! De virada, São Caetano derrota o Cruzeiro em estréia no ABC - 16/04/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  16/04/2006 - 17h59
De virada, São Caetano derrota o Cruzeiro em estréia no ABC

Do Pelé.Net
Em São Caetano do Sul

Em um jogo marcado por muitos erros dos dois lados, o São Caetano falhou um pouco menos nas finalizações e venceu o Cruzeiro, de virada, por 2 x 1, na primeira rodada do Brasileiro, neste domingo, no Estádio Anacleto Campanella. A Raposa saiu na frente, com um gol de falta logo aos 6min do primeiro tempo, mas permitiu a reação do reformulado time do Azulão, que recorreu também aos lances de bola parada.

Fotocom.net
São Caetano vence o Cruzeiro na estréia
O Cruzeiro, que abusou do direito de perder gols, entrou em campo completo, com a equipe que o técnico Paulo César Gusmão considera titular, no momento, incluindo o atacante Élber, recuperado de uma gripe e que não havia atuado na derrota para o Vitória, por 2 x 1, em Salvador, pela Copa do Brasil. Já o Azulão, comandado por Nelsinho Batista, mostrou uma equipe totalmente diferente em relação à que disputou o Campeonato Paulista.

Apenas quatro titulares no Estadual foram mantidos pelo treinador, que fez sete modificações no time, por causa de contusões e da saída de jogadores, como o goleiro Silvio Luiz, que se transferiu para o Corinthians. O maior entrosamento cruzeirense foi compensado por muita vontade e determinação do novo time do São Caetano.

O cenário não ajudava muito ao espetáculo. O gramado do Anacleto Campanella, segundo os jogadores celestes estava muito ruim. O zagueiro Moisés, culpou o campo por sua torção no tornozelo direito. A torcida do São Caetano compareceu em pequeno número ao estádio, contribuindo para tornar o jogo mais frio.

Apesar de não sofrer pressão das arquibancadas, o Cruzeiro não conseguiu se encontrar. O time celeste começou melhor em campo, mas caiu muito de rendimento. Acabou sofrendo sua segunda derrota consecutiva, pelo mesmo placar, pois havia perdido para o Vitória, pela Copa do Brasil.

Com essa derrota, o Cruzeiro demonstrou, mais uma vez, que enfrenta muitas dificuldades diante do São Caetano, especialmente no Anacleto Campanella. O time celeste venceu apenas duas vezes a equipe do Azulão, sendo só uma naquele estádio, enquanto perdeu cinco vezes, contando o jogo deste domingo.

Pelo que o time produziu foi o resultado mais injusto da rodada, mas como no futebol só ganha quem faz gol, o São Caetano fez uma boa partida
PC Gusmão, técnico do Cruzeiro, após o jogo

A Raposa volta a campo, nesta quarta-feira, às 21h45, no Mineirão, para enfrentar o Vitória. Precisa de uma vitória por 1 x 0 para conquistar a vaga às quartas-de-final da Copa do Brasil. Pelo Brasileirão, o Cruzeiro recebe o Grêmio, no próximo domingo, também em Belo Horizonte, às 18h10. Já o São Caetano visita o Corinthians, no sábado, às 16h, no Pacaembu.

Primeiro tempo
A partida começou movimentada e com gols. Foram dois - um para cada lado -, em menos de 10 minutos. O Cruzeiro, que iniciou melhor a partida, tocando a bola com tranqüilidade e buscando o ataque, não demorou a abrir o placar. Wagner, aos 6min, cobrou com perfeição falta cometida por Maxsuel sobre o meia Francismar. A alegria celeste, no entanto, durou pouco. O Azulão empatou dois minutos depois.

O gol do São Caetano também foi marcado em bola parada. Fábio Santos cometeu pênalti sobre o atacante Marcelinho, que o driblou bem, na entrada da grande área, pelo lado esquerdo, em lance que não oferecia maior perigo. "Foi pênalti", admitiu o volante celeste. Fabiano Gadelha, um dos estreantes do time da casa, cobrou bem, sem chances para o goleiro Fábio e empatou a partida.

Depois do empate do Azulão, o Cruzeiro teve 10 minutos de domínio e pressão forte. Aos 10min, Élber, que disputa o primeiro Brasileiro de sua longa carreira, dominou na área e bateu de esquerda, com a bola batendo na rede, mas pelo lado de fora. As finalizações celestes e também os cruzamentos eram deficientes.

CRUZEIRO DE CABEÇA "EM PÉ"
A derrota para o São Caetano, se não era esperada, não foi nenhuma surpresa no Cruzeiro. Afinal, o time mineiro não costuma se dar bem diante do rival paulista. Contando o jogo deste domingo, foram 10 confrontos, com cinco vitórias do clube do ABC.

A gente sabe que perdeu para um time que jogando dentro de casa tem bastante qualidade, não foi para qualquer time e consideramos que vamos brigar pelo título. Perdemos, mas saímos de cabeça em pé", comentou o meia Wagner, autor do gol cruzeirense na derrota por 2 a 1. Leia mais
Aos poucos, entretanto, o Cruzeiro foi diminuindo o seu ritmo, permitindo ao São Caetano assumir o controle do jogo, embora os visitantes tivessem mais tempo com a posse de bola. Os dois times criaram e desperdiçaram boas chances de gol. Aos 23min, Fábio rebateu uma bola, após cobrança de escanteio da direita, e o lateral-direito Jonas, livre, não aproveitou, cabeceando para fora.

Aos 27min, o árbitro Giulliano Bozzano expulsou o técnico Paulo César Gusmão, que passou a comandar o time celeste da cabine de número 8 do Anacleto Campanella, enquanto o preparador físico Jorge Sotter repassava as instruções para os jogadores. Dois minutos depois disso, Fabiano Gadelha arriscou um bom chute, mas mandou a bola para fora.

Autor do gol celeste, o meia Wagner, aos 33min, desperdiçou grande chance, quando tocou fraco e torto, depois de ótima jogada de Francismar, pelo lado esquerdo. Dois minutos depois, Élber cruzou da direita e Gil cabeceou para fora. O São Caetano deu a resposta, aos 39min, quando Cláudio cobrou bem uma falta e o Fábio defendeu. Aos 45min, Marcelinho demorou a chutar e quando o fez, bateu fraco, facilitando a defesa do goleiro cruzeirense.

Nos primeiros 45 minutos, o Cruzeiro finalizou mais. Foram nove conclusões, sete delas para fora, sem direção, contra cinco do São Caetano, que acertou a direção do gol em três vezes. A Raposa utilizou mais os cruzamentos em jogadas pelas extremas, sendo 11 vezes, contra cinco do Azulão. No quesito faltas, o time da casa bateu mais: 15 contra 10 dos visitantes.

Segundo tempo
O São Caetano voltou com Ivan - um jogador de "boa chegada", de acordo com Nelsinho Batista -, no lugar de Pedro Paulo. O Cruzeiro retornou para o segundo time com a mesma equipe e teve a primeira boa chance de gol, aos 2min, em nova cobrança de falta. O zagueiro Edu Dracena chutou forte e o goleiro Luís, o substituto de Sílvio Luiz, defendeu parcialmente, mas no rebote Luisinho não conseguiu complementar.

Aos 8min, Moisés sentiu uma torção no tornozelo direito e foi substituído pelo júnior Thiago Heleno, de 17 anos, único zagueiro no banco. Pouco depois, PC Gusmão perdeu a paciência com o lateral-direito Luizinho e o substituiu por Jonathan para tentar melhorar o rendimento da equipe por aquele setor.

A primeira boa jogada do Azulão, no segundo tempo, aconteceu aos 9min, quando Fabiano Gadelha adiantou a bola, ao dominar na grande área, permitindo a saída do goleiro Fábio, que fez a defesa. A exemplo do primeiro tempo, o jogo não era bom, com os dois times errando muitos passes e demonstrando pouca inspiração.

A trave salvou o São Caetano, em jogada do atacante Gil. Logo depois, aos 19min, o Azulão chegou ao segundo gol. Gustavo, após cobrança de escanteio, resvalou na bola de cabeça, para colocá-la nas redes e fazer o seu time virar o marcador. Depois de sofrer o gol, a equipe celeste partiu para o ataque.

Aos 22min, Luiz fez boa defesa, em nova cobrança de falta de Wagner. O Cruzeiro seguiu pressionando e criou várias oportunidades de gols para empatar, mas os seus atacantes não estavam em uma boa tarde e finalizaram mal. Quando acertaram o pé, a arbitragem anulou um gol marcado em posição legítima por Élber, aos 38min. Dois minutos depois, o mesmo Élber chutou bem, mas Luiz fez grande defesa. O São Caetano, por sua vez, após o segundo gol, abriu mão do direito de atacar, limitando-se a defender.

SÃO CAETANO 2 X 1 CRUZEIRO

São Caetano
Luiz, Jonas, Gustavo, Thiago e Cláudio (Triguinho); Maxsuel, Pedro Paulo (Ivan), Marabá e Fabiano Gadelha; Madson (Rodriguinho) e Marcelinho
Técnico: Nelsinho Batista

Cruzeiro
Fábio; Luizinho (Jonathan), Moisés (Thiago Heleno), Edu Dracena e Julio César; Diogo, Fábio Santos, Wagner (Diego) e Francismar; Gil e Élber
Técnico: Paulo César Gusmão

Data: 16/4/2006 (domingo)
Local: Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul
Público: 1.473 pagantes
Renda: R$ 17.846
Árbitro: Giulliano Bozzano (Brasília)
Cartões amarelos: Edu Dracena, Fábio Santos (Cruzeiro); Jonas, Rodriguinho (São Caetano)
Cartões vermelhos: Paulo César Gusmão (Técnico do Cruzeiro); Jonas (São Caetano)
Gols: Wagner, aos 6min, Fabiano Gadelha, aos 8min do primeiro tempo; Gustavo, aos 19min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias