! Dirigente entra em crise com Amoroso às vésperas da estréia - 12/12/2005 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  12/12/2005 - 08h56
Dirigente entra em crise com Amoroso às vésperas da estréia

Danilo Valentini
Enviado especial do UOL
Em Tóquio (Japão)

A dois dias da estréia no Mundial de Clubes da Fifa, o ambiente do São Paulo não é dos mais tranqüilos. Além da tensão natural que cerca os jogadores nas vésperas de uma competição importante, alguns incidentes estão contribuindo para aguçar a ansiedade geral.

EFE
EFE
Renovação de Amoroso vira problema para o São Paulo nas vésperas da estréia no Mundial
Um deles é a definição do futuro de Amoroso no clube. A diretoria tricolor mostrou irritação com a posição do jogador, que, segundo a avaliação do presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa, está "forçando a barra" por uma renovação de contrato.

Amoroso diz já ter um pré-contrato assinado como o FC Tokyo, e que apenas o pagamento de uma multa de US$ 500 mil quebraria o documento e possibilitaria ao São Paulo continuar a negociação para a renovação.

"Ninguém é obrigado a assinar nada se não quiser. A opção é dele. Parece que ele (Amoroso) está provocando um pré-contrato para ganhar uma multa. Isso não vai acontecer", comentou o presidente são-paulino sobre um dos principais jogadores do elenco.

O atacante, que chegou ao São Paulo na reta final da Libertadores, tem contrato até o dia 31 de dezembro. Após a conquista continental, Amoroso, através de seu procurador, o fisioterapeuta Nivaldo Baldo, tentou antecipar a renovação contratual, com a intenção de obter uma valorização. Na época, a diretoria evitou entrar na negociação.

Outra alternativa para o futuro de Amoroso é um retorno ao futebol europeu. Um representante de um clube francês deve conversar com o empresário do atacante para tentar atravessar o negócio com os japoneses.

"Se ele tem uma proposta boa, o São Paulo não tem condições de cobrir. Ele tem a liberdade de sair. Mas nós não vamos ficar dependendo disso", afirma Portugal Gouvêa.

Depois de revelar o pré-contrato com o FC Tokyo e, por tabela, exigir uma resposta do São Paulo, Amoroso tentou evitar o conflito com a diretoria.

"Penso apenas nos dois jogos, independente se vou ficar ou não. Não tenho um título mundial no meu currículo. Nada vai me fazer perder o controle", declara o jogador, que ainda diz que a prioridade para 2006 é ficar no São Paulo. "É uma questão de sentar na mesa e resolver", conclui.

Além da "questão Amoroso", outro assunto que mexe com o elenco do São Paulo às vésperas da estréia do Mundial de Clubes é a discussão pelos prêmios para a competição. Ainda não existe um acordo definido entre jogadores e diretoria.

O São Paulo estréia no Mundial de Clubes da Fifa nesta quarta-feira contra o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, no estádio Nacional de Tóquio. A partida acontece às 8h20 (horário de Brasília).

Veja também



ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias