! Desespero do Guarani supera embalo do líder Santos - 12/03/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  12/03/2006 - 20h03
Desespero do Guarani supera embalo do líder Santos

Da Redação
Em São Paulo

Líder isolado, embalado e principal favorito ao título do Campeonato Paulista. Todos esses fatores de nada adiantaram para o Santos, que foi até Campinas na noite deste domingo, pela conclusão da 14ª rodada, e saiu derrotado pelo Guarani por 2 a 1, no estádio Brinco de Ouro.

SANTOS: SÉRIE NO PAULISTA
DataAdversárioPlacar
8/2Noroeste1 x 0
12/2Corinthians1 x 0
19/2Ponte Preta1 x 0
25/2Rio Branco1 x 0
1/3São Caetano3 x 2
5/3Palmeiras1 x 0
12/3Guarani1 x 2
Ainda sozinho na primeira colocação, o time do litoral aparece com 31 pontos e vê a diferença para o segundo colocado (São Paulo) cair para dois. E, a cinco partidas do término da competição, atrapalha a matemática de Vanderlei Luxemburgo, que traçou como meta a conquista de mais 15 pontos para assegurar o título sem depender de adversários.

"As coisas mudam rápido no futebol e muitos que nos consideravam favoritos vão mudar de opinião. No entanto, temos a convicção de que podemos chegar ao título, que é nosso objetivo final. Vamos ter que ralar muito", comentou o goleiro Fábio Costa, mostrando otimismo.

Além de "complicar" as contas do Santos em busca do troféu do Estadual - torneio que não fatura desde 1984, o resultado deste domingo interrompe a série positiva da equipe. Antes de encarar o Guarani, o time possuía seis vitórias consecutivas pela competição paulista, seqüência que o conduziu ao topo da tabela.

Computados também os jogos da Copa do Brasil, o Santos não perdia havia oito confrontos e havia mais de um mês. O tropeço anterior acontecera no dia 5 de fevereiro, quando caiu diante da Portuguesa Santista por 2 a 1, em São Caetano do Sul.

FÁBIO COSTA: VAZADO
O Guarani conseguiu fazer o que os adversários do Santos não faziam havia sete jogos: vencer o goleiro Fábio Costa.

O camisa 1 do time alvinegro ficou sem ter suas redes estufadas durante 691 minutos. Depois de ser superado contra a Portuguesa Santista, só voltou a levar gol aos 32min de jogo deste domingo, no pênalti de Edmílson.

Neste período, o Santos chegou a sofrer dois gols diante do São Caetano na vitória por 3 a 2. O goleiro na oportunidade, porém, era o reserva Roger, já que Fábio Costa estava suspenso.

"Esse tipo de coisa é legal, interessante, mas não é primordial. A vaidade de qualquer atleta fica reduzida diante do objetivo do elenco. Não me incomodaria ter tomado dois e feito três hoje [domingo]", disse o goleiro.
O Guarani, por outro lado, livrou-se de série negativa. O time alviverde vinha de três derrotas consecutivas no Paulista e, com os três pontos deste domingo, chega a 16, seguindo firme na briga contra o rebaixamento.

Para isso, contou a boa estréia de Toninho Cerezo, que assistira das tribunas à classificação na Copa do Brasil na última quarta-feira. O novo treinador do Guarani tem pela frente a missão de evitar o descenso à Série A-2 e contornar momento conturbado agravado pelo atraso de salários.

Por enquanto, ele gostou do que viu. "Foi uma tarde de espetáculo. A equipe correspondeu taticamente principalmente no primeiro tempo. É uma vitória dos jogadores. Ainda temos muito pela frente e estamos começando agora o trabalho", avaliou.

Pelo Paulista, os dois times voltam a campo no próximo fim de semana. No sábado, o Guarani visita o São Caetano no estádio Anacleto Campanella, às 18h10. O Santos, no dia seguinte, atua em casa, no estádio da Vila Belmiro, contra o Ituano.

O jogo
Por metas distintas, mas precisando do resultado positivo, os dois times começaram com postura ofensiva e deixaram a partida aberta desde o início. O Santos, um pouco superior no volume de jogo, teve a primeira chance aos 10min, quando Reinaldo finalizou da esquerda e parou em boa defesa de Fernando.

O time da casa tentou dar o troco no minuto seguinte, em disparo de Élvis que Fábio Costa, com dificuldade, mandou para escanteio. Depois disso, foi a vez de Fernando levar susto. Geílson invadiu a área em velocidade, driblou o goleiro, mas concluiu a jogada carimbando a trave.

O erro custou caro à equipe alvinegra, que viu o Guarani abriu o placar aos 32min. Edmílson dominou com categoria dentro da área e foi derrubado por Ronaldo Guiaro. Pênalti que o próprio Edmílson bateu com categoria, no canto direito, para inaugurar o marcador.

Empolgado, o time anfitrião nem deu tempo para a defesa santista absorver o impacto. Três minutos depois, Goeber apareceu livre na área, recebeu cruzamento da direita e mergulhou para cabecear a bola no fundo das redes de Fábio Costa.

Em desvantagem, Luxemburgo fez duas mudanças no intervalo, deixando o Santos mais ofensivo. Ele abdicou do esquema com três zagueiros ao tirar Ronaldo para entrada de Léo Lima, e ainda trocou o meia Rodrigo Tabata pelo atacante Magnum.

As alterações surtiram efeito, mas a sorte não acompanhou Geílson novamente. Logo aos 5min, ele recebeu na entrada da área e bateu mirando o canto esquerdo. O chute fugiu do alcance de Fernando, mas tocou na trave e saiu pela linha de fundo.

Edmílson teve a oportunidade de fazer o terceiro do Guarani aos 23min, quando recebeu bola alçada na área da esquerda e errou a finalização de cabeça. Do outro lado, porém, Reinaldo mostrou melhor pontaria e diminuiu para o Santos.

Aos 27min, a bola foi levantada na área da direita, Luiz Alberto ajeitou de cabeça e Reinaldo saltou para, na dividida com Fernando, concluir pelo alto para superar o goleiro da equipe anfitriã.

Fernando, inclusive, não teve sossego nos minutos finais. Aos 40min, ele fez a intervenção do jogo. Kléber chutou com perigo e o goleiro rebateu. Na sobra, Galvão carimbou novamente a trave, parando nas mãos de Fernando, que não foi mais vazado até o fim do duelo.

GUARANI
Fernando; Nelsinho, Emerson, Rogério e Adílio (César); Goeber, Rodrigo Sá (Fabinho), Juca e Élvis; Edmílson e Adeílson (Gustavo)
Técnico: Toninho Cerezo

SANTOS
Fábio Costa; Manzur, Luiz Alberto e Ronaldo Guiaro (Léo Lima); Fabinho, Maldonado, Cléber Santana, Rodrigo Tabata (Magnum) e Kléber; Reinaldo e Geílson (Galvão)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Local: estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP)
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Auxiliares: Marinaldo Silvério e Danilo Ricardo Simon Manis
Público: 10.656 pagantes
Cartões amarelos: Rodrigo Tabata (S), Cléber Santana (S), Ronaldo Guiaro (S), Élvis (G), Nelsinho (G), Emerson (G), César (G)
Gols: Edmílson, aos 32min, e Goeber, aos 35min do primeiro tempo; Reinaldo, aos 27min do segundo tempo

Veja também

Leia mais


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias