! Soberano, São Paulo goleia Palmeiras em noite de Ricardo Oliveira - 24/05/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  24/05/2006 - 22h30
Soberano, São Paulo goleia Palmeiras em noite de Ricardo Oliveira

Da Redação
Em São Paulo

Presente no grupo da seleção brasileira desde o início da fase de preparação para a Copa do Mundo, o atacante Ricardo Oliveira sofreu uma lesão no joelho e acabou preterido pelo técnico Carlos Alberto Parreira, que preferiu convocar Fred. Na noite desta quarta-feira, porém, o atacante "esquecido" deu sua resposta. No Morumbi, ele acabou com a boa atuação do Palmeiras, marcou duas vezes e determinou a goleada do São Paulo por 4 a 1 em duelo válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

LÁ E CÁ

Márcio Careca marcou gol contra, o primeiro do jogo


E se redimiu empatando o jogo, mas não evitou derrota


Ricardo Oliveira marcou dois


E Alex Dias fechou o placar

"Tenho que agradecer o apoio que eu recebi de todos os meus companheiros. Hoje [quarta-feira] todo mundo trabalhou muito bem e nós conseguimos um resultado expressivo. Fomos mais eficientes e mantivemos o São Paulo em busca da liderança", comemorou Ricardo Oliveira, visivelmente entusiasmado com seu desempenho.

O resultado mantém o São Paulo perto do topo da tabela do Campeonato Brasileiro, mas representa muito mais do que isso. O time tricolor não perde um clássico desde o dia 12 de novembro do ano passado, quando levou 2 a 1 do mesmo Palmeiras no torneio nacional. Nesta temporada, nos sete confrontos contra os três rivais tradicionais (o clube alviverde, o Corinthians e o Santos), a equipe do Morumbi acumulou seis vitórias e um empate.

A supremacia tricolor em clássicos chegou a ser ameaçada no primeiro tempo desta quarta-feira. Diante de uma fraca atuação do São Paulo, que errou muitos passes, o Palmeiras chegou a dominar o confronto. A atuação positiva da equipe alviverde só ruiu no segundo tempo, quando Ricardo Oliveira marcou duas vezes e ofereceu o contra-golpe aos donos da casa.

Com o revés, termina a empolgação passageira do Palmeiras. Na rodada passada, na estréia do técnico Tite, a equipe alviverde superou o Santa Cruz em casa e conseguiu seu primeiro triunfo no Campeonato Brasileiro. Agora, com a derrocada no clássico, o time do Parque Antarctica estacionou nos quatro pontos e ficou na vice-lanterna da competição nacional, na zona de rebaixamento para a Série B.

Cabisbaixos, os jogadores do Palmeiras deixaram o gramado do Morumbi depois da goleada sem falar com a imprensa. A única exceção foi o lateral-direito Ilsinho, que se mostrou atônito com o segundo tempo de sua equipe: "Nós fomos bem até o intervalo, mas eles criaram mais depois e nós erramos muito. Assim fica complicado".

Neste fim de semana, na oitava rodada do Campeonato Brasileiro, São Paulo e Palmeiras entrarão em campo apenas no domingo, ambos às 18h10. O time tricolor visitará o Vasco em São Januário, no Rio de Janeiro, e a equipe alviverde receberá o Grêmio no Parque Antarctica, em São Paulo.

O jogo
O mistério foi a principal aposta do Palmeiras nos momentos que precederam o confronto com o São Paulo, na fria noite desta quarta-feira. O time alviverde atrasou a entrada em campo e deixou o rival tricolor esperando no gramado do Morumbi, que teve pouco público presente. Quando saiu dos vestiários, a equipe dirigida por Tite contrariou os treinos feitos durante a semana e, em vez do esquema 3-6-1 com Washington isolado na frente, apresentou um 4-4-2 com Muñoz e Enílton no ataque.

DESPEDIDA DE TRIO
O trio de arbitragem que conduziu o clássico desta quarta-feira fez sua despedida do Campeonato Brasileiro. O juiz Carlos Eugênio Simon e os auxiliares Ednílson Corona e Aristeu Leonardo Tavares vão se ausentar do torneio devido à participação na Copa do Mundo.

O trio viajará para a Europa nesta semana e participará de um período de concentração antes do Mundial. "Vamos ter algumas palestras para padronizarmos procedimentos e conhecermos algumas determinações da Fifa", contou Simon.

"Convocado" para a Copa do Mundo, Simon espera ter dos torcedores brasileiros o mesmo apoio que a seleção vai receber. "Quero representar meu país de forma positiva e tomara que o carinho seja o mesmo que aconteceu em 2002. Naquele ano o povo demonstrou muito apreço pela nossa arbitragem", lembrou.
A alteração inesperada, contudo, não pareceu novidade para o São Paulo. "Sabemos que eles virão com uma linha de quatro homens na defesa, três volantes, o Paulo Baier isolado na armação e dois homens na frente", previu o treinador tricolor Muricy Ramalho antes do início do jogo. E se houve surpresa para alguém no Morumbi, foi para o próprio Palmeiras.

Isso porque, logo aos 5min da etapa inicial, Leandro cruzou de três dedos da esquerda para o segundo pau. Pressionado por Lugano, o lateral-esquerdo Márcio Careca cabeceou para trás e acertou o canto direito de Sérgio, marcando contra e colocando os donos da casa em vantagem no clássico.

"Foi um vacilo muito grande. O São Paulo começou o jogo com mais posse de bola e nós não conseguimos administrar essa pressão. Precisamos ter mais calma para jogar", cobrou o lateral-direito Ilsinho, que curiosamente é um dos mais novos do Palmeiras.

Em desvantagem, o Palmeiras esqueceu a postura cautelosa que havia apresentado no início do duelo e partiu para cima do São Paulo. Com isso, a equipe alviverde assumiu o controle da partida e criou duas boas oportunidades para marcar. Na primeira, aos 12min, Ilsinho fez grande lance individual pela direita e chutou cruzado. Bosco espalmou, Paulo Baier bateu de primeira no rebote e Bosco praticou nova defesa. Paulo Baier voltou a levar perigo aos 21min, quando foi lançado por Francis na esquerda, dentro da área, e finalizou cruzado. A bola passou, rasteira, perto da trave direita.

Desligado no jogo, com muitos erros de passe na intermediária, o São Paulo ofereceu o domínio ao Palmeiras. E o time alviverde, que aos poucos foi se soltando em campo, foi premiado aos 39min. Em cobrança rápida de falta, Paulo Baier foi lançado dentro da área e finalizou forte. Bosco defendeu parcialmente e Márcio Careca apareceu para marcar no rebote. Assim, o lateral-esquerdo que havia marcado contra conseguiu a redenção. "Eu acreditei no lance, consegui bater com qualidade e paguei meu erro", comemorou.

EM 2006, SÃO PAULO CONTRA...
Corinthians: dois jogos e duas vitórias
Palmeiras: quatro jogos, três vitórias e um empate
Santos: um jogo e uma vitória
Só que o bom momento do Palmeiras não teve seqüência depois do intervalo. O time alviverde voltou desligado, não acertou a marcação nas laterais e ofereceu espaço para o São Paulo. Com isso, foi castigado com dois gols em pouco tempo, ambos em lances pela direita.

O gol de desempate do São Paulo aconteceu aos 7min, quando Leandro cruzou rasteiro da direita. No meio da área, Ricardo Oliveira se antecipou ao zagueiro Leonardo Silva e completou de primeira, no canto esquerdo de Sérgio, para marcar seu primeiro gol com a camisa tricolor.

Assim como havia acontecido no primeiro tempo, o Palmeiras tentou sair. Só que o São Paulo não apresentou a mesma queda de rendimento, manteve a seqüência e ampliou sua vantagem. Aos 11min, André Dias lançou Alex Dias na direita e o atacante cruzou na cabeça de Ricardo Oliveira, que apenas deslocou Sérgio.

Totalmente desmontado, desarrumado em campo, o Palmeiras ainda apostou em jogadas individuais. Mas foi castigado aos 37min, quando Mineiro lançou rasteiro para Alex Dias, que aproveitou um vacilo de Leonardo Silva na marcação. O atacante recebeu dentro da área, driblou Sérgio e completou para as redes. O quarto gol do São Paulo definiu o placar e deu início aos gritos de "olé" e de "freguês" da torcida mandante no Morumbi.

SÃO PAULO
Bosco; André Dias, Lugano e Edcarlos; Leandro, Mineiro, Josué (Ramalho), Danilo e Júnior; Alex Dias e Ricardo Oliveira (Lenílson)
Técnico: Muricy Ramalho

PALMEIRAS
Sérgio; Ilsinho, Thiago Gomes, Leonardo Silva e Márcio Careca; Alceu, Francis, Wendel e Paulo Baier (Michael); Enílton e Muñoz (Washington)
Técnico: Tite

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Aristeu Leonardo Tavares (Fifa-RJ)
Cartões amarelos: Wendel (P), Leandro (S), Josué (S), Muñoz (P), Enílton (P)
Gols: Márcio Careca (contra), aos 5min, Márcio Careca, aos 39min do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 7min e aos 11min, Alex Dias, aos 37min do segundo tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias