! Inter goleia desmotivado Santos e mantém sonho - 13/11/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  13/11/2005 - 20h04
Inter goleia desmotivado Santos e mantém sonho

Da Redação
Em São Paulo

O tempo é mais curto, mas o Internacional ainda sonha com o título do Campeonato Brasileiro. E para manter tais esperanças vivas, a equipe gaúcha fez sua parte na noite deste domingo e goleou o Santos por 4 a 0 no estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, com portões fechados. O jogo fechou a 38ª rodada.

Folha Imagem
Folha Imagem
Internacional mantém sonho do título com goleada sobre o Santos em jogo sem torcida
Diante de um Santos com poucos objetivos concretos e vítima de aparente desmotivação, o Inter não teve maiores dificuldades para conseguir o triunfo que o levou a 71 pontos na classificação. O time de Muricy Ramalho se mantém em segundo lugar e está a seis do líder Corinthians, restando quatro rodadas para o fim da competição.

"Soubemos aproveitar o momento do Santos, que não é dos melhores, e conseguimos alcançar uma grande vitória", comemorou o meia Perdigão. "Apesar do placar mais folgado, o jogo foi complicado", emendou.

No Santos, o clima ficou ainda mais tenso. Depois de ser humilhado na rodada anterior, quando foi goleado por 7 a 1 pelo arqui-rival Corinthians, o time paulista já descumpre a determinação de seu presidente, Marcelo Teixeira. Durante a semana, o dirigente cobrou cinco triunfos da equipe nas últimas cinco rodadas do Brasileiro.

A derrota ainda implica na pior seqüência da equipe litorânea desde o início do Nacional, em 1971. Pela primeira vez na história da competição, o Santos sofre quatro tropeços seguidos, já que vinha de resultados desfavoráveis contra Cruzeiro (1 x 2), Ponte Preta (1 x 2) e Corinthians (1 x 7).

Com 55 pontos e em oitavo lugar, o time de Nelsinho Baptista não briga por nada além de uma vaga na próxima Copa Sul-Americana, despedindo-se matematicamente das chances de voltar à Copa Libertadores em 2006.

TORCIDA PROTESTA NO ABC
Apesar do jogo contra o Internacional ter sido realizado com portões fechados, a torcida santista não perdeu a chance de protestar contra a diretoria do clube.

Depois da goleada sofrida para o Corinthians, o clima esquentou entre os torcedores alvinegros, que já contestavam as ações da cúpula diretiva.

Neste domingo, eles levaram faixas cobrando o presidente Marcelo Teixeira e exigindo melhor investimento do dinheiro resultante da venda de Robinho ao Real Madrid, da Espanha.

Um dos torcedores conseguiu invadir o estádio Anacleto Campanella, mas acabou preso pela polícia, devido à proibição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).
O Internacional, por sua vez, esquece um pouco a derrota para o Boca Juniors na última quinta-feira, quando foi eliminado nas quartas-de-final da Copa Sul-Americana com derrota por 4 a 1. Embora precise contar com a sorte e tropeços do Corinthians, a equipe gaúcha continua sua perseguição ao que seria seu quarto título do Brasileiro.

As duas equipes voltam a campo na noite desta quarta-feira. O Santos cumpre o terceiro jogo de suspensão da Vila Belmiro e recebe o Paraná no estádio do Pacaembu, na capital paulista, também com portões fechados. Já o Inter atua diante de sua torcida, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, contra o Brasiliense.

O jogo
As duas equipes começaram a partida de maneira parecida. Tentando fazer a ligação rápida entre defesa e ataque, Santos e Internacional mostraram postura ofensiva nos minutos iniciais, mas sem ameaçar muito as metas de Mauro e Clemer.

Pelos lados da equipe paulista, Geílson foi quem mais levou perigo ao gol gaúcho. Em sua primeira oportunidade, aos 17min, ele recebeu dentro da área e bateu com força, mas Tinga o prensou na hora do chute e desviou pela linha de fundo. Depois, ele completou cruzamento da direita de cabeça e assustou Clemer.

Já o Inter, com leve vantagem no meio-campo em termos de criação, chegou com mais facilidade à área santista, tendo dificuldade no momento das finalizações. Mesmo assim, conseguiu sair na frente no placar do Anacleto Campanella.

Aos 27min, Alex cobrou falta da entrada da área no canto direito baixo de Mauro, que, encoberto pela barreira "falsa" montada pelo time gaúcho, deixou a bola passar sob seus braços antes de furar a rede do gol santista.

O mesmo Alex ampliou a diferença dos gaúchos dez minutos mais tarde, em cobrança de pênalti. Rafael Sobis deu belo drible dentro da área sobre Giovanni e Luiz Alberto e acabou derrubado pelo zagueiro. Alex não desperdiçou a penalidade e marcou seu segundo gol no jogo.

No intervalo, Nelsinho Baptista tentou mexer com o brio da equipe fazendo duas alterações: ele colocou Luciano Henrique e Zé Elias, sacando Giovanni e Fabinho. As mexidas, no entanto, pouco surtiram efeito, principalmente devido à expulsão de Kléber aos 16min.

O lateral-esquerdo cometeu falta no meio-campo e foi punido com o amarelo. Nervoso, reclamou com o árbitro e recebeu o vermelho logo em seguida, deixando o Santos com um atleta a menos em campo. Se já estava perdido em igualdade numérica, o time paulista ficou ainda mais frágil.

Melhor para o Internacional, que passou administrar a vantagem com inteligência na etapa final. Sobrando em campo, a equipe gaúcha decretou a vitória aos 31min. Ceará arriscou de longe e Mauro deu rebote. Livre de maração, Rafael Sobis aproveitou a sobra e fez o terceiro.

O mesmo Rafael Sobis ainda teve tempo de fazer seu segundo gol no jogo. Aos 45min, após rápido contra-ataque, ele recebeu passe de Iarley, dominou com tranqüilidade e definiu a goleada gaúcha.

SANTOS
Mauro; Zé Leandro, Matheus, Luiz Alberto e Kleber; Fabinho (Zé Elias) (Bruno), Heleno, Wendel e Giovanni (Luciano Henrique); Pitbull e Geílson
Técnico: Nelsinho Baptista

INTERNACIONAL
Clemer; Ceará, Ediglê, Vinícius e Alex; Edinho, Gavilán, Tinga (Wellington) e Ricardinho (Márcio Mossoró); Fernandão (Iarley) e Rafael Sobis
Técnico: Muricy Ramalho

Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano (SP)
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (RS)
Auxiliares: José Ricardo Maciel Linhares (RS) e Robson Guijansque (RS)
Cartões amarelos: Luiz Alberto (S), Perdigão (I), Ceará (I), Zé Elias (S), Gavilán (I)
Cartão vermelho: Kleber (S)
Gols: Alex, aos 27min e aos 37min do primeiro tempo; Rafael Sobis, aos 31min e aos 45min do segundo tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias