! São Paulo vence e segue 100%, mas 'teste' falha - 15/07/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  15/07/2006 - 20h08
São Paulo vence e segue 100%, mas 'teste' falha

Da Redação
Em São Paulo

A liderança do Campeonato Brasileiro, primeiro tópico da lista de metas do São Paulo para este sábado, foi alcançada. O time paulista também manteve aproveitamento total de pontos como mandante na competição ao fazer 2 a 1 sobre o Figueirense, no Morumbi. No entanto, se a partida serviu como prévia para o confronto contra o Estudiantes, na próxima quarta-feira, válido pelas quartas-de-final da Copa Libertadores, a torcida tricolor tem motivos para ficar ressabiada.

Fernando Santos/FI
Jogadores do São Paulo comemoram segundo gol na vitória no Morumbi
Isso porque o São Paulo, depois de um início arrasador e um gol de Ricardo Oliveira logo aos 2min, reduziu drasticamente o ritmo. Apática, a equipe da casa ofereceu o empate ao Figueirense, que se movimentou muito mais em campo. O triunfo tricolor só chegou com um gol do defensor André Dias, de cabeça, nos acréscimos do segundo tempo. "O time já estava naquela pressão final, fazendo de tudo para tentar alcançar a vitória, e eu resolvi ir para a área também. Normalmente, só dois zagueiros subiriam naquela bola e eles seriam o Lugano e o Edcarlos", confessou o camisa 2.

Graças ao gol marcado por André Dias, o São Paulo mantém 100% de aproveitamento como mandante no Campeonato Brasileiro. A equipe do Morumbi já acumula sete vitórias em sete partidas e foi vazada apenas três vezes em seus domínios (neste sábado, na goleada por 4 a 1 sobre o Palmeiras e no triunfo por 2 a 1 diante do Grêmio).

O bom desempenho em casa levou a equipe do Morumbi, ao menos momentaneamente, à liderança do Campeonato Brasileiro. O São Paulo soma agora 26 pontos, dois a mais que Cruzeiro e Internacional (que entrarão em campo neste domingo). "A nossa motivação para a partida contra o Figueirense era enorme. Em uma competição tão equilibrada, nós vamos dormir na liderança e isso mostra que nosso trabalho está no caminho certo", comemorou o centroavante Ricardo Oliveira.

A festa e o alívio pelo triunfo deste sábado, contudo, não escondem a frustração do São Paulo diante do rendimento diante do Figueirense. A partida deste sábado precedeu o confronto entre a equipe paulista e o Estudiantes, válido pelas quartas-de-final da Libertadores, no qual o clube do Morumbi não terá os zagueiros André Dias e Lugano e precisará inverter uma desvantagem (perdeu o primeiro duelo, na Argentina, por 1 a 0).

ATACANTE MANTÉM MÉDIA
Com o gol marcado logo aos 2min do primeiro tempo do jogo deste sábado, o centroavante Ricardo Oliveira ratificou o bom aproveitamento nas partidas que disputou como jogador do São Paulo no Morumbi.

Depois de ter marcado duas vezes nos duelos contra Palmeiras e Grêmio e de ter passado em branco diante de São Caetano e Fluminense, Ricardo Oliveira mantém média de um gol a cada 90 minutos no Morumbi.

"Acho importante atingir essa marca, até porque eu consegui ajudar a equipe a sair com um resultado positivo mais uma vez", comemorou o camisa 12, que tem 12 gols e é o artilheiro do São Paulo no Campeonato Brasileiro.

Os gols de Ricardo Oliveira, aliás, deixam o São Paulo muito animado. O jogador balançou as redes em três partidas e o time tricolor saiu vitorioso em todas elas.
Se o São Paulo, apesar da preocupação, tem razões para comemorar neste sábado, o Figueirense vive situação inversa. O time catarinense, que havia vencido o Santos por 2 a 1 na rodada passada, poderia ter alcançado a quinta colocação com uma igualdade ou um triunfo diante da equipe do Morumbi. Entretanto, saiu de campo com o primeiro revés sob o comando do técnico Waldemar Lemos e estacionou nos 18 pontos, na sétima posição da tabela.

"Apesar da derrota, meus jogadores estão de parabéns. Tivemos um bom desempenho diante do São Paulo, que é uma equipe de muita qualidade, e perdemos apenas em um descuido no último lance. Tenho certeza que estamos formando um grupo para um papel excelente no Campeonato Brasileiro e saio do Morumbi animado com o que fizemos", minimizou Waldemar Lemos, contratado durante a paralisação do Campeonato Brasileiro para assumir o posto de Adílson Batista, que se transferiu para o Jubilo Iwata.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Figueirense receberá o Grêmio no estádio Orlando Scarpelli, no dia 22 de julho, às 16h. O São Paulo voltará ao torneio apenas no domingo, às 16h, quando visitará a Ponte Preta em Campinas. Antes disso, porém, a equipe paulista receberá o Estudiantes às 21h45 de quarta-feira, no Morumbi, na partida de volta das quartas-de-final da Copa Libertadores.

O jogo
Na partida que precede o confronto com o Estudiantes, que pode colocar o São Paulo nas semifinais da Copa Libertadores, o maior desafio do técnico Muricy Ramalho foi motivar seu elenco. E a maior prova do sucesso dele é que o time paulista abriu o placar logo aos 2min, quando Lúcio roubou bola na esquerda e tocou no fundo para Thiago. O camisa 19 cruzou de esquerda para o segundo pau e Ricardo Oliveira, mesmo marcado por Thiago Prado, cabeceou forte, no canto esquerdo alto de Andrey.

DEFESA VOLTA A MARCAR
O gol marcado pelo zagueiro Thiago Prado neste sábado, na derrota por 2 a 1 para o São Paulo, rompeu um jejum do Figueirense. O último (e único) jogador de defesa a balançar as redes pela equipe catarinense havia sido o lateral-esquerdo Fininho, na segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Tirando o gol de Fininho e o do zagueiro Thiago Prado, o jogador mais próximo do setor defensivo que balançou as redes para o Figueirense foi o volante Carlos Alberto, também na segunda rodada, na goleada por 6 a 1 sobre o Palmeiras.

Os outros gols da equipe catarinense no Brasileiro foram feitos pelo meia-atacante Cícero (três) e os atacantes Thiago Silvy, Schwenck (seis) e Soares (cinco).
O gol fez com que a partida adquirisse o panorama ideal para o São Paulo. Extremamente rápido, sobretudo pelas laterais, o time da casa ofereceu campo para o Figueirense tocar a bola e apostou nos contra-golpes para tentar ampliar sua vantagem. O problema é que a maioria desses contra-golpes esbarrou em passes errados dos homens de frente da equipe tricolor.

"Não conseguimos segurar a bola na frente, e assim o time não conseguiu sair. Ficou muito complicado porque a partida teve muita correria, principalmente por causa desse bate-volta", admitiu o centroavante Ricardo Oliveira.

Sem ser ameaçado pelo São Paulo e com espaço para criar, já que o time da casa marcou fechado, o Figueirense criou as melhores oportunidades para marcar na etapa inicial e as desperdiçou sem exigir uma defesa difícil sequer do goleiro Rogério Ceni. Na chance mais clara dos visitantes, logo aos 4min, Soares foi lançado na esquerda, dentro da área, driblou o camisa 1 do clube paulista para o fundo e caiu pedindo pênalti. O árbitro paranaense Heber Roberto Lopes ignorou a reclamação.

"Foi uma jogada em que eu estava muito bem posicionado e não tive dúvida alguma. Ele jogou para o fundo e se chocou com o Rogério [Ceni], mas não houve a penalidade", ratificou o árbitro. "Não só não foi nada, como eu ainda acho que o atacante deles deveria ter sido punido com um amarelo por simulação", completou o goleiro do São Paulo.

Os espaços que o Figueirense teve na etapa inicial se multiplicaram depois do intervalo. Apático, o São Paulo não conseguiu formular jogadas ofensivas (defeito potencializado por atuação extremamente apagada do armador Danilo). E ao contrário do primeiro tempo, o time paulista não acertou nem a marcação sobre os catarinenses.

Com espaço para atacar, mesmo sem muita qualidade técnica, o Figueirense chegou ao empate. Fininho cobrou escanteio da esquerda aos 14min e o zagueiro Thiago Prado cabeceou com liberdade para marcar, já que Edcarlos pulou extremamente pouco.

O gol de empate do Figueirense apenas evidenciou a péssima atuação do São Paulo, que conseguiu diminuir ainda mais o ritmo. Entretanto, a equipe catarinense preferiu não se arriscar e pouco produziu para ameaçar o gol defendido por Rogério Ceni. Diante disso, o técnico Muricy Ramalho modificou sua equipe e adiantou a marcação, postura que foi premiada aos 46min, quando Lúcio cobrou escanteio e André Dias marcou de cabeça.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; André Dias, Lugano e Edcarlos; Souza (Leandro), Mineiro, Josué, Danilo (Ilsinho) e Lúcio, Thiago (Alex Dias) e Ricardo Oliveira
Técnico: Muricy Ramalho

FIGUEIRENSE
Andrey; Flávio, Chicão, Tiago Prado e Fininho; Henrique, Carlos Alberto, Cícero e Marquinhos Paraná; Schwenck e Soares
Técnico: Waldemar Lemos

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz e José Carlos Dias Passos (ambos do PR)
Cartões amarelos: André Dias (S), Soares (F), Chicão (F), Flávio (F)
Gols: Ricardo Oliveira, aos 2min do primeiro tempo; Thiago Prado, aos 14min, André Dias, aos 46min do segundo tempo

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias