! Heróico, Corinthians arranca empate contra líder São Paulo - 10/09/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  10/09/2006 - 17h58
Heróico, Corinthians arranca empate contra líder São Paulo

Danilo Valentini
Especial para o Pelé.Net
Em São Paulo

O São Paulo manteve o tabu e a liderança do Campeonato Brasileiro, mas o Corinthians é que comemorou o empate por 0 a 0 neste domingo, no Morumbi. Jogando com dois a menos desde o primeiro tempo (os laterais César e Eduardo foram expulsos), o time alvinegro se fechou, segurou o rival tricolor e alcançou sua quarta partida consecutiva sem sofrer gols e se consolidou longe da zona de rebaixamento. Assim, sofrido, confirmou a postura cobrada pelo treinador Emerson Leão, que tem ressaltado ultimamente a importância de um perfil aguerrido e dedicado de seus comandados.

JOGO QUENTE NO MORUMBI
Folha Imagem
Mesmo com expulsões, Corinthians resiste pressão no primeiro tempo
Folha Imagem
Estreante Amoroso briga com Mineiro no meio-campo
Folha Imagem
Leão e jogadores corintianos discutem com árbitro Héber R. Lopes
Folha Imagem
Enquanto que torcedores do Corinthians brigam com a PM
Folha Imagem
Em campo, Corinthians sofre para segurar empate sem gols até o fim
FOTOS DO CLÁSSICO
MELHORES MOMENTOS
"Temos que ser competitivos antes de qualquer coisa. Não vamos dar espetáculo sempre e a primeira coisa é acertar a parte defensiva. Se não tomarmos gols, aí nós podemos começar a trabalhar para fazê-los. Essa postura guerreira é importante para nós", determinou Leão, que acumulou cinco triunfos, dois empates e apenas uma derrota nas oito partidas que fez à frente do Corinthians.

Pressionado pelas expulsões de César e Eduardo ainda na etapa inicial, o Corinthians se fechou no campo de defesa e se limitou a impedir os avanços do São Paulo. A atuação consistente fez a zaga alvinegra alcançar seu quarto jogo seguido sem levar gols (o time do Parque São Jorge foi vazado apenas três vezes desde a chegada de Leão) e manteve a equipe alvinegra longe da zona de rebaixamento, agora com 27 pontos, na 13ª posição.

A consistência da defesa alvinegra ainda foi corroborada pela participação de sua torcida, que superou as cobranças da fase pré-Leão e a desconfiança das partidas anteriores. Neste domingo, apesar de o Corinthians ter mantido o jejum de vitórias diante do São Paulo (rival que não supera desde 2003, há 12 jogos), os jogadores foram aplaudidos na saída de campo. "Nós tivemos muita raça hoje [domingo] e é isso que todo mundo quer da equipe. Com essa dedicação nós podemos brigar por coisas melhores no Campeonato Brasileiro", avisou o volante Magrão, único estreante que jogou os 90 minutos (César foi expulso no início e Amoroso foi substituído por Renato no segundo tempo).

Além de ter igualado a maior invencibilidade do Corinthians na história do clássico (veja quadro), o São Paulo manteve a liderança do Campeonato Brasileiro (agora com 43 pontos). Entretanto, oferece uma oportunidade para o segundo colocado Santos reduzir a diferença e começa a ser pressionado pela queda de rendimento depois da derrota para o Internacional na decisão da Copa Libertadores.

"Perdemos uma chance importante para vencer e sabemos que uma vitória no clássico daria mais tranqüilidade. Tivemos dois a mais desde o começo do jogo, mas não soubemos aproveitar essa superioridade e o Corinthians marcou muito bem. Isso fez a diferença para eles", admitiu o meia são-paulino Lenílson.

Dono de um dos melhores ataques do Campeonato Brasileiro (marcou 37 vezes, o mesmo que o Grêmio), o São Paulo teve neste domingo a terceira partida sem marcar gols na competição nacional (antes disso, a equipe tricolor havia passado em branco apenas nas derrotas para Fortaleza e Santos).

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, as duas equipes entrarão em campo como mandantes. O Corinthians receberá o Paraná no sábado, dia 16 de setembro, às 18h10, no Pacaembu, e o São Paulo jogará contra o Internacional no domingo, dia 17, às 16h, no Morumbi. Antes disso, porém, os paulistas terão confrontos decisivos por outras competições. O clube alvinegro enfrentará o Vasco na quarta-feira pela Copa Sul-Americana e o time tricolor disputará o título da Recopa Sul-Americana contra o Boca Juniors na quinta-feira.

O jogo
Impulsionado por três triunfos consecutivos em suas últimas partidas (duas pelo Brasileiro e uma pela Copa Sul-Americana) e pelas estréias de César, Magrão e Amoroso, o Corinthians começou com postura ofensiva no clássico deste domingo. "É claro que o entrosamento é uma peça importante, mas eu pedi para os meus atletas aproveitarem o momento e terem uma postura incisiva", contou o treinador alvinegro Emerson Leão.

CORINTHIANS HISTÓRICO
Folha Imagem
Corinthians ficou 12 partidas sem perder para o São Paulo
08/08/67: 1 x 0, pelo Paulista
17/04/77: 1 x 0, pelo Paulista
21/08/77: 1 x 0, pelo Paulista
28/08/77: 2 x 1, pelo Paulista
02/10/77: 2 x 1, pelo Paulista
04/12/77: 2 x 0, pelo Brasileiro
05/01/78: 1 x 1, pelo Brasileiro
10/12/78: 0 x 0, pelo Paulista
05/05/79: 2 x 2, pelo Paulista
26/08/79: 2 x 0, pelo Paulista
15/09/79: 1 x 1, pelo Paulista
21/11/79: 2 x 1, pelo Paulista
Entretanto, o ímpeto ofensivo exagerado do Corinthians aos poucos se confundiu com instabilidade emocional. E as laterais, melhores opções de ataque para a equipe alvinegra no início do confronto, foram os setores mais prejudicados. O estreante César foi expulso de campo logo aos 4min (chutou Souza por trás quando o são-paulino protegia a bola) e o ala Eduardo recebeu o vermelho aos 25min (acertou um carrinho por trás no atacante Thiago), deixando os visitantes com dois homens a menos.

Para amenizar a inferioridade numérica, Emerson Leão tirou o meia Roger e colocou Gustavo Nery em campo aos 9min. Assim, diminuiu o poder de criação do Corinthians. O são-paulino Muricy Ramalho respondeu com uma troca do ala Souza pelo centroavante Tadeu, deslocando Alex Silva para a lateral direita e abolindo a linha de três zagueiros.

Com a nova configuração tática, o jogo se tornou totalmente favorável ao São Paulo. O time tricolor teve amplo domínio da posse de bola até a intermediária ofensiva e trocou passes lateralmente diante do recuado Corinthians. No entanto, os donos da casa sentiram falta de criatividade e não conseguiram fazer a bola chegar a Tadeu e Thiago. "Nós estamos com mais gente em campo, mas se todo mundo ficar parado é a mesma coisa. Eles estão lá atrás, dentro da área, e não adianta nós esperarmos um espaço aparecer. Temos que ter paciência e muita movimentação", cobrou o tricolor Leandro.

Sem movimentação e sem presença ofensiva, a despeito de ter dois homens a mais em campo, o São Paulo quase foi castigado aos 45min do primeiro tempo. Magrão dividiu uma bola com Alex Silva na meia esquerda e a sobra ficou com Rafael Moura, totalmente livre. O camisa 17 invadiu a área e chutou cruzado, no canto esquerdo baixo de Rogério Ceni, que praticou a defesa. "Não podemos ter um vacilo tão grande com 11 contra 9. O jogador deles estava sozinho e eles poderiam ter aproveitado", advertiu o camisa 1 dos mandantes.

SÃO PAULO ATUAL
Folha Imagem
São Paulo empata e iguala série invicta ante Corinthians
15/06/03: 2 x 1, pelo Brasileiro
12/10/03: 3 x 0, pelo Brasileiro
15/02/04: 1 x 0, pelo Paulista
30/05/04: 1 x 1, pelo Brasileiro
19/10/04: 0 x 0, pelo Brasileiro
27/02/05: 1 x 0, pelo Paulista
08/05/05: 5 x 1, pelo Brasileiro
07/09/05: 3 x 2, pelo Brasileiro
24/10/05: 1 x 1, pelo Brasileiro
12/02/06: 2 x 1, pelo Paulista
07/05/06: 3 x 1, pelo Brasileiro
10/09/06: 0 x 0, pelo Brasileiro
Para tentar aumentar a criatividade do São Paulo, o técnico Muricy Ramalho tirou o zagueiro Edcarlos no intervalo, deslocou Leandro para a lateral direita e colocou em campo o meia Danilo. A modificação deu mais mobilidade à equipe da casa, que seguiu com total domínio da posse de bola e se aproveitou da postura acuada do Corinthians para ter superioridade total do início do segundo tempo.

Com Danilo em campo e mais participação ofensiva de Lenílson, o São Paulo passou a pressionar no segundo tempo. E ameaçou o Corinthians em seguidos cruzamentos da esquerda, sempre direcionados ao centroavante Tadeu (que fez sua primeira partida na equipe profissional dos donos da casa).

Na melhor das oportunidades, aos 12min, Júnior cruzou da esquerda e Tadeu subiu com liberdade. O camisa 28 cabeceou forte, mas mandou a bola no travessão de Marcelo e não conseguiu abrir o placar no Morumbi. O lance precedeu uma queda de produção do São Paulo, que voltou a apresentar a falta de criatividade da etapa inicial e não conseguiu pressionar o Corinthians.

O time alvinegro ainda cresceu de rendimento quando o treinador Emerson Leão trocou o meia Carlos Alberto e o atacante Amoroso, respectivamente, por Rosinei e Renato. As mudanças deram mais volume de jogo ao Corinthians, que ficou mais compacto. No entanto, o São Paulo respondeu com um chute de fora da área do camisa 10 Danilo, aos 27min, que acertou a trave direita de Marcelo.

A pressão do São Paulo foi seguida por uma atuação consistente do Corinthians, heróico, fechado em seu campo de defesa. O time alvinegro ainda desperdiçou uma oportunidade com Rafael Moura em contra-ataque, aos 45min (ele invadiu a área pela esquerda e chutou à esquerda de Rogério Ceni). Apesar disso, o empate já foi comemorado como um triunfo pela torcida alvinegra.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Alex Silva, Fabão e Edcarlos (Danilo); Souza (Tadeu), Mineiro, Richarlyson, Lenílson e Júnior (Alex Dias); Leandro e Thiago
Técnico: Muricy Ramalho

CORINTHIANS
Marcelo; Eduardo, Betão, Marinho e César; Marcelo Mattos, Magrão, Carlos Alberto (Rosinei) e Roger (Gustavo Nery); Amoroso (Renato) e Rafael Moura
Técnico: Emerson Leão

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Gilson Pereira (PR)
Cartões amarelos: Souza (S), Magrão (C), Carlos Alberto (C), Rafael Moura (C), Richarlyson (S), Fabão (S)
Cartões vermelhos: César (C), Eduardo (C)
Público total: 32.252
Renda: R$ 529.193,00


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias