! Palmeiras vence São Paulo, se vinga e afasta crise - 24/09/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  24/09/2006 - 18h03
Palmeiras vence São Paulo, se vinga e afasta crise

Da Redação
Em São Paulo

O que era para ser um domingo de desespero se tornou de alegria. Mesmo sem Tite no comando e sem Edmundo no ataque, o Palmeiras venceu o São Paulo, de virada, por 3 a 1, estancou a crise que assolava o clube do Parque Antarctica e empurrou a pressão para o São Paulo, que voltou a não jogar bem na tarde deste domingo, em Presidente Prudente.

CENAS DO CLÁSSICO
Folha Imagem
Torcedores de São Paulo e Palmeiras chegam juntos ao estádio
Folha Imagem
Jogador do Palmeiras tenta tirar a bola de Lenílson em Prudente
Folha Imagem
Souza comemora o primeiro gol da partida no interior de São Paulo
Folha Imagem
Nen vibra com o gol de empate do Palmeiras no clássico paulistano
Folha Imagem
Juninho e Marcinho comemoram o terceiro gol na vitória palmeirense
VÍDEO COM GOLS
FOTOS DO CLÁSSICO
Com o resultado, o Palmeiras chega aos 33 pontos e se afasta da zona de rebaixamento da competição. Já o São Paulo contou com a sorte e segue com quatro pontos de vantagem para o vice-líder Grêmio, que foi goleado por 4 a 0 pelo Goiás.

O Palmeiras mostrou que a conturbada saída do técnico Tite não abalou o grupo. Comandado pelo interino Marcelo Vilar, o time foi aguerrido em campo. Porém, a figura do ex-treinador foi lembrada após a vitória contra o rival. "A marca dessa vitória foi a vontade da rapaziada em geral, todos lutando e correndo para homenagear o Tite, que recuperou nossa equipe, e principalmente a mim, que não vinha bem", disse o lateral-direito Paulo Baier, autor do segundo gol do Palmeiras.

Mas somente Marcelo Vilar, o menos conhecido, foi capaz de vencer o São Paulo em 2006. Os dois clubes já se enfrentaram cinco vezes no ano e esta foi a primeira vitória do Palmeiras, que já teve três treinadores diferentes contra o rival nesta temporada.

Quem ficou feliz da vida com a vitória foi o diretor de futebol do Palmeiras, Salvador Hugo Palaia, pivô da saída de Tite do Palmeiras. Visivelmente emocionado, desabafou: "Foi feita justiça. Fui judiado por muita gente nos últimos dias, mas o resultado de hoje [domingo] provou que acertei ao trocar de treinador".

Em situação um pouco mais confortável com a vitória, o time palmeirense tem dez dias pela frente para definir quem será o próximo treinador. A possibilidade de permanência de Vilar não é descartada. Paulo César Gusmão e Nelsinho Baptista também são cotados para assumirem o comando. O Palmeiras só volta a jogar pelo Brasileirão no próximo mês. No dia 4 de outubro, o time enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre.

Já o São Paulo preferiu atacar a arbitragem de Cleber Wellington Abade para justificar a derrota. "O juiz errou em muita coisa contra nós. O pênalti no Marcinho [que originou o gol da virada do Palmeiras] não aconteceu. Ele escorregou", disse o ala Souza.

A derrota por 3 a 1 quebrou uma seqüência de dez jogos no Campeonato Brasileiro sem derrotas. O último revés havia sido justamente em um clássico. O time tricolor foi goleado por 4 a 0 pelo Santos, no dia 30 de julho.

O São Paulo volta a atuar pela competição no próximo fim de semana. No sábado, enfrenta o Atlético-PR, em Curitiba, em partida válida pela 17ª rodada, adiada devido à final da Copa Libertadores.

O jogo
"A expectativa é grande, temos que respeitar o Palmeiras. Clássico é sempre imprevisível e não existe favoritismo", disse o zagueiro Alex Silva antes do início do jogo.

E foi assim que começou a partida, com grandes expectativas dos dois lados, movimentada e bastante equilibrada. Logo no primeiro minuto de jogo, Thiago avançou pelo lado esquerdo do ataque e tentou cruzar. Thiago Gomes desviou para escanteio.

O primeiro chute a gol do Palmeiras só saiu aos 9min. Paulo Baier bateu forte, de fora da área, a bola desviou em Alex Silva e saiu ao lado esquerdo de Rogério Ceni, com perigo. Apenas dois minutos depois, Michael dominou a bola na meia-direita, se livrou da marcação e acertou um belo chute. Rogério espalmou para escanteio.

Diferentemente do time alviverde, que não aproveitou suas duas primeiras oportunidades, o São Paulo não vacilou. Aos 21 min, Mineiro lançou a bola para Leandro, no lado esquerdo do ataque. O jogador cruzou com precisão para Souza completar de cabeça e marcar o primeiro da equipe tricolor.

O Palmeiras sentiu o gol e passou a errar diversos passes no meio-de-campo, além de exceder no número de faltas. Porém, o São Paulo não soube aproveitar a vantagem no placar para dominar a partida e aos 35 min levou o gol de empate.

Michael cobrou escanteio pelo lado esquerdo do ataque, a zaga do São Paulo não subiu e viu Nem cabecear sozinho no canto direito de Rogério Ceni, que sequer se mexeu.

Aos 44 min, Leandro perdeu uma oportunidade incrível de colocar o São Paulo novamente à frente no placar. Após belo jogada de Josué, o jogador recebeu sozinho, invadiu a área e na saída de Diego Cavalieri, chutou por cima, desperdiçando a última chance da etapa inicial.

"Me sinto arrasado por perder uma oportunidade de marcar um gol daqueles. Mas eu e meus companheiros temos mais 45 minutos para conquistarmos o gol da vitória", afirmou Leandro.

O segundo tempo começou morno e aos 12 min, Muricy Ramalho promoveu três mudanças. Tirou Lenílson e colocou Danilo. No lugar de Richarlysson, quem entrou foi Ilsinho. Por fim, Alex Dias foi o substituto de Leandro.

Contudo, apenas três minutos depois, o São Paulo ficou com um a menos. Alex Silva, que já tinha cartão, recebeu o segundo amarelo e foi expulso de campo.

O Palmeiras se aproveitou da vantagem no número de jogadores e foi para cima.Em um lance polêmico, aos 38 min, Marcinho caiu na área e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Paulo Baier pôs o time palmeirense à frente no placar.

Aos 47 min, Marcinho recebeu lançamento, invadiu a área e marcou o terceiro gol do Palmeiras, que com a vitória, se vinga.

PALMEIRAS
Diego, Nen (Rosembrick), Thiago Gomes e Alceu; Paulo Baier, Francis, Wendel (Marcinho Guerreiro), Juninho, Marcinho e Michael; Enílton (Roger)
Técnico: Marcelo Vilar (interino)

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Souza, Alex Silva, Miranda e Júnior; Mineiro, Josué, Richarlyson (Ilsinho) e Lenílson (Danilo); Thiago e Leandro (Alex Dias)
Técnico: Muricy Ramalho

Local: estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente (SP)
Árbitro: Cléber Welington Abade/SP
Auxiliares: Ednilson Corona e Ana Paula Oliveira/SP
Cartões amarelos: Alex Silva (S), Nem (P), Richarlysson (S), Rogério Ceni (S), Thiago Gomes (P), Alex Dias (S), Josué (S), Roger (P)
Cartão vermelho: Alex Silva (S)
Gols: Souza, aos 21min, e Nen, aos 35min do primeiro tempo; Paulo Baier, aos 38min, e Marcinho, aos 47min do segundo tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias