! Santos leva melhor na 'decisão' contra Palmeiras - 05/03/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  05/03/2006 - 18h04
Santos leva melhor na 'decisão' contra Palmeiras

Da Redação
Em São Paulo

Chutes na trave, bolas tiradas em cima da linha do gol, ambiente tenso entre jogadores e, principalmente, entre os dois treinadores. Todos os ingredientes da partida entre Santos e Palmeiras, disputada na tarde deste domingo na Vila Belmiro, confirmaram o clima de decisão que envolvia o clássico. Os donos da casa levaram a melhor e venceram por 1 a 0 com gol de pênalti marcado por Léo Lima.

O PÊNALTI POLÊMICO

Wendell e Sérgio subiram...


... disputaram a bola...


... se chocaram...


... e foi dado pênalti

Com o resultado, o Santos foi aos 31 pontos e se isolou na liderança do Campeonato Paulista. Já o Palmeiras estacionou em 26 e perdeu a chance de tomar a ponta da tabela no meio de semana, quando igualará o número de jogos dos demais adversários. Hoje, o time de Parque Antarctica tem uma partida a menos que os principais rivais na briga pelo título.

Em uma partida bastante disputada, em que as duas equipes revezaram momentos de pressão, um lance de bola parada foi decisivo. No segundo tempo, Wendell foi empurrado por Sérgio e o árbitro assinalou. Léo Lima cobrou o pênalti e fez o gol que garantiu a vitória santista.

O técnico do Palmeiras, Émerson Leão, condenou o árbitro Luís Marcelo Vicentin Cansian pela derrota do Palmeiras. O comandante ficou revoltado com a marcação do pênalti aos 40min do segundo tempo.

"Ele [o árbitro] mudou o resultado da partida e pode mudar o resultado do campeonato. Por ele ser da região de Ribeirão Preto, eu torcia pelo sucesso dele, mas mais uma vez ele manchou sua própria imagem", esbravejou Leão.

Do lado do Santos, Wendell, que sofreu o pênalti, confirmou que foi atingido pelo goleiro Sérgio no momento em que subiu para cabecear. "O Márcio Careca já me abraçou no primeiro lance e deveria ter sido marcado o pênalti. Mas a bola sobrou no alto e o Sérgio acertou meu rosto, não pegou nada da bola, o pênalti aconteceu sim", retrucou Wendell.

O clássico disputado esta tarde também foi apimentado pelo duelo entre Leão e Luxemburgo, tido como os melhores treinadores que atuam no país. Os dois, desafetos declarados, sequer se cumprimentaram em campo e surpreenderam a todos ao não fazerem mistério com a escalação de seus times.

Luxemburgo ainda guarda outro "inimigo" dentro do Palmeiras. O atacante Edmundo cobra uma dívida do ex-treinador que, um dia, chegou a convocá-lo para a seleção brasileira.

O Palmeiras volta a campo na próxima quarta-feira para "tirar o atraso" no Campeonato Paulista. Em partida válida pela 12ª rodada do Estadual, que teve de ser adiada por causa da disputa da Libertadores de América, o time de Parque Antarctica recebe o América de Rio Preto.

Já o Santos, que não disputa o torneio continental e já se classificou para a próxima fase da Copa do Brasil ao eliminar o Sergipe, folga no meio de semana. O time da Vila Belmiro volta a campo apenas no próximo domingo. No estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, encara o Guarani.

O jogo
O Palmeiras entrou em campo disposto a atacar o time do Santos, mas foram os donos da casa que primeiro tiveram chance de abrir o marcador. Aos 8min, Cléber Santana arriscou de fora da área e acertou a trave esquerda de Sérgio. O rebote sobrou para Rodrigo Tabata, mas o goleiro saiu bem do gol e defendeu o chute do meia santista.

A equipe de Parque Antarctica respondeu à altura somente aos 22min. Paulo Baier recebeu passe de Marcinho na entrada da área e passou por um marcador. Na hora de finalizar, Maldonado entrou de carrinho na bola e desarmou o ala palmeirense.

EDMUNDO: 150 JOGOS
A derrota para o Santos marcou o jogo de número 150 de Edmundo com a camisa do Palmeiras. Em toda a sua história dentro do clube, o atacante balançou as redes 70 vezes e conquistou títulos importantes como os brasileirões de 93 e 94 e os campeonatos paulistas dos mesmos anos.

Esta é a segunda passagem de Edmundo pelo Palmeiras. O jogador chegou pela primeira vez em 1993, após ter se destacado na disputa do Brasileiro do ano anterior. O retorno para o clube, que aconteceu no início deste temporada, onze anos após ter se despedido da torcida alviverde, se deve principalmente por ter sido o principal jogador do Figueirense na disputa da Série A de 2005.

Nesta temporada, Edmundo balançou as redes cinco vezes: quatro gols marcados no Campeonato Paulista e um pela Libertadores.

Leia mais
Melhor no jogo, o Palmeiras teve outra boa chance aos 37min. Correa dominou na intermediária e passou para Marcinho nas costas da zaga santista. O atacante invadiu a área e tentou encobrir Fábio Costa, que saía do gol. O goleiro, no entanto, conseguiu se recuperar e deu um tapa na bola, evitando o que seria o primeiro gol do time visitante.

O Santos conseguiu voltar ao ataque e, novamente, deu forte susto no goleiro Sérgio. Aos 41min, Geílson chutou cruzado da esquerda, a bola desviou na zaga e passou próximo à trave direita da meta alviverde.

A equipe do Santos voltou para o segundo tempo disposta a abrir o marcador e, logo de início, teve diversas chances. Logo aos 9min, Maldonado tentou um chute forte de fora da área e a bola explodiu na trave esquerda de Sérgio.

No minuto seguinte, Geílson invadiu a área e se chocou com Márcio Careca. O atacante santista caiu pedindo pênalti, não marcado pelo árbitro. Apesar de o lance não ter se concretizado, o Santos seguiu pressionando e quase conseguiu o primeiro gol no lance subseqüente.

Aos 12min, Rodrigo Tabata aproveitou rebote na grande área e chutou de primeira. A bola passou por Sérgio, mas Gamarra salvou em cima da linha.

A pressão continuou e o Santos conseguiu o gol da vitória aos 40 min. Wendell sofreu pênalti que Léo Lima cobrou e marcou.

SANTOS
Fábio Costa; Julio Manzur, Luiz Alberto e Ronaldo Guiaro (Léo Lima); Fabinho, Maldonado, Cléber Santana, Rodrigo Tabata (Wendell) e Kléber; Geílson e Magnum (Reinaldo)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PALMEIRAS
Sérgio; Paulo Baier, Gamarra, Daniel e Márcio Careca; Alceu (Reinaldo), Correa, Ricardinho (Washington) e Juninho Paulista; Marcinho e Edmundo (Thiago Gomes)
Técnico: Émerson Leão

Local: estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro), em Santos (SP)
Árbitro: Luis Marcelo Vicentin Cansian
Auxiliares: Geraldo José Vollet Pinheiro e Emerson Augusto de Carvalho
Cartões amarelos: Maldonado (S), Cléber Santana (S), Juninho Paulista (P), Paulo Baier (P), Correa (P), Wendell (S)
Gol: Léo Lima, aos 40min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias