! Misto, Palmeiras perde e se despede do título - 29/03/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  29/03/2006 - 23h38
Misto, Palmeiras perde e se despede do título

Da Redação
Em São Paulo

O Palmeiras priorizou a Copa Libertadores e, mesmo com chances de faturar o título do Campeonato Paulista, usou apenas quatro titulares na noite desta quarta-feira. E pagou o preço por tal escolha. Com um time misto, perdeu para o Paulista por 3 a 0 no estádio Jaime Cintra, em Jundiaí, e está fora da briga pelo Estadual.

CONTRATO BARRA MUÑOZ
Titular absoluto do Paulista e artilheiro da equipe no Estadual com cinco gols, o colombiano Muñoz não pôde enfrentar o Palmeiras nesta quarta. Ele foi impedido por contrato.

Com os direitos vinculados ao clube alviverde, o atacante foi emprestado ao time de Jundiaí principalmente para a disputa da Copa Libertadores.

No acordo que permitiu a transferência, porém, o Palmeiras estabeleceu uma cláusula que proíbe Muñoz de enfrentar a equipe do Palestra Itália. Por isso, ele sequer foi relacionado.

O mesmo episódio "vitimou" o meia Marcel durante este Paulista. Emprestado ao São Caetano pelo clube da capital, ele não participou da derrota por 4 a 0 no Palestra, dia 19 de fevereiro, pela décima rodada.
Restando apenas duas rodadas para o fim do Paulista, as chances que já eram pequenas foram reduzidas a zero para a equipe alviverde. Com 33 pontos, o time de Emerson Leão está com sete de desvantagem para o líder Santos, que bateu o Bragantino por 3 a 1 na Vila Belmiro.

"Perdemos jogos por incompetência nossa, não tenho dúvida disso. Algumas partidas que deveríamos vencer nós acabamos perdendo. O que aconteceu hoje [quarta-feira] é uma conseqüência dessas coisas que vêm acontecendo", analisou Gamarra, que deixou o gramado abatido.

O São Paulo, outro aspirante ao troféu estadual, totaliza 36 pontos e é o único que reúne condições para estragar a festa do time litorâneo, com quem possui confronto direto no próximo domingo, no Morumbi.

Ciente da boa vantagem dos rivais, beneficiados com o empate entre Palmeiras e Corinthians no clássico do fim de semana, Emerson Leão decidiu poupar as energias de seu elenco.

Além de não poder contar com Marcinho Guerreiro, Washington e Correa, suspensos, ele preferiu não relacionar Edmundo, Marcinho e Alceu para o duelo de Jundiaí. Marcos, Juninho e Douglas ainda se recuperam de lesões.

PAULISTA: ALGOZ PALMEIRENSE
O Paulista está virando uma pedra no caminho do Palmeiras. Sem faturar o Estadual desde 1996, antes da atual edição, o time alviverde havia chegado perto do título em 2004.

No entanto, a equipe de Jundiaí atrapalhou sua trajetória. Nas semifinais do torneio daquele ano, o Paulista segurou dois empates com o Palmeiras e, nos pênaltis, avançou à decisão.

Na final, porém, o São Caetano levou a melhor e obteve duas vitórias sobre o clube do interior, conquistando pela primeira vez a competição.
A equipe mista, então, mostrou a esperada diferença técnica para os titulares e sucumbiu diante do Paulista. O time de Vagner Mancini fugiu do rebaixamento no Estadual ao alcançar 24 pontos e iniciou seu "aquecimento" para a Copa Libertadores. A equipe enfrenta o River Plate em casa, no dia 5 de abril, para se manter viva no torneio.

O Palmeiras volta a campo no próximo sábado, quando recebe o Rio Branco no estádio Palestra Itália, na capital. O Paulista, antes do embate com os argentinos, atua novamente diante de sua torcida, mas joga no domingo, contra o América, pelo Estadual.

O jogo
Os objetivos das duas equipes eram distintos. Enquanto o Palmeiras entrou em campo precisando de um bom resultado para se manter na disputa do título, o Paulista usou o duelo como um "treino de luxo" para a Copa Libertadores. Por isso, a iniciativa dos visitantes foi maior no início.

O jovem Cláudio, querendo mostrar serviço, foi o primeiro a chegar com perigo na área do Paulista, com quatro minutos de bola rolando. O chute pela direita, porém, foi prensado. Sem muita pressão pelo resultado, o time da casa ofereceu seu campo ao adversário para aproveitar o contra-ataque.

No entanto, o ataque alviverde teve dificuldades para chegar à meta de Victor, que viu chute de Lúcio passar sobre o travessão aos 19min. No minuto seguinte, o troco dos anfitriões. Após vacilo de Gamarra, Neto Baiano disparou de fora da área e a bola saiu rente à trave direita de Sérgio.

O camisa 1 do Palmeiras, contudo, teve que trabalhar mesmo aos 28min. Após escanteio da esquerda, Rever cabeceou sem marcação e Sérgio mostrou reflexo ao saltar no canto direito, desviando para fora. Antes, encaixou forte chute de Jailson de média distância.

Victor, por sua vez, entrou em ação nos minutos finais do primeiro tempo em cobrança de falta de autoria de Daniel. Após o intervalo, Sérgio levou um susto logo aos 5min. Ele espalmou chute de fora da área e Jailson, livre e com o gol aberto, concluiu muito mal, sobre o travessão.

Dez minutos mais tarde, porém, Jailson se redimiu. E Sérgio nada pôde fazer. O substituto de Muñoz fez bom cruzamento da esquerda e, depois de desvio na segunda trave, Neto Baiano apareceu livre, tendo apenas o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

Disposto a apagar a má impressão deixada na etapa inicial, Jailson ainda fez o segundo gol dos anfitriões. Aos 26min, ele aproveitou sobra dentro da área após cobrança de falta e acertou o canto direito de Sérgio, ampliando a vantagem do Paulista.

Paulo Baier, aos 35min, realizou jogada individual e concluiu com força, exigindo grande defesa de Victor. O esforço do Palmeiras, todavia, não foi suficiente para uma reação contra os anfitriões, que conseguiram fazer o terceiro em um belo gol de Bosco nos acréscimos, depois de cortar Thiago Gomes.

PAULISTA
Victor; Lucas, Dema, Rever e Beto; Marcus Vinícius, Amaral, Glaydson e Wilson (Paulinho); Neto Baiano (Bosco) e Jailson (Wesley Brasília)
Técnico: Vagner Mancini

PALMEIRAS
Sérgio; Daniel, Gamarra e Thiago Gomes; Amaral, Paulo Baier, Reinaldo, Ricardinho (Cristian) e Lúcio (Marcio Careca); Enílton (Gioino) e Cláudio
Técnico: Emerson Leão

Local: Estádio Jaime Cintra, em Jundiaí (SP)
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Auxiliares: Ednílson Corona e Nílson de Souza Monção
Cartões amarelos: Amaral (PTA), Marcio Careca (PAL), Neto Baiano (PTA)
Gols: Neto Baiano, aos 15min, Jailson, aos 26min, Bosco, aos 46min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias