! Santos inicia nova meta e vence rival direto - 21/10/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  21/10/2006 - 20h11
Santos inicia nova meta e vence rival direto

Da Redação
Em São Paulo

Até a rodada passada do Campeonato Brasileiro, o Santos tinha o líder São Paulo como principal rival e o título como meta. No entanto, o revés diante do Botafogo mudou a realidade da equipe paulista, que "esqueceu" momentaneamente a taça e planeja primeiro se consolidar na zona de classificação para a Copa Libertadores de 2007. Neste sábado, no início de sua fase com objetivo mais modesto, o time da Vila Belmiro venceu o Figueirense por 2 a 1 em sua casa e aumentou sua diferença para um rival direto.

IMAGENS DO JOGO
FI
Clodoaldo (e) e Zito foram homenageados
FI
Rodrigo Tabata chuta na saída de Andrey
FI
E comemorou o primeiro gol santista
FI
Wellington Paulista anotou o segundo gol
MAIS FOTOS DA RODADA
"O Figueirense é um dos candidatos às vagas na Copa Libertadores do ano que vem e isso mostra que eles têm qualidade. Por causa disso e pela postura deles, que foram ousados hoje [sábado], foi um jogo muito complicado. Mas conseguimos vencer, nos recuperamos depois da derrota para o Botafogo e aumentamos a vantagem", comemorou o meio-campista Zé Roberto, que atuou como segundo volante neste sábado.

O triunfo deste sábado levou o Santos a 52 pontos. Assim, o time alvinegro assumiu momentaneamente a terceira colocação do Campeonato Brasileiro e garantiu sua permanência na zona de classificação para a Libertadores por mais uma rodada.

Além da seqüência na faixa dos times que garantem vaga no torneio sul-americano, o Santos aumentou sua vantagem para o Figueirense e reduziu muito as chances de o time catarinense se classificar. A derrota deste sábado manteve a equipe alvinegra com 43 pontos, na sétima colocação. "A Libertadores não dá mais. Agora precisamos trabalhar para vencer nossos jogos e garantir pelo menos a Sul-Americana", admitiu o meia Cícero.

O alento do time catarinense, a despeito do pessimismo quanto à possibilidade de classificação para a Libertadores, é que o Figueirense jogou bem contra o Santos. "Nós criamos chances, diminuímos a vantagem deles e poderíamos ter até empatado o jogo. Enfrentamos uma grande equipe. E infelizmente, não conseguimos sair com um resultado positivo", analisou o atacante Soares, autor do gol dos visitantes neste sábado.

Diante de um adversário de qualidade e com muitos desfalques (Fábio Costa, Denis, Maldonado e Heleno não puderam atuar), o Santos soube se valer do fato de atuar em casa. A vitória deste sábado foi a quarta consecutiva da equipe paulista em seus domínios, com apenas um gol sofrido nesses jogos.

"A Vila Belmiro sempre vai ser uma arma importante. Estamos fazendo uma boa campanha e contamos com o apoio dos torcedores. Isso reflete nos resultados e dá mais ânimo para a equipe buscar forças e continuar na briga até pelo título. Nós ainda acreditamos", garantiu o meia Rodrigo Tabata, que fez o primeiro gol do Santos neste sábado.

As duas equipes voltarão a campo no próximo sábado. O Figueirense receberá o líder São Paulo no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, às 16h. Mais tarde, às 18h10, o Santos receberá o São Caetano na Vila Belmiro.

O jogo
A principal justificativa do técnico Vanderlei Luxemburgo para ter escalado o Santos no 3-5-2 neste sábado foi dar mais liberdade aos alas Kleber e André Oliveira (que é meia e atuou improvisado). No entanto, a marcação eficiente do Figueirense impediu que a equipe paulista usasse os lados do campo e deixou a partida extremamente lenta nos primeiros minutos. "Esperávamos uma pressão intensa, mas isso não aconteceu. O problema é que faltou velocidade na nossa saída de bola e não conseguimos encaixar os contra-golpes", analisou Waldemar Lemos, comandante dos catarinenses.

Quando a marcação do Figueirense falhou e os alas do Santos tiveram espaço, contudo, o time da casa foi fatal. Kleber recebeu na esquerda aos 22min e fez um lindo lançamento para Rodrigo Tabata, do meio-campo para a grande área. O camisa 8 só teve o trabalho de tocar por baixo do goleiro Andrey para abrir o placar na Vila Belmiro. "Ele se movimentou bem, criou o espaço e facilitou o passe", minimizou Kleber.

O gol parecia ser a chave para o Figueirense abandonar a postura extremamente recuada e dar espaços para o Santos dominar o jogo. Só que quando a equipe catarinense avançou, o time da casa se perdeu. "Nós começamos a encontrar dificuldades na movimentação e na marcação, e assim eles puderam tocar a bola com tranqüilidade", resumiu o meio-campista Zé Roberto, que não conseguiu acertar a divisão da cobertura com Cléber Santana e ofereceu espaço para o meia Cícero articular jogadas para os visitantes.

Entretanto, o Figueirense não conseguiu aproveitar seu bom momento em campo e não criou oportunidades claras para empatar o jogo. "Faltou um pouco de profundidade", admitiu o atacante Soares. Além disso, o time catarinense teve pouca participação ofensiva do centroavante Schwenck, que se mostrou mais preocupado em tentar cavar faltas do que com o desempenho ofensivo.

O equilíbrio do confronto durou até os 3min do segundo tempo. Rodrigo Tabata lançou da meia direita, por cima da zaga, para Wellington Paulista. O atacante recebeu dentro da área, deixou a bola tocar no gramado e concluiu de pé direito, no ângulo direito do goleiro Andrey.

Ao contrário do que havia acontecido no primeiro tempo, porém, o gol não animou o Figueirense. Em vez disso, fez com que o Santos passasse a dominar totalmente a partida na Vila Belmiro. Tanto é que o meia Rodrigo Tabata chutou uma bola da intermediária aos 16min e acertou a trave esquerda.

No momento em que o Santos era superior, o Figueirense descontou. Schwenck cruzou da direita para Soares, que desviou de primeira e venceu o goleiro Felipe. "Foi um vacilo muito grande da defesa. Ele não podia ter ficado tão livre", reclamou o zagueiro Manzur, da equipe paulista.

O gol do Figueirense precedeu um momento de baixo nível técnico no confronto deste sábado. Um pouco pelo recuo do Santos e muito pela falta de potencial ofensivo do Figueirense, o jogo ficou extremamente lento e o placar não foi mais movimentado na Vila Belmiro.

SANTOS
Felipe; Manzur, Ronaldo Guiaro e Luiz Alberto; André Oliveira, Cléber Santana, Zé Roberto, Rodrigo Tabata (André Luiz) e Kleber; Reinaldo (Jonas) e Wellington Paulista (Rodrigo Tiuí)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

FIGUEIRENSE
Andrey; Flávio, Vinícius, Tiago Prado e Édson (Alexandre); Rodrigo Souto (Henrique), Carlos Alberto, Marquinhos Paraná e Cícero; Soares e Schwenck
Técnico: Waldemar Lemos

Local: estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (Fifa-RJ)
Auxiliares: Aristeu Leonardo Tavares e Hilton Moutinho Rodrigues (ambos Fifa-RJ)
Cartões amarelos: Zé Roberto (S), Marquinhos Paraná (F), Manzur (S)
Gols: Rodrigo Tabata, aos 22min do primeiro tempo; Wellington Paulista, aos 3min; Soares, aos 22min do segundo tempo

Leia mais
CAMPEONATO BRASILEIRO


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias