! Heróico, Palmeiras bate Ponte e pula para 2º lugar - 19/03/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  19/03/2006 - 18h00
Heróico, Palmeiras bate Ponte e pula para 2º lugar

Da Redação
Em São Paulo

"O São Paulo [que empatou com o Noroeste no sábado] nos deu uma oportunidade. E temos de aproveitá-la". A frase, dita por Emerson Leão antes da partida entre Palmeiras e Ponte Preta, demorou a ser entendida pelos jogadores. Mas eles acordaram a tempo, e o time da capital venceu a equipe campineira por 4 a 2, de virada, na tarde deste domingo, no Parque Antarctica, pelo Campeonato Paulista.

A VIRADA DO PALMEIRAS

Leão preocupado: Ponte 2 a 0


Marcinho inicia a virada


Washington faz o terceiro


No final, Guerreiro fez 4 a 2

O suado triunfo [o Palmeiras chegou a estar perdendo por 2 a 0] não só manteve o time alviverde na briga pelo título estadual, como também o jogou para a vice-liderança, deixando o rival São Paulo para trás. A liderança só não veio porque o Santos venceu o Ituano por 2 a 0, na Vila Belmiro, e manteve o primeiro lugar, agora com 34 pontos - a equipe de Leão tem 32.

Embora a liderança não tenha vindo, o Palmeiras mostrou um enorme poder de reação no duelo com o time de Campinas. Depois de entrar com três atacantes e levar um gol logo no primeiro minuto, a equipe acordou após a Ponte marcar mais um. Leão abandonou seu novo esquema e a virada veio ainda no primeiro tempo.

Fato que ajudou os jogadores a atuarem com mais tranqüilidade no segundo tempo. Isso porque a torcida ficou impaciente quando o jogo estava 2 a 0 para a Ponte e começou a vaiar alguns jogadores. Os gols de Marcinho, Edmundo e Washington na etapa inicial mudaram a opinião da torcida, que apoiou no restante da partida - Marcinho Guerreiro assinalou o quarto gol no segundo tempo.

"Não podíamos ter levado aqueles gols [ambos marcados pelo atacante Almir]. Mas não fugimos do jogo e conseguimos a virada. Eu acho que num jogo decisivo como esse é importante ter essa personalidade. Esse brio", declarou o volante Correa.

A personalidade e o brio citados pelo camisa 8 alviverde impediram a Ponte Preta de chegar ao quarto jogo consecutivo sem derrota (não perdia desde o dia 25 de fevereiro, quando caiu diante do São Paulo, em casa). Antes de tropeçar no Palmeiras, o time alvinegro tinha vencido Juventus e Paulista e empatado com o Mogi Mirim.

Com esta derrota, os comandados do técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, seguem com os mesmos 18 pontos. A diferença para o primeiro time da zona de rebaixamento é de apenas dois pontos, o que mantém certa preocupação no Moisés Lucarelli.

No meio desta semana, o Palmeiras volta a campo pela Copa Libertadores da América. Na quinta-feira, às 21h15, a equipe alviverde visita o Rosario Central, no estádio Gigante de Arroyito, na Argentina. Os brasileiros são vice-líderes do Grupo 7 com cinco pontos. Já os argentinos têm um a menos na terceira colocação da chave.

O QUE FALTA AO PALMEIRAS
AdversárioDataLocal
Corinthians26/03neutro
Paulista29 ou 30/03fora
Rio Branco01 ou 02/04casa
Santo André09/04fora
Pelo Campeonato Paulista, a equipe do técnico Emerson Leão joga no domingo. E contra o arqui-rival Corinthians. Ambos se enfrentam no estádio do Morumbi, às 18h10. No mesmo dia e horário, a Ponte Preta duela com o América, no estádio Benedito Teixeira, o Teixeirão, em São José do Rio Preto.

O jogo
A expectativa era de que o Palmeiras entrasse em campo com três zagueiros. Mas Emerson Leão surpreendeu ao escalar a equipe com três atacantes (Edmundo, Enílton e Washington). O técnico, porém, não teve tempo para analisar a mudança.

Logo no primeiro minuto de jogo, a Ponte Preta abriu o placar. Após cruzamento de André Silva da direita, o atacante Almir subiu sozinho entre Paulo Baier e Daniel e cabeceou para o fundo do gol defendido por Sérgio.

EDMUNDO MAIS À VONTADE

Artilheiro do Palmeiras no Campeonato Paulista com seis gols, o atacante Edmundo, autor do segundo gol alviverde nesta tarde, confessou que se sentiu mais à vontade depois que o técnico Emerson Leão aboliu o esquema com três atacantes.

Nesse esquema, o camisa 7 teve de atuar mais recuado para dar mais liberdade aos centroavantes Enílton e Washington. Mas, como ele mesmo disse, depois da saída do primeiro para entrada do meia Cristian o seu jogo fluiu melhor.

"Eu fiquei meio 'perdidão' no meio-de-campo. Depois eu consegui avançar mais e dei sorte até de fazer um gol", comentou Edmundo, referindo-se ao gol de coxa marcado aos 43min do primeiro tempo.
Depois do gol sofrido, o time do Parque Antarctica foi todo para o ataque. A pressão, porém, não surtiu efeito. Sem poder de conclusão e também sem criatividade no meio-de-campo, o Palmeiras desperdiçou ótimas chances.

Mais eficiente, a Ponte Preta ampliou o marcador. O meia Élson virou o jogo da direita para esquerda, onde o atacante Almir dominou e chutou da entrada da área. A bola entrou no canto esquerdo alto do goleiro alviverde.

Tal fato fez o técnico Emerson Leão abandonar o esquema com três atacantes. Aos 31min, ele colocou o meia Cristian no lugar de Enílton. E a reação alviverde começou aos 34min, quando Marcinho aproveitou cruzamento de Correa e diminuiu.

Depois do primeiro gol, o Palmeiras cresceu em campo e virou a partida em apenas dois minutos. Aos 43min, após escanteio da esquerda, Gamarra desviou de cabeça e Edmundo, sem querer, desviou de coxa para o gol. Aos 45min, foi a vez de Washington aproveitar tiro de canto de Paulo Baier e marcar de cabeça.

"O time ficou desnorteado com o gol sofrido logo no começo. Além disso, ficamos confusos no esquema com três atacantes. Mas o professor [Leão] percebeu isso, mudou a equipe e conseguimos a virada", analisou o atacante Edmundo.

No segundo tempo, ambas as equipes voltaram com as mesmas formações que terminaram a etapa inicial. A postura, porém, mudou um pouco. Enquanto o Palmeiras, em vantagem, cadenciou mais o jogo, a Ponte Preta não conseguiu impor a mesma velocidade do início da partida e buscar a reação.

Na metade da etapa complementar, depois das três alterações do técnico Oswaldo Alvarez, da Ponte Preta, Emerson Leão aproveitou para sacar o meia Crisitian, que havia entrado no lugar de Enílton, e reforçar a defesa com Thiago Gomes.

A partir disso, o jogo ficou mais morno e a equipe da capital conseguiu ampliar apenas aos 44min, quando Marcinho Guerreiro marcou de cabeça após cobrança de falta cruzada por Edmundo.

PALMEIRAS
Sérgio; Paulo Baier, Daniel, Gamarra e Lúcio; Marcinho Guerreiro, Correa (Reinaldo) e Marcinho; Edmundo, Enílton (Cristian) (Thiago Gomes) e Washington
Técnico: Emerson Leão

PONTE PRETA
Jean; Luciano Baiano, Rafael Santos, Thiago Matias e Iran; André Silva, Dionísio (Vandinho), Ricardo Conceição e Élson (Tuto); Almir e Adauto (Jean Carlos)
Técnico: Oswaldo Alvarez

Local: estádio do Parque Antarctica, em São Paulo (SP)
Árbitro: Anselmo da Costa
Auxiliares: Hilton Francisco de Melo e Osny Antonio Silveira
Cartões amarelos: Jean (PP), Rafael Santos (PP), Ricardo Conceição (PP), Daniel (P)
Gols: Almir, a 1min e aos 27min, Marcinho, aos 34min, Edmundo, aos 43min, e Washington, aos 45min do primeiro tempo; Marcinho Guerreiro, aos 44min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias