! Palmeiras mantém boa fase e Botafogo entre os últimos - 13/08/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  13/08/2006 - 17h57
Palmeiras mantém boa fase e Botafogo entre os últimos

Da Redação
No Rio de Janeiro

O gol mil na Série A não foi suficiente para o Botafogo ultrapassar o Palmeiras. Neste domingo, no Maracanã, o time paulista venceu por 3 a 1, se afastou da zona do rebaixamento e deixou o adversário para trás, dentro do grupo de risco.

A VITÓRIA DO PALMEIRAS
Folha Imagem
Edmundo vibra com Enílton...

Folha Imagem
...autor de dois gols neste domingo contra o Botafogo

Folha Imagem
Paulo Baier fechou o placar

Marcelinho entrou para a história do Botafogo ao marcar o milésimo gol do time em Campeonatos Brasileiros. Contudo, Enílton foi quem brilhou. Ele fez dois - o último em lance polêmico - e deu o passe para Paulo Baier marcar o terceiro do Palmeiras, que chegou à sua sexta partida invicta.

Com a vitória, o Palmeiras foi a 20 pontos e pulou da 16ª para a 12ª posição, a uma da zona de classificação para a Sul-Americana. Enquanto isso, o Botafogo - que já estava dentro do grupo de risco antes da rodada - ficou com 17, na 17ª colocação.

O time paulista segue com o melhor aproveitamento entre os 20 participantes depois do reinício do Brasileiro. Após a Copa do Mundo, o Palmeiras venceu cinco partidas - contra Vasco, Corinthians, Goiás, Paraná e Botafogo - e empatou uma (contra o Fortaleza, na rodada passada).

"As dificuldades eram exatamente as que eu imaginava. Havia necessidade de buscar resultado imediato, além da zona de rebaixamento pressionar muito o time. Sabia que os cinco primeiros jogos seriam os mais complicados, mas depois me surpreendi com a conscientização da equipe", afirmou o técnico do Palmeiras Tite.

Do outro lado, o Botafogo sonhava com uma vitória para acabar com a sina dos empates. O time é o recordista de igualdades no Brasileiro (oito) e havia empatado as três partidas anteriores à deste domingo - contra reservas do Inter e do São Paulo, além do Fluminense com dez desde o primeiro tempo.

Por isso, o técnico Cuca queria uma vitória para "encorpar" a seqüência de empates. Mas a derrota só alimentou o mal-estar do treinador pelas cobranças em virtude da série de maus resultados.

"Nossa situação preocupa e muito. Não é isso que a torcida merece, muito menos nós. Mas não faltou vontade, que é no mínimo que podemos cobrar. Portanto, não vou declarar terra arrasada nem apontar culpados", comentou Cuca, que vê luz no fim do túnel com a provável chegada de reforços.

"Não sou burro, sei que não tenho o melhor time do campeonato. Temos carências, mas estamos atrás de soluções para deixar esse time mais forte e ele vai ficar. Se não visse solução, não ia dar a cara para bater", continuou o treinador alvinegro.

Botafogo e Palmeiras voltam a campo no meio da semana para a disputa da 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto o time carioca vai a Goiânia para enfrentar o Goiás, na quarta-feira, às 20h30, o paulista recebe o Juventude, em São Paulo, no dia seguinte, no mesmo horário.

O jogo
O começo de partida foi equilibrado, mas com pouca emoção e muitos erros. Contudo, aos 10min, o Palmeiras abriu o placar num lampejo de Juninho. Ele recebeu na meia direita e lançou pelo alto na medida para Enilton, que dominou dentro da área, pela esquerda, e tocou na saída de Lopes.

POLÊMICA NO SEGUNDO GOL
O segundo gol de Enílton gerou muita reclamação dos alvinegros. Eles alegam que o atacante adversário cometeu falta no zagueiro Rafael Marques antes de marcar.

"Estava completamente na bola. Ia recuar de cabeça para o Lopes, mas de repente o Enilton me empurrou, claramente, com as duas mãos", reclamou o zagueiro do Botafogo.

"Tive oportunismo. Fui feliz, a bola sobrou para mim. Melhor para a gente, que conseguiu fazer 2 a 1", defendeu-se Enílton.
Entretanto, a alegria dos palmeirenses só durou três minutos. Aos 13min, Reinaldo dominou no meio-campo e deu excelente passe rasteiro para Marcelinho, que arrancou pelo meio, invadiu a área, e rolou na saída de Diego para empatar o jogo.

O Botafogo se animou e foi para cima do Palmeiras em busca da virada. Aos 21min, Claiton chutou forte da entrada da área e a bola saiu rente ao travessão.

Mas o Palmeiras desempatou a partida num lance polêmico, aos 36min. Enílton foi lançado na entrada da área, pela direita, e dividiu com Rafael Marques. O zagueiro do Botafogo se chocou com Lopes, que soltou a bola nos pés do atacante alviverde. Com o gol vazio, ele só teve o trabalho de rolar para o fundo da rede.

"Mordido", o Botafogo voltou com tudo para o segundo tempo. Logo no primeiro minuto, Marcelinho recebeu cruzamento da direita e subiu livre, mas cabeceou fraco.

DININHO E VALDIVIA ESTRÉIAM
A partida deste domingo marcou as estréias do zagueiro Dininho e do chileno Valdivia com a camisa do Palmeiras. O defensor, que ganhou destaque no futebol brasileiro atuando pelo São Caetano, foi repatriado pelo clube alviverde após uma passagem pelo futebol japonês. Já Valdivia entrou no segundo tempo, no lugar de Edmundo.
Aos 4min, Joilson recebeu passe de Reinaldo, invadiu a área, pela esquerda, e chutou cruzado. Diego espalmou e a zaga afastou antes que Reinaldo marcasse.

O Botafogo tentava pressionar o Palmeiras, mas não conseguia concluir com perigo. O time visitante passou a explorar os contra-ataques e ampliou a vantagem aos 26min. Enílton roubou a bola no meio-campo, arrancou pela esquerda e cruzou rasteiro da linha de fundo. Paulo Baier apareceu no segundo pau e só rolou para dentro.

Depois do terceiro gol, o Botafogo se abateu e não teve forças para buscar o empate, enquanto o Palmeiras, nos cotnra-ataques, assustava. Aos 45min, Rosembrick arrancou pela esquerda e chutou forte, acertando a trave direita de Lopes, no últmo lance de perigo da partida.

BOTAFOGO
Lopes; Ruy, Rafael Marques, Scheidt e Joilson (Felipe Adão); Alê (Thiago), Diguinho, Claiton e Zé Roberto; Marcelinho e Reinaldo
Técnico: Cuca

PALMEIRAS
Diego; Nen, Dininho e Alceu; Paulo Baier, Francis, Wendel, Juninho Paulista (Rosembrick), Edmundo (Valdivia) e Michael; Enílton (Marcinho)
Técnico: Tite

Local: estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Alício Pena Junior (Fifa-MG)
Assistentes: Marco Antônio Gomes e José de Souza (ambos de MG)
Cartões amarelos: Michael (P), Rafael Marques (B), Alceu (P), Francis (P), Joilson (B), Rosembrick (P), Diguinho (B)
Gols: Enílton, aos 10min, Marcelinho, aos 13min e Enílton, aos 36min do primeiro tempo; Paulo Baier, aos 26min do segundo tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias