! Atlético-PR joga mal e perde para o Pachuca pela Sul-Americana - 15/11/2006 - UOL Esporte - Futebol
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  15/11/2006 - 17h27
Atlético-PR joga mal e perde para o Pachuca pela Sul-Americana

Da Redação
Em Sâo Paulo

Na primeira vez em que precisou fazer o primeiro jogo em casa pela Copa Sul-Americana, o Atlético-PR jogou mal e frustrou suas expectativas de conseguir um bom resultado na Arena da Baixada. Com um gol no fim, o time rubro-negro perdeu por 1 a 0 para o Pachuca (MEX), nesta quarta-feira, em Curitiba. A partida foi válida pela semifinal do torneio.

ATLÉTICO-PR 0 x 1 PACHUCA
EFE
Colombiano Ferreira, do Atlético-PR, é puxado por adversário do Pachuca
EFE
Caballero, jogador do Pachuca, chuta para cima durante o confronto em Curitiba
EFE
Cristian, à direita, disputa lance com adversário mexicano no jogo desta quarta
SEMIFINAL DA SUL-AMERICANA
"Queríamos um resultado positivo. Foi muito difícil, mas ainda faltam 90 minutos. O Atlético-PR foi bem, mas acredito que dominamos mais a bola. Eles têm jogadores importantes, como o Ferreira e Marcos Aurélio, e nós os neutralizamos. Por isso conseguimos a vitória", afirmou o atacante Alvarez, autor do gol da vitória do Pachuca.

Agora, o Atlético-PR terá que vencer por dois gols de diferença no México para se classificar para a final da Sul-Americana. Se triunfar por 1 a 0, o finalista será conhecido após decisão por pênaltis.

A esperança atleticana pode estar, justamente, no bom retrospecto em partidas fora da Arena na competição. Nas três fases anteriores, o Atlético-PR fez o primeiro jogo fora de seu estádio, vencendo Paraná, River Plate (ARG) e Nacional (URU).

Desta vez, com a estratégia mudada por conta da decisão fora, o Atlético-PR sofreu com a ansiedade e não conseguiu impor o ritmo de jogo que colocou durante toda a competição. Encontrou um adversário qualificado, que tocou bem a bola durante a partida, e ainda não foi de longe aquele time que empolgou sua torcida, que mais uma vez lotou a Arena da Baixada para assistir ao jogo.

"Principalmente no segundo tempo fomos muito frios. Nosso time não se encontrou, falhamos demais. Estávamos errando na marcação, deixamos contra-atacar e eles aproveitaram. Erramos muitos passes também", reclamou o goleiro Cléber.

A partida desta quarta-feira ainda tirou a invencibilidade do Atlético-PR na Copa Sul-Americana. Agora, em sete jogos pela competição continental, são cinco vitórias, um empate e uma derrota.

O jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana será na próxima quarta-feira, às 23h15 (horário de Brasília), no estádio Nemésio Dias, na cidade de Pachuca. Antes, porém, o Atlético-PR vai ao Morumbi enfrentar o São Paulo pelo Campeonato Brasileiro. O confronto diante dos paulistas acontece no próximo domingo, às 16h.

O jogo
Com características semelhantes, Atlético-PR e Pachuca foram para o ataque logo no início da partida. Aos 5min, o time da casa quase abriu o placar duas vezes. Marcos Aurélio sofreu falta na entrada da área e Jancarlos acertou o travessão na cobrança. No rebote, o camisa 11 atleticano dominou, se livrou da marcação e rolou para Alan Bahia, que chegava pela esquerda. O volante bateu de primeira e o goleiro Calero fez boa defesa com a mão esquerda.

DESPEDIDA DA ARENA
Mesmo que se classifique para a final da Copa Sul-Americana, o Atlético-PR fez nesta quarta-feira seu último jogo na Arena da Baixada nesta temporada.

Isso porque o estádio do clube de Curitiba não oferece lugares para 40 mil pessoas - capacidade mínima permitida pela Conmebol para finais dos torneios sul-americanos. Além disso, o jogo contra o Figueirense, pelo Brasileiro, será na Vila Capanema, já que o Atlético-PR perdeu um mando de campo na competição.

Diferentemente do ano passado, quando construiu arquibancadas metálicas para a final da Libertadores, a diretoria do clube já adiantou que esse ano não vai haver tentativa de ampliar o estádio caso o time de Vadão passe à final.

Em 2005, o primeiro jogo da final da Libertadores contra o São Paulo foi realizado no Beira Rio, em Porto Alegre. Este ano, porém, o Atlético-PR ainda não definiu onde seria uma possível final da Sul-Americana.
A resposta do Pachuca veio no minuto seguinte. Após cobrança de falta pela direita, a bola passou por todo mundo dentro da área e sobrou para Salazar. O volante chutou em cima de Cléber, que defendeu com os pés para salvar o Atlético-PR.

Depois do início frenético, os mexicanos começaram a cadenciar o jogo, trocando passes no meio-de-campo. Desta maneira, o Atlético-PR não conseguiu impor seu ritmo de jogo e falhou muito na tentativa de chegar à área adversária, abusando de lançamentos da defesa para o ataque. Mesmo assim, a melhor chance foi do time da casa, já que os visitantes arriscaram muitos chute de longa distância.

Aos 23min, um zagueiro do Pachuca escorregou e Marcos Aurélio aproveitou para roubar a bola e avançar de frente para o gol. O atacante atleticano ainda cortou um marcador e, em vez de bater, rolou para Ferreira. O meia demorou para chutar e a marcação apareceu para evitar o que poderia ser o primeiro gol do Atlético-PR.

A partir daí, o time brasileiro conseguiu equilibrar a partida, mas ainda assim não agradou ao técnico Vadão. "Precisamos trabalhar a bola. Eles estão trabalhando e nós não. O diferencial do jogo tem sido esse", afirmou o treinador atleticano na saída para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, porém, o Atlético-PR não conseguiu fazer o que o treinador pediu e o jogo ficou muito truncado. O time só conseguiu se acertar depois dos 15min e começou a chegar com perigo ao gol adversário. Aos 17min, Denis Marques recebeu cruzamento de Michel, dominou no peito e chutou. Só que a bola saiu pelo lado esquerdo do gol mexicano, na primeira boa chance da segunda etapa.

Depois disso, o técnico Vadão sacou o atacante Marcos Aurélio para colocar Dagoberto, que entrou bem, mas não conseguiu resolver. E no final, com a pressão do Atlético-PR, o Pachuca acertou um contra-ataque e chegou ao gol da vitória.

Aos 41min, Alvarez recebeu na entrada da área, se livrou da marcação e chutou forte, no canto direito de Cléber. Antes de entrar, a bola ainda tocou a trave da meta atleticana.

ATLÉTICO-PR
Cléber, Jancarlos, Danilo, César e Michel (Chico); Erandir, Alan Bahia, Christian (Willian) e Ferreira; Marcos Aurélio (Dagoberto) e Denis Marques
Técnico: Oswaldo Alvarez

PACHUCA
Calero, Cabrera (Rodriguez), Lopez, Mosquera e Pinto; Correa, Salazar, Caballero e Chitiva (Alfaró); Gimenez e Cacho (Alvarez)
Técnico: Enrique Meza

Local: Arena da Baixada, em Curitiba
Árbitro: Cláudio Martín (ARG)
Auxiliares: Dario Garcia e Francisco Rocchio (ambos da ARG)
Cartões amarelos: Michel (A), Pinto (P), Salazar (P), César (A), Mosquera (P), Chitiva (P), Dagoberto (A)
Gols: Alvarez, aos 41min do segundo tempo

Leia mais
Copa Sul-Americana
Veja também


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias