! Flamengo vence Vasco e fica perto do bi - 19/07/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  19/07/2006 - 23h45
Flamengo vence Vasco e fica perto do bi

Da Redação
No Rio de Janeiro

O Flamengo ficou muito próximo de conquistar o bicampeonato da Copa do Brasil. Nessa quarta-feira à noite, no Maracanã, o time rubro-negro foi superior e derrotou o Vasco por 2 a 0, conseguindo uma ótima vantagem na inédita decisão carioca do torneio nacional.

EFE
Luizão comemora o segundo gol do Flamengo na vitória sobre o Vasco
Com o resultado, a equipe da Gávea pode até perder por um gol na próxima quarta-feira para levantar a taça. Já o Vasco, para conquistar o inédito título, precisar vencer por três gols de diferença. Triunfo vascaíno por dois gols levará a decisão para os pênaltis.

Nesta noite, brilhou a estrela do centroavante Obina. Perseguido pela torcida durante toda a temporada passada, o atacante começa a cair no gosto dos torcedores rubro-negros. O jogador começou no banco de reservas, mas entrou aos 10min do segundo tempo e em sua primeira participação abriu o placar. Luizão anotou o segundo gol.

"Não ganhamos nada ainda. Ainda temos 90 minutos pela frente. Da mesma forma que vencemos por dois gols hoje [quinta-feira], o Vasco pode vencer na semana que vem", disse Obina.

A vitória acalmará o clima na Gávea e dará maior tranqüilidade ao técnico Ney Franco até o dia do jogo de volta. O treinador e o elenco vinham sendo muito cobrados pelos péssimos resultados desde o recomeço do Brasileiro, quando o Fla foi goleado em casa pelo Paraná e depois perdeu para os reservas do Vasco.

A viagem para Itu-SP, nesta quinta-feira, está mantida, mas será feita sem muita pressão. O elenco que participou da partida desta quarta irá para o interior de São Paulo com Ney Franco e ficará treinando apenas para a segunda final.

Desta forma, caberá aos jogadores que não estão inscritos na Copa do Brasil e aos que não têm sido muito utilizados tentar melhorar a situação do Fla na tabela do Brasileiro. Com os titulares poupados, eles terão a incumbência de derrotar o Santa Cruz, domingo, pelo Brasileiro, em Recife.

Mesmo critério será adotado novamente pelo Vasco no fim de semana. O técnico Renato Gaúcho escalará uma equipe repleta de reservas para o jogo de domingo, contra o Atlético-PR, em São Januário.

Além de preservar fisicamente os titulares e corrigir os erros apresentados, o treinador terá como principal tarefa animar os jogadores, abatidos após a derrota desta quarta-feira.

O time não esteve bem essa noite e só se lançou ao ataque depois de estar perdendo por dois gols. Edílson e Morais, maiores esperanças do clube, foram neutralizados pela marcação rubro-negra e não conseguiram brilhar.

"Acredito que minha equipe vai jogar melhor na próxima partida. É uma decisão e em uma decisão tudo acontece. Acredito muito no Vasco ainda", disse Renato Gaúcho.

O jogo
O técnico Ney Franco surpreendeu e escalou o Flamengo no esquema 3-6-1, com apenas Luizão no ataque. "Realizei um treinamento na terça-feira com essa formação e aposto na experiência dos atletas. Todos já jogaram nesse esquema ao longo da carreira", disse o treinador.

Com a formação, o Fla povoou o meio-campo e ficou mais tempo com a posse de bola, mas o time esteve lento e errou muitos passes. Além disso, o sincronismo da defesa não era o ideal e o Vasco tentou se aproveitar disso.

RENATO PERDE INVENCIBILIDADE
A derrota nesta quarta-feira não deixou o Vasco apenas mais distante do título da Copa do Brasil. O resultado negativo fez o treinador Renato Gaúcho perder a invencibilidade que ostentava dirigindo a equipe nos clássicos contra o Flamengo. Há um ano em São Januário, o técnico agora coleciona três vitórias e uma derrota contra o rival.
Logo aos 5min, Ronaldo Angelim falhou, Edílson invadiu a área pela direita e rolou para Valdiram, mas Renato Silva se esticou e evitou que a conclusão chegasse ao gol. Aos 11min, novamente nas costas de Juan, foi a vez de Valdiram escapar e cruzar rasteiro, mas Fernando salvou o Flamengo.

Contudo, o ímpeto do Vasco não durou muito e o time rubro-negro equilibrou a etapa, que ficou arrastada e com os ataques esbarrando nas marcações adversárias. O primeiro bom momento do Fla aconteceu somente aos 32min, quando Luizão cabeceou com perigo cruzamento de Juan e Cássio defendeu.

O lance despertou o Flamengo e no minuto seguinte Juan quase marcou, mas o chute da entrada da área passou rente à trave esquerda de Cássio. Depois disso a equipe rubro-negra mandou no restante da etapa, mas não ameaçou mais.

"A gente teve mais chances, mas não podemos ceder contra-ataques, que é o que o Vasco quer", disse Juan na saída para o intervalo.

"Temos de ter tranqüilidade para sair jogando. Não adianta dar chutão o tempo todo, porque não temos jogadores altos na frente", bradou Edílson.

As equipes voltaram sem alterações para o segundo tempo, mas, com menos de 10min, ambos os treinadores mexeram. Primeiro, Renato tirou Ramón e colocou Abedi. Logo depois, o zagueiro do Flamengo Renato Silva saiu machucado e Ney Franco lançou o atacante Obina, desmanchando o esquema 3-6-1.

Em sua primeira participação na partida, Obina conseguiu um escanteio, aos 14min. Na cobrança na área do Vasco, a bola sobrou para o atacante, que chutou forte, no ângulo esquerdo de Cássio e fez um belo gol.

O Vasco sentiu o golpe e se desarrumou completamente em campo. O Flamengo aproveitou o embalo e ampliou no ataque seguinte. Aos 17min, Leonardo Moura levantou na segunda trave e Luizão, sozinho, cabeceou para o fundo das redes.

Desesperado, o Vasco foi para cima e Abedi, aos 18min, chegou a driblar o goleiro Diego, mas perdeu a passada e desperdiçou ótima oportunidade. Depois, aos 24min, Andrade acertou o travessão em cobrança de falta.

Preocupado, Ney Franco voltou a fechar o time rubro-negro e sacou de uma só vez os meias Toró e Renato Augusto, colocando o zagueiro Rodrigo Arroz e o volante Júnior.

As mudanças deram certo e o Fla conseguiu segurar o resultado, para delírio de sua torcida, que gritou "olé" no fim da partida e provocou o Vasco cantando "vice de novo", em uma alusão aos seguidos campeonatos estaduais conquistados em cima do rival nos últimos anos.

FLAMENGO
Diego; Renato Silva (Obina), Fernando e Ronaldo Angelim; Leonardo Moura, Jônatas, Toró (Rodrigo Arroz), Renato, Renato Augusto (Júnior) e Juan; Luizão
Técnico: Ney Franco

VASCO
Cássio; Wagner Diniz, Jorge Luiz, Fábio Braz e Diego; Ives, Andrade, Ramón (Abedi) e Morais; Valdiram (Ernane) e Edílson
Técnico: Renato Gaúcho

Local: estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa-RS)
Auxiliares: Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa-SP) e Ana Paula de Oliveira da Silva (Fifa-SP)
Cartões amarelos: Júnior (F), Ronaldo Angelim (F), Ramón (V), Andrade (V), Ives (V)
Gols: Obina, aos 14min, Luizão, aos 17min do segundo tempo

Veja também
Leia mais


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias