! Abalado, Palmeiras empata após briga de Leão - 08/02/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  08/02/2006 - 22h29
Abalado, Palmeiras empata após briga de Leão

Da Redação
Em São Paulo

O Palmeiras mostrou ter sentido a perda de invencibilidade na rodada passada e, na noite desta quarta-feira, não saiu de um empate por 1 a 1 com o Guarani, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Mesmo assim, beneficiado com as derrotas de Noroeste e Corinthians, o time alviverde da capital reassumiu a liderança do Campeonato Paulista.

POLÊMICA COM LEÃO

O intervalo da partida no Brinco de Ouro foi marcado por tensão. Ao deixar o gramado rumo ao vestiário, o técnico Emerson Leão foi acusado de agredir um repórter local.

José Henrique Semedo, jornalista da Rádio Central, foi questionar o treinador sobre a atuação do Palmeiras no segundo tempo. Após ouvir a resposta, o repórter falou, ironicamente, sobre a simpatia do técnico.

"Ele voltou para perguntar o que eu tinha dito e me agrediu com um soco. Estou aqui para trabalhar. Vou fazer um boletim de ocorrência e procurar meus direitos", disse Semedo, ao Sportv.

No retorno do vestiário, Leão não quis comentar o ocorrido. Bastante cercado pelos jornalistas, o treinador teve dificuldades para ir até o banco de reservas e, como resultado do tumulto, um outro profissional da imprensa caiu no gramado.

Ao final da partida, o comandante do Palmeiras saiu escoltado por policiais e foi convocado para prestar esclarecimentos no 5º Distrito Policial de Campinas, no Jardim Amazonas.

Leão, por sua vez, defendeu-se e afirmou que foi ele a vítima de agressão. "Ele colocou o microfone na minha boca e bateu no meu dente", disse. "Depois, tomei um pontapé. Vou para a delegacia fazer exame de corpo de delito", emendou. Leia mais

Desfalcada, a equipe de Emerson Leão foi presa fácil do adversário no primeiro tempo e só não foi para o intervalo em desvantagem devido à grande atuação do goleiro Marcos. Na etapa final, porém, voltou com outra postura e conseguiu contornar um pouco o nervosismo para somar mais um ponto.

"Hoje em dia, jamais entramos em campo achando que o jogo será fácil, pois todos os times merecem respeito. Não conseguimos o resultado que esperávamos, mas pelo fato de jogarmos aqui o empate foi bom demais", analisou Marcos.

Agora, o Palmeiras possui os mesmos 16 pontos de Noroeste e Santos, mas aparece em primeiro lugar na tabela por possuir melhor saldo de gols: os dois adversários têm cinco gols, contra seis da equipe alviverde.

Contra um Guarani embalado, o time da capital não teve caminho fácil nesta quarta-feira. Depois de vencer seus primeiros sete compromissos na temporada e ter tal seqüência interrompida na rodada passada pelo São Paulo, o Palmeiras encontrou um adversário mordido pelo empate com a arqui-rival Ponte Preta.

Empolgada pela boa fase que vive, já que não perde há quatro rodadas (empates com São Paulo e Ponte Preta e vitória sobre o Rio Branco por 3 a 2), a equipe de Campinas chegou a seu quarto jogo sem derrota, subindo para dez pontos, na faixa intermediária.

Os dois times voltam a campo pela nona rodada neste final de semana. No sábado, o Palmeiras recebe o Bragantino às 18h10, no estádio Parque Antarctica. No dia seguinte, o Guarani atua novamente em casa, onde enfrenta o Ituano, também às 18h10.

O jogo
O Guarani começou a partida sufocando o Palmeiras. Marcos, com dez minutos de bola rolando, não teve paz e precisou intervir com freqüência. Na primeira chance dos anfitriões, Adeílson recebeu de Adílio e acertou um chute perigoso, que parou em boa defesa do goleiro do time da capital.

Elvis, em rebote de disparo de Adeílson, tentou superar o camisa 1 ao se esticar todo, mas sem sucesso. Bilu também deu muito trabalho a Marcos, aos 9min, quando recebeu dentro da área e concluiu com força para outra boa participação do goleiro palmeirense, bastante exigido.

Pouco depois de Fernando defender cruzamento de Amaral para Washington, na primeira investida efetiva dos visitantes, Marcos voltou a brilhar em campo. Fabiano recebeu passe de Bilu e saiu na cara do goleiro, que fechou bem o ângulo e praticou a defesa. Sem tempo para respirar, o camisa 1 do Palmeiras também foi decisivo ao parar disparo rasteiro de César, aos 19min.

CARRASCO ALVIVERDE
O atacante Fabiano está se tornando um carrasco do Palmeiras. Autor do gol do Guarani nesta quarta-feira, ele ostenta a marca de dois gols em dois jogos contra o time da capital.

O primeiro deles aconteceu no Campeonato Paulista da temporada passada, quando Fabiano anotou durante o empate por 2 a 2 entre Atlético Sorocaba e Palmeiras.

"Estaria muito mais feliz se o Guarani tivesse vencido, mas me sinto satisfeito por ter feito minha parte e colaborado para que a equipe somasse pelo menos um ponto", disse o atacante.
A equipe de Leão só conseguiu assustar o Guarani aos 24min. Lúcio cruzou da esquerda e Enílton, livre de marcação, cabeceou na direção de Fernando, que fez boa interceptação. O goleiro dos anfitriões também evitou a abertura do placar ao espalmar cobrança de falta de Daniel.

No outro lado do campo, Paulo Baier precisou usar a cabeça, mas para salvar o Palmeiras em cima da linha do gol. Com o passar do tempo, o time visitante tentou valorizar mais a posse de bola. Mesmo assim, porém, foi o Guarani que teve a última grande chance da etapa inicial, quando Fabiano cabeceou rente à trave depois de cruzamento de Mariano.

Após o intervalo, o Palmeiras voltou com duas alterações: Correa e Cristian entraram nos lugares de Amaral e Enílton. E, aos 3min, a equipe da capital conseguiu inaugurar o placar. Edmundo recebeu na esquerda e cruzou para Washington. O atacante se esticou e, no meio da área, completou para o fundo das redes.

O gol mudou o panorama da partida, que ficou mais equilibrada. Aos 19min, Edmundo chegou perto de fazer o segundo. Lúcio tocou na esquerda para o atacante, que driblou Fernando, mas chutou errado, mandando a bola no lado externo da rede.

No minuto seguinte, porém, Fabiano teve melhor pontaria. Após escanteio cobrado pela esquerda, o atacante do Guarani dominou dentro da área e bateu com firmeza para superar Marcos, empatando o duelo em Campinas.

Melhor em campo, o time anfitrião pressionou em busca da vitória até o final. No entanto, em noite inspirada, Marcos voltou a se destacar sob o travessão para segurar a igualdade fora de casa, a primeira do Palmeiras neste Paulista.

GUARANI
Fernando; Mariano, César, Sandro e Adílio; Umberto, Bilu, Rodrigo Sá e Elvis (Deivid); Adeílson (Fabinho) e Fabiano (Eder)
Técnico: Luiz Carlos Ferreira

PALMEIRAS
Marcos; Amaral (Correa), Daniel (Valdomiro), Gamarra e Lúcio; Marcinho Guerreiro, Paulo Baier, Ricardinho e Edmundo; Enílton (Cristian) e Washington
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP)
Árbitro: Kleber José de Melo
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e João Chaves
Cartões amarelos: Amaral (P), Enílton (P), Rodrigo Sá (G), César (G), Paulo Baier (P), Marcinho Guerreiro (P), Correa (P) e Eder (G)
Gols: Washington, aos 3min, e Fabiano, aos 20min do segundo tempo

Veja também

Leia mais


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias