! Ataque funciona e São Paulo vence o Vasco no Morumbi - 17/06/2007 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte UOL Esporte
UOL BUSCA

17/06/2007 - 18h01

Ataque funciona e São Paulo vence o Vasco no Morumbi

Da Redação
Em São Paulo
O São Paulo vinha sofrendo para transformar em gols suas jogadas ofensivas. Mas, na tarde deste domingo, no Morumbi, a equipe derrotou o Vasco por 2 a 0, com dois gols do atacante Borges, e aproximou-se dos líderes do Campeonato Brasileiro.

Assim, o São Paulo repassa ao Grêmio a marca de pior ataque da competição. No último sábado, a equipe gaúcha atuou com reservas por conta da final da Copa Libertadores e foi batida em casa pelo Cruzeiro por 2 a 0. Com 10 pontos, a equipe tricolor paulista subiu para o sexto lugar na tabela de classificação.

PRINCIPAIS LANCES
Almeida
Autor dos dois gols são-paulinos, o atacante Borges (d) vibra ao lado do meia Hugo
Eduardo
Sem Romário, Vasco não consegue furar defesa são-paulina, em jogo no Morumbi
PRIMEIRO TEMPO
2min - GOOOLLL DO SÃO PAULO!!! Borges recebe passe na grande área do Vasco com liberdade e marca o primeiro gol do time mandante.
23min - GOOOLLL DO SÃO PAULO!!! Guilherme e Amaral erram saída de bola na grande área do Vasco e ela sobra para Borges, que marca seu segundo gol na partida.
36min - Cartão vermelho para Amaral, do Vasco, por falta sobre Borges - o volante agarrou o atacante adversário. Foi o primeiro cartão do jogo.
SEGUNDO TEMPO
7min - Cruzamento rasteiro de Hugo pela esquerda de ataque do São Paulo, Borges desvia na primeira trave, porém Silvio Luiz consegue fazer a defesa.
9min - Guilherme faz cruzamento pela direita de ataque do Vasco. O atacante André Dias sobre na segunda trave e desvia de cabeça por cima do gol defendido por Rogério Ceni.
30min - Ilsinho, após jogada individual pela direita de ataque do São Paulo, serve Souza na grande área do Vasco. O jogador chuta forte de perna esquerda e Silvio Luiz faz grande defesa.
39min - Com o jogo dominado, o São Paulo apenas toca a bola entre seus jogadores, buscando o ataque somente em jogadas individuais de seus atletas. Esforçado e muito limitado, o time do Vasco chega à frente esporadicamente, sem oferecer perigo.
VEJA IMAGENS DA PARTIDA
PÁGINA ESPECIAL DO SÃO PAULO
LEIA MAIS NOTÍCIAS DO VASCO
TABELA DE CLASSIFICAÇÃO
Enquanto isso, o Vasco, que teve bom início de campeonato, não conseguiu realizar grande atuação ao novamente enfrentar um rival de "maior porte". Na última quinta-feira, em partida antecipada da 17ª rodada, o clube de São Januário foi goleado em clássico contra o Botafogo, atual líder do certame, por 4 a 0. A equipe comandada por Celso Roth, então, estacionou nos 11 pontos, porém ainda à frente do adversário deste fim de semana.

Os 2 a 0 a favor da equipe paulista foram uma repetição do placar construído na estréia no Nacional, quando o São Paulo bateu o Goiás, também no Morumbi. Depois daquela vitória, e até o jogo deste domingo, Muricy Ramalho, que acumula na edição deste ano do Brasileiro o seu pior aproveitamento no comando de um time desde que a competição é disputada por pontos corridos, viu seus comandados conquistarem apenas quatro outros pontos (vitória sobre Paraná e empate com o Palmeiras), vazando a meta adversária uma única vez.

O resultado também prolonga o jejum de vitórias do Vasco contra o São Paulo no estádio do Morumbi pela competição nacional. Desde a final de 1989, quando os cariocas conquistaram o bicampeonato do Brasileiro ao vencerem por 1 a 0 - haviam ganho anteriormente o título da edição de 1975 - o time cruzmaltino não derrota os anfitriões. De lá para cá, foram, com este, onze jogos no estádio, com sete vitórias dos paulistas e quatro empates.

Antes do segundo minuto de partida, a proposta do treinador são-paulino de atuar com dois atacantes mais fixos na área começou a se mostrar efetiva. Sem Dagoberto, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo no derrota para o Atlético-MG, e Leandro, expulso na mesma ocasião, a aposta foi escalar lado a lado Borges e Aloísio, que retornou após punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). E após avanço em diagonal do ala-direito Ilsinho, titular em detrimento de Souza, que começou no banco e havia sido testado na função nos treinamentos durante a semana, Aloísio fez um corta-luz e a bola sobrou para Borges, que anotou com precisão.

O camisa 17 do São Paulo não balançava as redes desde o confronto contra o Alianza Lima, do Peru, fora de casa, ainda pela fase de grupos da Copa Libertadores da América. Naquela oportunidade, por sinal, quando o time tricolor venceu por 1 a 0, Borges fez parceria justamente com Aloísio.

Com a vantagem construída desde cedo, o São Paulo, mais bem posicionado, tranqüilizou-se ainda mais na partida e continuou criando as melhores ações ofensivas. Em contrapartida, o Vasco, com muitas dificuldades para agredir o gol defendido por Rogério Ceni, muito em virtude das ausências de Moraes (suspenso) e Romário (que ficou no Rio se preparando para o clássico contra o Flamengo) teve suas carências técnicas e emocionais explicitadas em dois momentos decisivos.

Primeiramente, aos 23min, quando o lateral Guilherme recuou de cabeça para Amaral, que perdeu a bola para Borges marcar pela segunda vez no jogo e pela sexta vez na temporada, condição que o deixa como o principal artilheiro do time nesta temporada. Com os dois anotados por Borges, o setor ofensivo são-paulino também chegou aos 16 gols neste ano - a última vez que um atacante havia marcado fora com Aloísio, na partida diante do Audax Italiano-CHI, no dia 25 de março, pelo torneio continental.

Aos 36min, depois de lançamento vindo do sistema defensivo, novamente Borges levou a melhor sobre Amaral e, quando se preparava para invadir a área, foi derrubado. O vascaíno foi punido e deixou sua equipe com um jogador a menos para o restante do jogo. "Estava de frente, se ele não tivesse me derrubado sairia de frente para o goleiro, o juiz foi correto ao expulsá-lo", comentou Borges no intervalo.

Ainda nos primeiros 45 minutos, Vasco e São Paulo, uma vez cada, queixaram-se de penalidade a seu favor. Na etapa final, com algumas alterações realizadas pelos dois treinadores, o time da casa seguiu comandando a partida e sempre esteve mais próximo de ampliar a diferença no marcador.

A sétima rodada do Brasileiro reserva às duas equipes confrontos regionais. O São Paulo tentará dar seqüência ao momento positivo ao encarar o Santos na Vila Belmiro, às 16h do próximo domingo. Enquanto isso, o Vasco aguarda a definição de local para enfrentar o Flamengo. Marcada a princípio para o Maracanã, a partida, que tem mando do time rubro-negro, pode ser transferida para o Distrito Federal em virtude de preparação para os Jogos Pan-Americanos.

SÃO PAULO
Rogério Ceni; André Dias, Breno e Miranda; Ilsinho, Hernanes, Richarlyson, Hugo (Jadílson) e Jorge Wagner; Borges (Souza) e Aloísio
Técnico: Muricy Ramalho

VASCO
Sílvio Luiz; Thiago Maciel, Jorge Luiz, Dudar e Guilherme; Amaral, Roberto Lopes, Abedi (Júnior) e Marcelinho; André Dias (Rafael) e Martín Garcia (Leandro Amaral)
Técnico: Celso Roth

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Rogério Carlos Rolim (PR)
Cartões amarelos: Hernanes (S) e Aloísio (S)
Cartão vermelho: Amaral (V)
Gols: Borges, aos 2min, e aos 23min do primeiro tempo

Hospedagem: UOL Host