! Ineficiente, São Paulo perde do Juventus em casa - 25/01/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  25/01/2006 - 17h53
Ineficiente, São Paulo perde do Juventus em casa

Da Redação
Em São Paulo

O São Paulo teve mais movimentação, domínio da posse de bola, melhor distribuição tática e as melhores oportunidades para marcar. Mas não teve eficiência. Com muitos gols perdidos, o time tricolor foi castigado e superado pelo Juventus por 1 a 0, dentro de casa, em partida adiada da primeira rodada do Campeonato Paulista.

Vipcomm
Grafite pode ter feito sua despedida do São Paulo sem gol e com uma derrota
"Eles foram mais eficientes. Nós criamos, chegamos ao ataque, mas não conseguimos concluir com qualidade. Eles aproveitaram a chance que tiveram e saíram com a vitória", avaliou o atacante Grafite após a derrota.

O zagueiro Fabão concordou com a visão do camisa 9 do São Paulo: "Infelizmente, futebol é assim. Se tivéssemos feito o gol, as coisas seriam diferentes. Mas nós não conseguimos e eles foram mais eficientes. Paciência".

Vitorioso, o Juventus deu aula de eficiência ao São Paulo. Enquanto os donos da casa criaram muito e levaram perigo constante ao gol de Paulo Musse, o time da Rua Javari se retraiu e apostou nos contra-golpes.

O responsável pela vitória dos visitantes foi Sérgio Lobo, que havia acabado de entrar e marcou em sua primeira participação.

"Foi um lance iluminado. Fiquei feliz demais com o gol, até porque isso mostra que o meu trabalho está sendo bem feito. Espero poder marcar mais vezes e ajudar a minha equipe", confessou o autor do gol do Juventus.

Com isso, o Juventus saltou da 17ª para a nona colocação do Campeonato Paulista. O time da Rua Javari agora tem seis pontos, saldo de gols de -1 e o mesmo número de partidas das outras equipes.

TARDE COMEÇOU FESTIVA
O fim não foi o desejado pelo São Paulo, mas o começo da festa preparada pela diretoria para comemorar o aniversário da capital paulista e também a conquista do tricampeonato mundial foi em grande estilo.

Na preliminar do jogo contra o Juventus, nesta quarta-feira, um time formado pelos bicampeões mundiais em 1992 e 1993 enfrentou um combinado de ex-jogadores do clube e venceu por 2 a 0.

Leonardo e Neto, que teve passagem pelo clube, mas não participou do Mundial, marcaram os gols do amistoso, que, apesar do esforço da diretoria, não contou com presença de grande público na preliminar.

No entanto, aqueles que foram mais cedo ao estádio do Morumbi puderam matar a saudade de ídolos como Raí, Dario Pereyra e Pedro Rocha, entre outros.
O São Paulo, por sua vez, cai para a 16ª posição da tabela. A equipe do Morumbi fica com três pontos e ainda tem um jogo a menos que os outros times do Paulistão (o confronto com o Bragantino, válido pela segunda rodada, também foi adiado).

As duas equipes voltarão a campo no próximo domingo. O Juventus receberá o Marília, na Rua Javari, às 16h. Mais tarde, às 18h10, o São Paulo vai enfrentar o Guarani novamente no Morumbi.

O jogo
"É claro que a nossa equipe não tem o condicionamento físico ideal. Por isso, não dá para exigirmos marcação forte durante todo o tempo", admitiu o técnico Muricy Ramalho, do São Paulo, antes do início do confronto com o Juventus.

Ameno quanto à marcação, o comandante do São Paulo direcionou toda a cobrança para movimentação de seus atletas. "Ele insistiu durante todo o tempo para nós sairmos da marcação. O camisa 5 do Juventus [Gilvan] me acompanhou individualmente, e o Muricy ficou gritando para eu abrir espaços", contou o atacante Thiago.

Com a movimentação pedida por Muricy, os atacantes do São Paulo (Grafite e Thiago) foram atuar abertos pelas pontas e carregaram os zagueiros do Juventus. Com isso, os alas e meio-campistas da equipe tricolor tiveram liberdade para entrar em diagonal.

Perdido em campo, o Juventus não conseguiu marcar o São Paulo com eficiência. E o time tricolor, com mais posse de bola, chegou com facilidade à área adversária. O problema é que, com seus dois atacantes atuando abertos, a equipe da casa não teve poder de finalização e não exigiu nenhuma defesa difícil de Paulo Musse na etapa inicial.

"Dominamos o jogo e criamos muito, mas faltou qualidade nas finalizações. A marcação do Juventus foi bastante forte, mas conseguimos nos movimentar e sair dela. Só faltou tranqüilidade para concluir", ponderou o volante Mineiro.

Diagnosticar o problema antes do intervalo, contudo, não fez com que o São Paulo melhorasse no segundo tempo. O time tricolor seguiu superior em campo, criando muitas oportunidades e finalizando mal.

E o time ainda foi prejudicado no começo do segundo tempo, quando o árbitro não marcou toque claro de mão do volante Gilvan dentro da área.

O melhor lance do São Paulo no período complementar aconteceu aos 20min, quando o atacante Thiago deu um chapéu no volante Alê (formado nas categorias de base da equipe tricolor), ajeitou com a cabeça e chutou de fora da área. Paulo Musse defendeu em seu canto esquerdo e desviou para escanteio.

"É lógico que nós fazemos as jogadas pensando em acertar, mas não é sempre que as coisas acontecem. Nós criamos bastante e corremos muito, mas não foi suficiente para o gol sair. O importante é que não perdemos a tranqüilidade", analisou o meia Souza, que tem jogado improvisado na lateral direita.

Mais eficiente que o São Paulo, o Juventus abriu o marcador aos 28min da etapa final. Rafael Silva recebeu no meio e rolou na direita para Sérgio Lobo, que havia acabado de entrar no lugar do lateral Paulinho. Em sua primeira participação, o reserva chutou cruzado, de pé direito, e deu a vitória aos visitantes.

SÃO PAULO
Bosco; Edcarlos (Rodrigo Fabri), Lugano e Fabão; Souza, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior; Grafite e Thiago
Técnico: Muricy Ramalho

JUVENTUS
Paulo Musse; Paulinho (Sérgio Lobo), Max Sandro, Fabrício e Júlio César; Alê, Gilvan, Naves e Renato (Paulo Isidoro); Wellington (Gustavo) e Rafael Silva
Técnico: Sérgio Soares

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira
Auxiliares: Aline Lambert e Mário Nogueira da Cruz
Renda: R$ 134.260,00
Público: 15.477 pagantes
Cartões amarelos: Renato (J), Edcarlos (S), Grafite (S), Thiago (S), Alê (J), Paulo Isidoro (J), Gilvan (J), Fabrício (J)
Gol: Sérgio Lobo, aos 28min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias