com status de estrela. Por conta disso, a sombra do atual comandante do Palmeiras sempre atormentou Gallo, que dirige o Santos. Nesta quarta-feira, porém, o novato venceu o duelo particular dos treinadores e o time do litoral paulista superou a equipe alviverde por 2 a 1 dentro de casa, na 27ª rodada do Campeonato Brasileiro.

CENAS DO CLÁSSICO

Frontini faz o 1º do Santos


Saulo defende pênalti


Marcinho celebra empate


Basílio dá a vitória ao Santos

O Santos vencia por 1 a 0 no segundo tempo e o Palmeiras reagiu graças a duas alterações promovidas por Emerson Leão, que trocou os meias Juninho Paulista e Diego Souza por Pedrinho e Warley. Entretanto, o time da Vila Belmiro passou novamente à frente com um gol de Basílio, que Gallo colocou em campo na etapa final.

"Tive uma fase muito boa com o Leão e tenho ótimas recordações do período em que ele estava aqui. Fico feliz por ter conseguido decidir e manter o Santos na briga pelo título do Campeonato Brasileiro", comemorou Basílio, autor do gol da vitória dos donos da casa.

Este foi o primeiro confronto entre Gallo e Emerson Leão como treinadores desde que o atual comandante do Santos acusou o treinador do Palmeiras, então no São Paulo, de tentar "roubar" seu emprego. A rixa entre os dois ficou evidente no clássico desta quarta-feira, quando eles não trocaram sequer cumprimentos cordiais.

A vitória de Gallo sobre Leão mantém o Santos entre os líderes do Campeonato Brasileiro. O time da Vila Belmiro chega a 47 pontos e segue com três de desvantagem para o Internacional, líder do torneio nacional.

A situação do Palmeiras é pior. O time do Parque Antarctica, que havia sido derrotado apenas uma vez desde a chegada de Emerson Leão e ostentava três partidas de invencibilidade, estaciona nos 42 pontos e se distancia do pelotão de elite do Brasileiro.

"Assim como nós não ficamos deslumbrados quando ficamos sem perder, não podemos achar que esse resultado mostra que a nossa equipe é fraca. Ainda temos condições de evoluir bastante na tabela de classificação", garantiu o meia Juninho Paulista.

As duas equipes voltam a campo no domingo, ambas às 18h10. O Santos vai a Volta Redonda para encarar o Fluminense, no estádio Raulino de Oliveira, e o Palmeiras recebe o Goiás no estádio Parque Antarctica, em São Paulo.

O jogo
Mais bem distribuído em campo, o Santos começou melhor que o Palmeiras no duelo desta quarta-feira. O time da casa soube utilizar seus laterais e exerceu forte marcação sobre a saída de bola dos visitantes.

É FÁCIL?
O goleiro Saulo fez um desabafo após a vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Palmeiras, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Segundo ele, o meia Marcinho contribuiu para motivar o time do litoral paulista para o clássico.

"Ele disse que uma vitória do Palmeiras aqui seria normal. Vai perguntar para ele agora se ele entendeu o que é normal. Essa aqui é a nossa casa e não é normal ninguém ganhar aqui", disparou o camisa 1 do Santos.

Marcinho, mais calmo, repetiu o discurso que deixou Saulo irritado. "A única coisa que eu disse é que a nossa equipe tem condições de vencer o Santos aqui e que um triunfo nosso não seria uma surpresa. Viemos aqui para buscar o resultado e, infelizmente, não conseguimos", lamentou.
E foi exatamente por meio das laterais do gramado que o Santos chegou ao primeiro gol. Zé Elias apareceu pela esquerda aos 17min e cruzou no primeiro pau. Frontini se antecipou ao zagueiro Gamarra e tocou de cabeça para inaugurar o marcador.

"A marcação sobre o Ricardinho estava muito forte e eu tive um pouco mais liberdade para jogar, principalmente pelo lado esquerdo. Fico feliz porque conseguimos aproveitar esse espaço e transformar isso em gol", comemorou Zé Elias.

Em vantagem, o Santos se retraiu e deixou de marcar o Palmeiras como havia feito no início do confronto. O time visitante teve mais liberdade para tocar a bola em seu campo de defesa, equilibrou o duelo no meio e começou a criar oportunidades para marcar.

"Não foi nem uma mudança tática, mas uma mudança de postura. Começamos completamente apáticos e deixamos o Santos nos dominar. Mas conseguimos reagir e equilibrar a partida", contou o meia Juninho Paulista, do Palmeiras.

Só que as oportunidades criadas pelo Palmeiras esbarraram na grande atuação de Saulo. O goleiro do Santos, inspirado, defendeu até uma penalidade cobrada por Marcinho aos 42min da etapa inicial.

O domínio do Palmeiras persistiu também depois do intervalo. Assim como persistiu o brilho de Saulo. Do outro lado, Sérgio brilhou apenas uma vez. Aos 18min, Geílson cruzou da esquerda, Frontini desviou de cabeça e encontrou Ricardinho livre no meio. O camisa 8 tocou de primeira e o goleiro do Palmeiras, no reflexo, praticou a defesa.

Depois disso, o nível técnico do jogo caiu. Diante deste panorama, o técnico Emerson Leão lançou o Palmeiras ao ataque e colocou em campo Pedrinho e Warley. A ousadia foi premiada aos 30min. Daniel não dominou a bola e ela sobrou para Marcinho, que limpou a marcação e chutou de pé esquerdo para empatar a partida.

A reação do Palmeiras, contudo, durou pouco. Dois minutos depois do empate, Basílio aproveitou cruzamento da direita que Sérgio não cortou e tocou de cabeça para colocar o Santos novamente em vantagem.

SANTOS
Saulo; Paulo César, Rogério (Ávalos), Luís Alberto e Kleber; Zé Elias, Fabinho, Bóvio (Wendell) e Ricardinho; Frontini (Basílio) e Geílson
Técnico: Gallo

PALMEIRAS
Sérgio; André Cunha, Daniel, Gamarra e Baiano; Roger, Correa, Juninho Paulista (Pedrinho) e Diego Souza (Warley); Marcinho e Gioino
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (FIFA-SP)
Auxiliares: Valter José dos Reis e Ednilson Corona (ambos FIFA-SP)
Cartões amarelos: Zé Elias (S), André Cunha (P), Baiano (P), Rogério (S), Marcinho (P)
Gols: Frontini, aos 17min do primeiro tempo; Marcinho, aos 30min, Basílio, e aos 32min do segundo tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias