! São Paulo bate Figueirense e mantém a vantagem - 28/10/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  28/10/2006 - 17h59
São Paulo bate Figueirense e mantém a vantagem

Da Redação
Em São Paulo

O São Paulo deu mais um passo rumo ao título do Campeonato Brasileiro. Neste sábado, o time tricolor ignorou a pressão e venceu o Figueirense por 2 a 0, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Desta forma, manteve a diferença para os rivais na 31ª rodada da competição nacional e diminuiu as chances de a equipe catarinense chegar à Copa Libertadores de 2007.

ROGÉRIO CHEGA AOS 700 JOGOS
Wander Roberto/Divulgação
Rogério fez seu 700º com a camisa tricolor
A partida contra o Figueirense representou mais um marco na carreira do goleiro Rogério Ceni. Foi neste sábado que o jogador atingiu 700 jogos com a camisa do São Paulo.

Rogério defendeu o clube pela primeira vez como profissional no dia 25 de junho de 1993, em goleada sobre o Tenerife, da Espanha, por 4 a 1. No entanto, só assumiu definitivamente o posto titular em 1996, no lugar de Zetti.

Depois disso, ele somou grandes atuações até se tornar um dos maiores ídolos da história do clube tricolor e o jogador que mais defendeu a equipe. Rogério também é o maior goleiro artilheiro do futebol mundial, com 66 gols marcados.

"Eu fico muito contente por fazer parte desse time. E fico feliz, acima de tudo, por ter dado juntamente com outras inúmeras pessoas um pouco de alegria para essa torcida", celebrou o atleta.
QUEM É QUEM: ROGÉRIO CENI
CLASSIFICAÇÃO DO BRASIL.EIRO
"Não podemos confundir pressão com desorganização. Se fizermos isso será bem mais complicado. Por isso, precisamos manter o que realizamos durante a temporada porque chegamos na reta final do Brasileiro e não é a hora de nos distrairmos", disse o técnico Muricy Ramalho, querendo manter o elenco focado na conquista do Brasileirão.

Com as vitórias no meio de semana de Internacional e Grêmio sobre Juventude e Fluminense, respectivamente, o São Paulo entrou em campo precisando da vitória para retomar a diferença na classificação. Mas a pressão não surtiu efeito sobre o clube do Morumbi, que chegou aos 63 pontos e permaneceu sete à frente do clube colorado, vice-líder.

Por outro lado, o resultado frustrou o Figueirense, que vê a vaga na Libertadores da próxima temporada cada vez mais longe. A equipe catarinense permanece com 43 pontos, agora na décima posição do Nacional. O clube fica a sete do Vasco, último colocado entre os times que estão garantindo um lugar no torneio sul-americano.

"Ficou um pouco mais difícil a Libertadores. O que nos deixa mais chateados é que perdemos em casa, o que não acontecia havia um bom tempo em casa. Mas essas coisas acontecem e temos que trabalhar para ao menos conquistar uma vaga na Copa Sul-Americana", lamentou o goleiro Andrey.

A vitória do time tricolor também quebrou um tabu contra as equipes paulistas. Isso porque esta foi a primeira vez na competição que um time do estado conseguiu derrotar o clube alvinegro no Orlando Scarpelli. Até o jogo deste sábado, os catarinenses conseguiram três vitórias e um empate atuando em casa.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Figueirense enfrentará o Grêmio, na quarta-feira, dia 1° de novembro, em Porto Alegre. Já o São Paulo voltará a campo no dia seguinte e terá como adversário a Ponte Preta, no Morumbi.

Wander Roberto/Divulgação
Aloisio marcou o primeiro gol do São Paulo
Wander Roberto/Divulgação
E o meia Danilo foi mais uma vez regular
O jogo
Antes do começo da partida, o árbitro Djalma José Beltrami não aceitou as camisas preta e amarela do goleiro Rogério Ceni (uma para não confundir com o adversário e outra para não confundir com a arbitragem) e forçou o jogador a usar a cinza de seu reserva Bosco. O caso atrasou em alguns minutos o apito inicial, mas não impediu que o confronto começasse muito movimentado.

Logo aos 2min, o Figueirense criou a primeira boa oportunidade de gol. Édson recebeu passe na lateral esquerda e cruzou mal para o meio. Mesmo assim, Schwenck aproveitou o lance e acertou forte chute na entrada da pequena área. A bola foi em direção à meta tricolor, mas ficou em cima da zaga rival.

Mas o lance não desestabilizou a equipe visitante, que também adotou uma postura ofensiva no começo, principalmente pela esquerda. E foi desse lado que surgiu o gol do São Paulo. Aos 21min, Souza cobrou escanteio da esquerda, e Aloísio acertou cabeçada dentro da pequena área para abrir o placar.

Depois do gol são-paulino, ambos os times ficaram mais nervosos e aumentaram o número de faltas, culminando na expulsão do técnico Waldemar Lemos por reclamação. Isso não impediu que o Figueirense partisse para cima, mas foi o São Paulo que levou mais perigo nas jogadas de contra-ataque e perdeu duas ótimas chances no fim da etapa inicial, quando Leandro e Júnior ficaram na frente de Andrey, mas desperdiçaram os lances com boas defesas do goleiro.

Mesmo assim, o São Paulo teve tempo de marcar mais um e ir para o intervalo com vantagem confortável no placar. Aos 46min, Souza arriscou chute de fora da área. A bola desviou na zaga e sobrou para Ilsinho bater cruzado para ampliar.

No segundo tempo, o Figueirense voltou pressionando o time de Muricy Ramalho. Porém, teve dificuldades para encontrar espaços no campo de ataque e passou a arriscar maior número de chutes de fora da área.

O São Paulo, por sua vez, recuou mais no confronto e demorou a explorar os contra-ataques como fez durante a etapa inicial. Aos 20min, os anfitriões chegaram com perigo pela primeira vez na etapa final. Rodrigo Souto lançou para Schwenck na intermediária. Rogério Ceni se afobou e saiu mal do gol. O atacante teve tempo para dar um toque leve, e a bola passou rente à trave esquerda tricolor.

Aos poucos, o clube paulista conseguiu ter um pouco mais de domínio da posse de bola e realizou um bom trabalho na marcação, impedindo a reação do adversário, que não fez o suficiente nem para diminuir a vantagem são-paulina.

FIGUEIRENSE
Andrey; Flávio (Tucho), Chicão, Tiago Prado e Édson (Diego); Carlos Alberto, Rodrigo Souto, Henrique e Marquinhos Paraná; Soares e Schwenck (Alexandre)
Técnico: Waldemar Lemos

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Ilsinho, Fabão, Miranda e Júnior (Richarlyson); Mineiro (André Dias), Josué, Souza e Danilo; Leandro e Aloísio (Thiago)
Técnico: Muricy Ramalho

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC)
Árbitro: Djalma José Beltrami Teixeira (Fifa-RJ)
Auxiliares: Marcos Tadeu Peniche e José Cláudio Paranhos (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Ilsinho (S), Rodrigo Souto (F), Danilo (S), Josué (S), Miranda (S), Souza (S)
Gols: Aloisio, aos 21min, e Ilsinho, aos 46min do primeiro tempo

Leia mais

Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias