! Rodízio falha e Corinthians pára na Portuguesa - 22/01/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  22/01/2006 - 20h14
Rodízio falha e Corinthians pára na Portuguesa

Da Redação
Em São Paulo

Nem o retorno do atacante Carlitos Tevez salvou o rodízio do técnico Antônio Lopes. Em mais uma partida sem força máxima, o Corinthians perdeu para a Portuguesa neste domingo, de virada, por 2 a 1. E o comandante alvinegro foi chamado de "burro" pelos torcedores presentes no Pacaembu.

Rubens Cavallari/FI
Tevez tenta escapar da marcação da Lusa: argentino marcou, mas não evitou derrota
Neste domingo, Antônio Lopes resolveu poupar o volante Marcelo Mattos e o centroavante Nilmar (Eduardo Ratinho, Sebá, Mascherano, Roger e Carlos Alberto, todos machucados, também não atuaram). E com tantos problemas, o Corinthians não conseguiu criar oportunidades para vencer a Portuguesa.

"Nós até jogamos bem, mas as coisas não funcionaram como nós queríamos. Brigamos bastante, criamos oportunidades, mas a Portuguesa foi mais eficiente e conseguiu vencer", ponderou o atacante Carlitos Tevez.

O curioso é que Tevez disputou apenas duas partidas nesta temporada, e o Corinthians perdeu as duas. O primeiro revés do time alvinegro no Campeonato Paulista aconteceu na estréia, quando o Noroeste venceu por 1 a 0 em Bauru.

Com duas derrotas nas duas partidas de Tevez, o Corinthians fica com apenas seis pontos e cai para a sexta colocação do Campeonato Paulista. Agora, o time alvinegro tem seis pontos de desvantagem para o líder Palmeiras, que venceu o Mogi Mirim neste domingo.

ESPARADRAPO É PROTAGONISTA
Enquanto a cidade recebe o São Paulo Fashion Week, maior evento da moda do país, o jogo entre Portuguesa e Corinthians teve o esparadrapo como protagonista dos uniformes.

A primeira aparição do esparadrapo aconteceu na camisa de Gléguer, da Portuguesa. Vestido com o número 12, ele já havia assinado a súmula com o número 1. Como não tinha outro uniforme, o goleiro foi obrigado a usar a fita para cobrir o 2 em suas costas.

Durante a partida, o esparadrapo voltou a ser requisitado. O distintivo da Federação Paulista de Futebol descolou da camisa do árbitro Philippe Lombard, que foi obrigado a remendar seu uniforme.
O time alvinegro vê a aproximação exatamente da Portuguesa, que também tem seis pontos nas quatro primeiras rodadas do Campeonato Paulista. A equipe do Canindé fica na sétima colocação apenas por ter saldo de gols inferior ao do Corinthians (3 contra 0).

"Foi uma vitória fundamental para nós. A Portuguesa foi bem e fez por merecer a vitória. Criamos as melhores oportunidades para marcar e fomos superiores em campo. Isso mostra que estamos crescendo", comemorou o técnico Giba, da equipe rubro-verde.

Segundo o comandante da Portuguesa, a vitória sobre o Corinthians pode modificar o astral de sua equipe no Campeonato Paulista. "Foi o resultado da auto-estima. Precisávamos disso para mostrar que temos potencial", lembrou.

As duas equipes voltarão a campo apenas no próximo domingo, ambas como visitantes. O Corinthians jogará contra o Rio Branco, às 16h, em Americana. A Portuguesa terá pela frente o Mogi Mirim, em Mogi Mirim.

O jogo
Pouco pela iniciativa dos dois times, muito pela desatenção das defesas, Portuguesa e Corinthians começaram o duelo deste domingo, no Pacaembu, com alternativas, oportunidades e gols.

DESORGANIZAÇÃO RUBRO-VERDE
Portuguesa e Corinthians jogaram no Pacaembu, estádio que costuma receber as partidas da equipe alvinegra. Apesar disso, o mando do confronto era do clube do Canindé, que está reformando seu gramado.

Na casa do adversário, a equipe rubro-verde mostrou muita desorganização. O primeiro sinal aconteceu antes do início da partida, que foi atrasada devido à ausência de gandulas.

Os gandulas, que deveriam ter sido providenciados pela Portuguesa, foram arrumados às pressas para que a partida pudesse acontecer neste domingo.

Durante o jogo, a Portuguesa deu mais um sinal de que sua situação é bastante complicada. Os jogadores que estavam no banco de reservas usaram coletes com marcas do patrocinador que já deixou o clube, que também estampou o uniforme utilizado pelo técnico Giba neste domingo.
O primeiro foi marcado pelo Corinthians, aos 3min. Fininho cruzou da esquerda, Gustavo Nery tentou dominar no peito e a bola sobrou para Carlitos Tevez, que driblou Gléguer com o primeiro toque e teve tranqüilidade para concluir.

A vantagem do time alvinegro, contudo, durou apenas dois minutos. Cléber cobrou falta da direita, Du Lopes disputou com Marcus Vinícius no alto e a bola foi parar no canto esquerdo do goleiro Marcelo.

"Eu subi junto com ele, tentando desviar para o gol, mas não consegui alcançar. Ele esticou a perna e acabou desviando para o gol", admitiu Du Lopes. Contrariando a versão do camisa 3 da Portuguesa, contudo, o árbitro Philippe Lombard atribuiu o gol para o zagueiro da equipe rubro-verde.

Depois do início movimentado, Portuguesa e Corinthians reduziram o ritmo. Com muitos erros de passes, sobretudo no meio-campo, as duas equipes deixaram de criar. As exceções da primeira etapa foram um chute do lateral alvinegro Coelho no travessão, aos 19min, e um lance de Leonardo para a equipe rubro-verde. O camisa 6 recebeu dentro da área, aos 45min, e chutou em cima de Marcelo.

O início movimentado do primeiro tempo aconteceu novamente na etapa final. Desta vez, porém, só o Corinthians pressionou. O time alvinegro criou duas oportunidades em menos de cinco minutos, uma em finalização de Gustavo Nery e outra em chute de fora da área do argentino Tevez.

"Sabemos que o entrosamento ainda não é o ideal, e que o nosso condicionamento ainda não é o ideal. Mas precisamos vencer e sofremos cobranças para isso, independentemente do nosso estado. Por isso, precisamos brigar sempre", ponderou o zagueiro Betão, do Corinthians.

Enquanto o Corinthians pressionou, a Portuguesa chegou apenas em chutes de fora da área, duas vezes com Rafael Toledo e uma com Cléber. O time alvinegro respondeu aos 32min, quando Dinelson rolou na esquerda para Tevez. Dentro da área, o camisa 10 cortou para o meio e bateu colocado, no travessão de Gléguer.

Mais eficiente, a Portuguesa aproveitou uma desatenção da defesa do Corinthians para desempatar. Rafael Toledo cobrou falta da direita aos 35min e Leandro Amaral, que vinha mal na partida, tocou de cabeça para dar a vitória à equipe rubro-verde.

PORTUGUESA
Gléguer; Peter, Du Lopes, Sílvio Criciúma e Leonardo; Almir, Alexandre, Joãozinho (Rafael Toledo) e Cléber; Johnson e Leandro Amaral (Salles)
Técnico: Giba

CORINTHIANS
Marcelo; Coelho (Edson), Betão, Marcus Vinícius e Fininho; Bruno Octávio, Gustavo Nery, Rosinei (Dinélson) e Élton (Bobô); Rafael Moura e Tevez
Técnico: Antônio Lopes

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Philippe Lombard
Auxiliares: Ednilson Corona e Paulo Sérgio Breghiroli Garcia
Cartões amarelos: Johnson (P), Marcus Vinícius (C), Peter (P), Coelho (C), Leonardo (P), Bruno Octávio (C)
Gols: Tevez, aos 3min; Du Lopes, aos 5min do primeiro tempo; Leandro Amaral, aos 36min do segundo tempo

Veja também
Leia mais


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias