! Flamengo goleia Fluminense e põe fim a tabu - 04/10/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  04/10/2006 - 22h30
Flamengo goleia Fluminense e põe fim a tabu

Da Redação
No Rio de Janeiro

Para pôr fim a um tabu, nada melhor do que uma goleada acompanhada da certeza de agonia do lado rival. Foi isso que o Flamengo conseguiu nesta quarta. O time "ignorou" o jejum de vitórias sobre o Fluminense e venceu o rival por 4 a 1, com bastante facilidade, no Maracanã. Para melhorar, estabilizou - ao menos por enquanto - sua situação na tabela do Campeonato Brasileiro.

IMAGENS DO JOGO
Fotocom
Petkovic protege a bola de Leonardo Moura
Fotocom
Beto dá carrinho por trás em Renato Silva
Fotocom
Tuta tenta jogada para cima de Fernando
Xpress
Obina comemora um de seus gols no jogo
GOLS DO CLÁSSICO CARIOCA
PARANÁ 2 x 1 PONTE PRETA
GRÊMIO 2 x 1 PALMEIRAS
SÃO PAULO 5 X 1 VASCO
FOTOS DA RODADA
Aposta principal do time rubro-negro para o clássico, o trio ofensivo formado por Obina, Sávio e Luizão foi mero coadjuvante no primeiro tempo. O último, inclusive, saiu machucado no intervalo. Deste modo, enquanto os atacantes não apareceram, coube a Renato marcar duas vezes em gols de falta.

Posteriormente, Obina e Sávio se soltaram e o primeiro marcou duas vezes. Esta foi a primeira vitória do Flamengo sobre o rival carioca desde fevereiro de 2004. A ausência de triunfos chegou a oito - quatro derrotas e quatro empates.

"Fizemos um belíssimo jogo. Não poderia ter sido melhor. Um clássico envolve todo um ambiente de tensão e mesmo assim o time teve a tranqüilidade para construir o placar", disse Sávio.

Mas antes do vira-vira flamenguista, Tuta manteve a média de um gol por Fla-Flu - são sete desde que chegou ao time tricolor. Apesar de sair na frente, durante quase todo o duelo, o Flu esteve mal postado e encolhido.

Nem a estréia do técnico Paulo César Gusmão, o sexto no ano, foi capaz de modificar a estrutura previsível da equipe. Com a derrota, o Fluminense fica estacionado nos 34 pontos e se aproxima da zona de rebaixamento.

"O time não apresentou a atitude que eu havia pedido. O Flamengo mesmo vencendo por 4 a 1 dividia todas as bolas e a gente apenas assistia", reclamou o treinador. "Foi vergonhoso", completou Gusmão.

Já o Flamengo, que coleciona quatro vitórias nos últimos cinco jogos, pulou para os 36 pontos e começa a pôr em prática o objetivo neste fim de ano: ficar na parte intermediária da tabela para poder se planejar adequadamente para a Copa Libertadores de 2007.

O jogo
Os passes errados do Flamengo no início do jogo custaram caro. Aos 5min, Renato Silva chutou errado, Fernando roubou para o Flu, Petkovic cruzou e Tuta marcou, de cabeça. Na comemoração, o atacante mandou os rubro-negros ficarem em silêncio.

Porém, o troco foi quase imediato. Aos 7min, Renato cobrou falta com muita força da intermediária e acertou o ângulo esquerdo de Diego para empatar a partida. A igualdade instantânea foi favorável ao Flamengo, que passou a pressionar.

Embora Sávio estivesse pouco eficiente, Renato Augusto e Obina incomodaram. Já pelo Flu, Petkovic levou vantagem na maioria dos lances e quase marcou aos 17min. Porém, Renato Silva, de carrinho, fez o corte.

Aos 28min, um erro grosseiro do árbitro Evandro Rogério Roman prejudicou o Flamengo. Juan recebeu livre de Luizão, driblou Diego e quando iria marcar foi tocado por Roger dentro da área.

O ESPECIALISTA
Faltas próximas à área têm dono no Flamengo: Renato. E neste Campeonato Brasileiro o jogador prova que o privilégio tem um porquê. Artilheiro do time no torneio ao lado de Obina, com oito gols, o meia marcou mais da metade deles em cobranças de tiros livres.

O primeiro deles foi contra o Juventude, na segunda rodada. Depois, no empate por 2 a 2 com o São Caetano, Renato acertou dois belos chutes em faltas de longa distância. Nesta quarta, novamente outros dois arremates precisos contribuíram decisivamente para a goleada sobre o Flu.

Curiosamente, estes quatro últimos gols foram feitos em equipes dirigidas por Paulo César Gusmão.

"Quero mais", afirmou Renato, que atribuiu a precisão aos treinamentos: "Estou sempre me aprimorando e treino as cobranças fortes e colocadas.
"Percebi que o Juan ficou sem ângulo e tomei a frente dele e ele acabou tropeçando em mim", tentou justificar Roger.

O árbitro ignorou o pênalti e a posterior expulsão do jogador do Flu e mandou o lance seguir. Na continuidade, Obina chutou e Henrique tirou quase sobre a linha. Por último, foi a vez de Luizão acertar o travessão.

O lance polêmico enervou os jogadores rubro-negros, que passaram a reclamar insistentemente de Roman. O Flu quase passou à frente aos 30min, quando Thiago Silva cabeceou e Paulinho afastou no canto esquerdo.

No intervalo, Luizão, com dores no pé esquerdo, foi substituído por Toró. Paulo César Gusmão também mexeu e sacou o ala-esquerdo Jean para colocar Pedrinho. A primeira chance foi do Flamengo. Aos 2min, Sávio dominou no peito e chutou com estilo no travessão.

Logo depois, o mesmo Sávio chutou cruzado e a bola passou rente à trave esquerda. A iminência do gol transformou-se em realidade aos 6min. Novamente Renato cobrou falta com perfeição e acertou o ângulo esquerdo de Diego.

O Flamengo controlou a partida nos minutos subseqüentes e chegou ao terceiro gol aos 18min. Thiago Silva, até então muito bem no jogo, saiu errado, Juan roubou e passou para Sávio. O atacante rolou e Obina colocou no canto esquerdo. Antes de entrar, a bola ainda tocou na trave.

A desvantagem do time tricolor quase foi diminuída aos 27min, mas o arremate de cabeça de Tuta resvalou na trave e saiu. Logo depois, Juan fez linda jogada pela esquerda, passou por dois adversários e cruzou rasteiro para Obina, de carrinho, fazer o quarto.

Os minutos finais foram de festa da torcida do Fla, e revolta dos tricolores, que retiraram suas faixas e hostilizaram diretoria e a maior parte dos jogadores.

FLAMENGO
Bruno; Leonardo Moura, Renato Silva, Fernando e Juan; Paulinho, Renato, Renato Augusto (Léo Medeiros) e Sávio; Luizão (Toró) e Obina (Vinícius)
Técnico: Ney Franco

FLUMINENSE
Diego; Henrique, Thiago Silva e Roger; Rogério (Neto), Marcão, Fernando (Juninho), Petkovic e Jean (Pedrinho); Beto e Tuta
Técnico: Paulo César Gusmão

Data: 3/10/2006
Local: estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Gilson Coutinho (PR)
Cartões amarelos: Roger (Flu), Luizão (Fla), Petkovic (Flu), Toró (Fla), Neto (Flu), Pedrinho (Flu), Tuta (Flu)
Gols: Tuta, aos 5min, Renato, aos 7min do primeiro tempo; Renato, aos 6min, Obina, aos 18min, Obina, aos 24min do segundo tempo


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias