! São Paulo vence o Botafogo e pode definir o título no domingo - 09/11/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  09/11/2006 - 22h26
São Paulo vence o Botafogo e pode definir o título no domingo

Marcius Azevedo
Em São Paulo

O título ficou ainda mais perto. O São Paulo aproveitou o vacilo do vice-líder Internacional, que só empatou com o Santos na última quarta, e ampliou sua vantagem para sete pontos na primeira colocação do Campeonato Brasileiro e ficou a duas vitórias da taça. Para isso, o time tricolor cumpriu seu papel de mandante eficiente e fez 3 a 0 sobre o Botafogo no Morumbi, ao som de "é campeão" dos torcedores.

CENAS DA VITÓRIA DO SÃO PAULO
Vipcomm/Divulgação
Aloísio tenta levar a melhor na disputa pelo alto com Scheidt, zagueiro do Botafogo
Vipcomm/Divulgação
Ilsinho se esforça para conduzir o São Paulo ao ataque pela lateral do campo
Folha Imagem
Atacante Leandro comemora gol do São Paulo nos minutos finais do primeiro tempo
FOTOS DOS JOGOS DESTA QUINTA
"Nós ficamos bem perto, é verdade. Mas só vamos gritar 'é campeão' quando estivermos com a mão na taça e tivermos conquistado matematicamente o Brasileiro. Por enquanto, deixamos a festa com a torcida e vamos fazendo a nossa parte, que é vencer as partidas", ponderou o centroavante Aloísio, que lançou a bola para Leandro marcar o primeiro gol do São Paulo nesta quinta.

Com sete pontos de vantagem e apenas 12 ainda em disputa, o São Paulo pode até ser campeão no próximo domingo. Para isso, o time tricolor precisa vencer o Goiás no estádio Serra Dourada e torcer para que o Internacional seja superado pelo Fortaleza em pleno Beira-Rio.

Mesmo que o Internacional não perca para o Fortaleza, porém, o São Paulo precisa vencer apenas mais duas partidas para se sagrar campeão nacional pela quarta vez em sua história. Se isso acontecer, a equipe tricolor manterá os sete pontos de vantagem e não será alcançada pelos gaúchos, que só pode somar mais 12.

Para ser campeão, o São Paulo precisa apenas ratificar seu aproveitamento como mandante. O time tricolor fará dois jogos em seus domínios (contra Atlético-PR e Cruzeiro). Até aqui, a equipe paulista perdeu apenas uma partida no Morumbi, para o rival Santos, atuando com reservas.

"Jogar na nossa casa é muito importante e precisamos aproveitar isso na reta final. A torcida vem, apóia o time e sempre dá um sabor especial de jogar aqui. O Morumbi sempre vai ser uma arma importante para nós", classificou o meia-atacante Leandro.

Se o título ficou mais perto para o São Paulo, a Copa Libertadores de 2007 ficou mais distante do Botafogo. O time carioca ficou estagnado nos 49 pontos e está a quatro do Paraná, que atualmente ocupa a última posição entre os times que garantiriam vaga no torneio se o Brasileiro acabasse hoje.

"Não perdemos a chance de classificação para a Libertadores, mas ficou mais complicado. Precisamos seguir trabalhando e vencendo os nossos jogos. Enquanto tivemos possibilidades, precisamos acreditar", cobrou o meia-atacante Zé Roberto.

O time carioca voltará a campo no próximo domingo, quando jogará contra outro paulista. O Botafogo visitará o Palmeiras às 18h10, no estádio Parque Antarctica, em duelo válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Nessa partida, o zagueiro Scheidt espera que o Botafogo apresente a mesma postura que teve contra o São Paulo: "Nós perdemos, mas encaramos o time deles de igual para igual. E quem quer chegar à Libertadores precisa disso. Vamos atuar fora de casa contra o Palmeiras, mas precisamos sair para o jogo e procurar a vitória".

O jogo
O São Paulo entrou em campo pensando em chegar mais perto do título do Campeonato Brasileiro. Para o Botafogo, uma vitória significaria a aproximação da zona de classificação para a Copa Libertadores de 2007. E mesmo com tantos motivos para o confronto ser emocionante, as duas equipes primaram pela marcação forte e pelos erros de passe na etapa inicial.

"A equipe deles veio marcando lá atrás para explorar os contra-ataques, mas nós também erramos muito", admitiu o meia são-paulino Souza. "A parte defensiva funcionou, mas faltou ousadia. Conseguimos parar o São Paulo, mas precisávamos de um pouco mais de agressividade com a bola no pé", concordou o botafoguense Zé Roberto.

Fechado, o Botafogo só chegou ao campo de ataque em lançamentos longos. No entanto, perdeu todas as jogadas desse tipo porque Reinaldo foi flagrado em impedimento. Ao contrário dos visitantes, o São Paulo tentou trocar passes curtos. O problema é que a equipe paulista esbarrou na péssima apresentação de seu meio-campo - sobretudo Lenílson. "Enfrentamos um time de qualidade e foi preciso ter muita paciência. Não podíamos ficar esticando a bola e precisávamos de humildade para ficar tocando bola de um lado para o outro", analisou o meia-atacante Leandro, da equipe da casa.

Com intenção de tocar a bola lateralmente e fazer a defesa do Botafogo abrir, contudo, o São Paulo esbarrou no alto número de passes errados. Tanto é que a equipe mandante possibilitou duas oportunidades para o meia-atacante Zé Roberto, ambas em chutes cruzados da esquerda, aos 32min e aos 37min (o goleiro Bosco defendeu as duas finalizações).

Quando acertou o toque de bola, o São Paulo conseguiu abrir o placar. Após roubada de bola no meio, Lenílson desviou de cabeça para Aloísio. O centroavante girou o corpo e lançou do meio para a direita. Leandro recebeu livre, invadiu a área e tocou no canto esquerdo alto de Max para marcar aos 46min do primeiro tempo. "Eles não estavam bem, mas mostraram por que são o melhor time do campeonato. Não podemos dar um vacilo desses", classificou zagueiro alvinegro Scheidt.

O gol mudou a postura do Botafogo para o segundo tempo. Mais aberto, o time carioca tentou marcar a saída de bola do São Paulo logo depois do intervalo. O time visitante melhorou principalmente depois que o técnico Cuca trocou o meio-campista Juca pelo atacante Wando, recuando Zé Roberto para a armação das jogadas.

Nesse momento, porém, a melhor chance de gol foi do São Paulo. Souza invadiu a área pela esquerda aos 15min e cruzou rasteiro para Leandro. Pressionado pela marcação, o camisa 9 concluiu de primeira e mandou a bola por cima do gol defendido por Max.

"O jogo foi muito embolado, com muitos erros de passe, e aí a gente precisou ser mais competente. Não dava para desperdiçar oportunidades porque o Botafogo é um adversário de qualidade", ponderou o lateral-esquerdo Júnior, que foi capitão do São Paulo nesta quinta-feira.

A postura incisiva do São Paulo voltou a aparecer aos 26min. E dessa vez, sem desperdício. Leandro cruzou da direita em um contra-golpe, Mineiro dominou no peito e errou o voleio. A sobra ficou com o meia Souza, que bateu de pé direito e ampliou a vantagem dos donos da casa.

Com a situação confortável, o São Paulo passou a tocar a bola lateralmente. Ao som do "olé" e de "é campeão" da torcida tricolor, a equipe da casa administrou o jogo e ainda ampliou a vantagem aos 48min. Depois de longa troca de passe do ataque tricolor, Leandro recebeu dentro da pequena área e tocou por baixo do goleiro Max para completar a festa da torcida mandante.

SÃO PAULO
Bosco; Ilsinho, Fabão, Miranda e Júnior (Richarlyson); Josué (Ramalho), Mineiro, Souza e Lenílson (André Dias); Leandro e Aloísio
Técnico: Muricy Ramalho

BOTAFOGO
Max; Juninho, Scheidt e Asprilla; Joílson (Lúcio Flávio), Claiton, Diguinho, Juca (Wando) e Júnior César; Zé Roberto e Reinaldo
Técnico: Cuca

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Gilson Bento Coutinho (PR)
Público: 33.917 pagantes
Renda: R$ 331.319,00
Cartões amarelos: Claiton (B), Diguinho (B), Ilsinho (S), Scheidt (B), Asprilla (B), Reinaldo (B)
Gols: Leandro, aos 46min do primeiro tempo; Souza, aos 26min; Leandro, aos 48min do segundo tempo

Leia mais
Campeonato Brasileiro
Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias