! Fluminense bate Cruzeiro leva vantagem para o Maracanã - 26/04/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  26/04/2006 - 23h50
Fluminense bate Cruzeiro leva vantagem para o Maracanã

Da Redação
Em Belo Horizonte

No duelo entre dois ex-alunos do professor Vanderlei Luxemburgo, na noite desta quarta-feira, no Mineirão, o Fluminense, de Oswaldo Oliveira, levou a melhor sobre o Cruzeiro, de Paulo César Gusmão, ao vencer por 3 x 2. Com o resultado, o Tricolor pode até perder por 2 x 1 no jogo da volta, daqui uma semana, no Maracanã, que se classifica para a semifinal da Copa do Brasil.

Nervoso, desde o início do jogo, gritando, gesticulando e reclamando muito do árbitro Paulo César Oliveira, o comportamento do cruzeirense Paulo César Gusmão contrastava com a tranqüilidade exibida por Oswaldo Oliveira, outro ex-aprendiz de Luxemburgo, que pouco falava, embora permanecesse todo o tempo em pé, em sua área técnica.

Paulo César Gusmão teve um desfalque de última hora. O volante Fábio Santos, sentindo uma contusão no pé esquerdo, foi vetado e substituído por Recife. O titular fez muita falta para o Cruzeiro. Já Oswaldo Oliveira ficou sem o seu primeiro volante, Marcão, aos 20min da etapa inicial. Ele se contundiu foi substituído pelo jovem Romeu, mas o Tricolor não sentiu tanto a falta do seu camisa 5.

Cruzeiro e Fluminense vinham de vitórias. A Raposa, que ainda não havia perdido jogando no Mineirão, este ano, tinha derrotado o Vitória, por 4 x 0 (Copa do Brasil) e o Grêmio, por 3 x 1 (Brasileiro). Já o Tricolor entrou em campo defendendo uma invencibilidade de 10 jogos e um aproveitamento de 100% na Série A, com seis pontos em duas partidas.

Apesar de Oswaldo Oliveira estar há muito menos tempo no cargo, o Fluminense demonstrou, na maior parte do jogo, estar melhor armado e mais entrosado, que o Cruzeiro, comandado por Paulo César Gusmão desde o ano passado. Além disso, alguns dos principais jogadores do Flu estavam mais inspirados que os destaques celestes.

Foram os casos, especialmente do meia Petkovic e dos atacantes Tuta e Lenny, que trabalharam bem, enquanto, Gil, Francismar e Vagner, algumas das esperanças cruzeirenses, falhavam muito. Apenas o gripado atacante Élber teve uma boa atuação, levando muito perigo à defesa tricolor.

O jovem Lenny, por exemplo, foi o grande destaque do Fluminense. O terceiro gol do seu time, marcado por ele, foi de rara beleza, a ponto de empolgar o quase sempre contido Oswaldo Oliveira, que vibrou muito com o 3 x 1 da sua equipe. Já Paulo César Gusmão seguia reclamando da arbitragem, gerando a revolta de Oswaldo Oliveira que cobrava providência contra o companheiro.

Cruzeiro e Fluminense darão uma pausa na Copa do Brasil, voltando suas atenções para o Brasileirão. No domingo, às 18h10, a Raposa visita o Figueirense, em Santa Catarina, buscando a reabilitação, enquanto o Fluminense tentará sua terceira vitória consecutiva diante do Vasco, em clássico, no Maracanã, também às 18h10.

Na próxima quarta-feira, os dois times voltam a se enfrentar, dessa vez, no Maracanã. Para conseguir prosseguir na Copa do Brasil, o Cruzeiro precisará vencer por uma diferença de dois gols. Uma vitória por 3 x 2 da Raposa leva o placar para os pênaltis.

O jogo
Cruzeiro e Fluminense fizeram um bom primeiro tempo, no Mineirão, em que aconteceram boas chances de gols dos dois lados. O time da casa começou melhor, dominando a partida nos 10 minutos iniciais, mas permitiu a reação do Tricolor, que nos 10 minutos finais criou duas boas oportunidades e marcou o gol da vitória parcial, com Petkovic, aos 43min, convertendo pênalti cometido pelo goleiro Fábio no jovem Lenny.

A partida começou com uma pressão celeste. Aos 5min, o atacante Élber, que era dúvida por causa de uma gripe, recebeu belo passe de Gil e bateu de esquerda, obrigando o goleiro Fernando Henrique a fazer a sua primeira difícil da noite. A equipe cruzeirense exercia uma forte marcação sobre a saída de bola do adversário, dificultando a ação do Tricolor.

Aos poucos, no entanto, o Fluminense conseguiu se livrar dessa marcação, com maior movimentação dos seus homens de frente, e passou a igualar a partida. Na primeira chegada dos cariocas, o goleiro Fábio tirou com os pés, em bola lançada para Lenny.

Dos 10min aos 35min, o equilíbrio foi a característica da partida, com os dois times criando jogadas ofensivas, embora o Cruzeiro finalizasse mais que o adversário. Élber, que criou a primeira grande chance do jogo, voltou a ameaçar o gol do Tricolor, aos 35min, quando recebeu um lançamento pelo meio e bateu na saída de Fernando Henrique, que pôs a escanteio.

Esse foi o último bom lance do Cruzeiro no primeiro tempo. Aos 39min, Petkovic deu um bom passe para chute do ala-esquerdo Marcelo, bem defendido por Fábio, que, a exemplo de Fernando Henrique, se destacou no "dia do goleiro".

Três minutos depois, o Flu contra-atacou com Arouca. A bola chegou para Petkovic, que bateu. Fábio fez uma defesa parcial e o rebote sobrou para Leny, que recebeu pênalti do camisa 1 celeste. Na co9brança, o camisa 10 do Tricolor converteu.

Os dois times voltaram com as mesmas formações para o segundo tempo. A exemplo da etapa inicial, o Cruzeiro esboçou uma pressão, que não surtiu efeito. Para piorar as coisas para o lado celeste, cedia espaços aos contra-ataques do Fluminense e, aos 6min, Lenny aproveitou uma jogada puxada por Tuta e colocou a bola nas redes da Raposa.

Paulo César Gusmão agiu rápido e fez duas alterações para tornar a equipe mais ofensiva. Ele tirou o lateral-esquerdo Ânderson e o meia Francismar, colocando o armador Kerlon e o atacante Diego, com Wagner passando a atuar na ala esquerda. Aos 10min, com um gol de cabeça de Élber, a Raposa fez o seu gol e aumentou a pressão em busca do empate.

O Cruzeiro rondava o gol adversário, mas não conseguia finalizar. Quando o empate mineiro parecia próximo, a individualidade fez a diferença. Lenny, novamente, deu uma arrancada sensacional, driblando três zagueiros celestes, antes de bater no ângulo do goleiro Fábio. Esse gol desconcertou os donos da casa, que deixaram o Fluminense tomar conta da partida e seguir ameaçando ampliar o placar.

CRUZEIRO 2 X 3 FLUMINENSE

Cruzeiro
Fábio; Jonathan, Luizão, Edu Dracena e Anderson (Kerlon); Diogo, Recife, Wagner e Francismar (Diego); Gil e Élber
Técnico: Paulo César Gusmão

Fluminense
Fernando Henrique; Thiago Silva, Roger e Thiago; Rogério, Marcão (Romeu), Arouca, Petkovic e Marcelo; Lenny e Tuta
Técnico: Oswaldo Oliveira

Data: 26/4/2006 (quarta-feira)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Público: 22.629 pagantes
Renda: R$ 179.290
Árbitro: Paulo César de Oliveira (SP)
Cartões amarelos: Tuta, Romeu (Fluminense); Wagner, Élber (Cruzeiro)
Gols:Petkovic, aos 43min do primeiro tempo; Lenny, aos 6min, Élber, aos 10min, Lenny, aos 25min, Wagner, aos 43min do segundo tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias