! São Paulo vence o Cruzeiro, de virada, e volta ao G-4 - 22/07/2007 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte UOL Esporte
UOL BUSCA

22/07/2007 - 18h01

São Paulo vence o Cruzeiro, de virada, e volta ao G-4

Da Redação
Em Belo Horizonte
Em um jogo caracterizado pelo equilíbrio e pela forte marcação dos dois times, o São Paulo venceu, de virada, o Cruzeiro, por 2 a 1, neste domingo, no Mineirão, chegando aos 22 pontos, retornando ao G-4 e interrompendo uma seqüência de três jogos sem triunfo. O time celeste, por sua vez, não conseguiu completar sua terceira vitória consecutiva e a quarta seguida como mandante.

Com Leandro Domingues na vaga do suspenso Wagner, o Cruzeiro manteve o seu quadrado ofensivo, que havia sido bem-sucedido nos dois jogos anteriores, nas vitórias sobre Goiás e Náutico, por 2 a 1 e 4 a 1, respectivamente. A opção de Dorival Júnior por um meia, deixando no banco o volante Charles, ex-titular da equipe, deu certo no primeiro tempo, quando o time celeste teve a vitória parcial, por um gol de cabeça exatamente do camisa 10.

IMAGENS DO JOGO NO MINEIRÃO
Fotocom
Leandro Domingues abre o placar para o Cruzeiro sobre o São Paulo no Mineirão...
Crédito
...mas Breno, na foto com Araújo, empata o jogo para o São Paulo no segundo tempo
Marcus Desimoni/AE
Hernanes vira o marcador para o São Paulo e comemora com Richarlyson no Mineirão
VEJA OS GOLS DA PARTIDA
CONFIRA O ÁLBUM DA RODADA
VEJA CLASSIFICAÇÃO DO BRASILEIRO
LEIA MAIS NOTÍCIAS DO CRUZEIRO
SAIBA MAIS SOBRE O SÃO PAULO
Já o São Paulo, que teve Leandro e Borges como a dupla de ataque, já que os titulares Dagoberto e Aloísio estavam contundidos, demonstrou nos primeiros 45 minutos, os mesmos problemas ofensivos, que deixaram o time paulista como o de pior ataque do Brasileiro, antes dessa rodada. Na etapa final, no entanto, o time paulista melhorou a sua atuação no ataque e chegou à virada, por 2 a 1.

O tricolor que vinha de uma derrota, em casa para o Fluminense, e dois empates também em São Paulo, comprovou mais uma vez que está melhor como visitante do que em seus domínios. Como mandante, a equipe de Muricy Ramalho só tem 50% de aproveitamento, enquanto no campo dos adversários passou de 58,33 para 66,66%, com 10 pontos em 15 possíveis.

Já o Cruzeiro, de Dorival Júnior, perdeu sua quarta partida em casa, vendo o seu rendimento como mandante cair de 50% para 42,85%. Das suas seis derrotas no atual Brasileiro, quatro foram perto de seus torcedores. Com esse resultado negativo, o clube celeste volta a mostrar uma irregularidade, não conseguindo confirmar uma longa seqüência de vitórias.

Essa derrota tira o Cruzeiro do grupo dos quatro clubes classificados para a Libertadores. Na próxima rodada, o time celeste, que não terá Roni suspenso e poderá ficar sem Araújo, que tem proposta para se transferir para o Qatar, buscará sua reabilitação diante do Atlético-PR, em Curitiba. Já o São Paulo voltará a jogar em casa, quando recebe o Sport e pretende se reencontrar com a vitória também perto de seus torcedores.

O jogo

Um primeiro tempo muito disputado, em que os dois times marcaram forte e atuaram com muita vontade. O Cruzeiro saiu com a vitória parcial, ao aproveitar um lance de bola parada. Fernandinho cobrou falta de Breno sobre Roni, aos 34min, e Leandro Domingues marcou de cabeça, fazendo o 28º do time celeste e o seu terceiro em três jogos seguidos.

Apesar da vitória parcial, os jogadores do Cruzeiro deixaram o gramado, para o intervalo, reclamando da atuação de seus times. "O time não jogou bem não, eu particularmente não estou satisfeito, acho que a gente criou muito pouco e fizemos um gol num acaso, em uma bola parada", afirmou o atacante cruzeirense Roni. O outro atacante celeste, Araújo, também não aprovou a atuação. "Temos de criar mais jogadas de gol", acrescentou.

Já o zagueiro são-paulino André Dias acredita que o time sofreu o gol em um "vacilo" da sua equipe. "Temos jogadores mais altos que os do Cruzeiro e cometemos um erro de marcação, e tomamos o gol de bola parada, se tivéssemos marcado bem não teríamos levado o gol, agora é ter tranqüilidade para tentar reverter", observou o defensor do time visitante.

O primeiro tempo evidenciou mais uma vez a dificuldade do ataque do time tricolor, que antes do jogo com o Cruzeiro, havia marcado apenas nove vezes. O time de Rogério Ceni finalizou bem mais que o adversário, mas não tem pontaria. Foram 11 tentativas são-paulinas, das quais oito sem direção, contra apenas quatro do clube celeste, que conseguiu colocar uma bola nas redes do oponente. Além disso, Fernandinho, numa cobrança de falta, aos 6min, e Jonathan, aos 24min, obrigaram Rogério Ceni a boas defesas.

Os atacantes da equipe de Muricy Ramalho se colocaram em impedimento sete vezes, durante os primeiros 45 minutos, quando o goleiro celeste Fábio fez uma única defesa, aos 29min, em uma bola batida por Jorge Wagner. Os cruzamentos também foram deficientes por parte do Tricolor, que de suas oito tentativas, só acertou duas. Os cruzeirenses, por sua vez, fizeram três cruzamentos e um deles de forma correta.

Os dois times voltaram para o segundo tempo com as mesmas formações com que encerraram a etapa anterior. O São Paulo tinha feito uma alteração, forçada, aos 20min, quando Breno entrou na vaga de Alex Silva. O zagueiro titular são-paulino se contundiu ao sofrer entrada dura do volante Ramires.

Logo no primeiro ataque do São Paulo, na etapa final, Souza foi flagrado em impedimento, o oitavo do jogo. Aos 2min, Fábio cortou bem um cruzamento que tinha o endereço certo para Borges. A equipe paulista voltou forçando mais o jogo pelo lado esquerdo do seu ataque, levando perigo para o adversário e obrigando o goleiro Fábio a trabalhar bem.

O Cruzeiro apresentava a essa altura uma postura mais defensiva, enquanto o São Paulo pressionava e acabou chegando ao empate. O time paulista utilizou-se da mesma arma que o adversário. Uma falta cobrada da esquerda do ataque, aos 9min, por Jorge Wagner na cabeça do zagueiro Breno, que venceu os zagueiros adversários para colocar a bola nas redes de Fábio.

A partir daí, o jogo ficou mais aberto, disputado com maior velocidade e com ataque dos dois lados. Aos 11min, o mesmo Breno salvou o segundo gol celeste, quando tirou uma bola em cima da linha, depois que o atacante Araújo já havia vencido Rogério Ceni, após receber bom cruzamento do jovem Guilherme.

A substituição feita por Dorival Júnior, tirando Roni para a entrada de Marcinho, motivou os gritos de "burro" dos torcedores, dirigidos ao treinador celeste. Aos 24min, o meia Hernanes, que no primeiro tempo tinha arriscado dois chutes, sem pontaria, acertou um belo chute de longe e marcou um golaço. Na base da vontade, o Cruzeiro voltou a pressionar, em busca do empate, enquanto o São Paulo se defendia e administrava a vantagem.

Cruzeiro
Fábio, Jonathan, Emerson, Thiago Heleno e Fernandinho; Léo Silva, Ramires, Leandro Domingues (Maicosuel) e Guilherme; Roni (Marcinho) e Araújo (Diego)
Técnico: Dorival Júnior

São Paulo
Rogério Ceni; André Dias, Alex Silva (Breno) e Miranda; Ilsinho, Hernanes, Richarlyson, Souza e Jorge Wagner; Leandro (Hugo) e Borges (Diego Tardelli)
Técnico: Muricy Ramalho

Data: 22/07/2007 (domingo)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Público: 29.640 pagantes
Renda: R$ 446,907,50
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Assistentes: Roberto Braats (PR) e Rogério Carlos Rolim (PR)
Cartões amarelos: Borges, Leandro, Breno, Souza (São Paulo); Roni, Leandro Domingues (Cruzeiro)
Gols: Leandro Domingues, aos 34 min do primeiro tempo; Breno, aos 9min, e Hernanes, aos 24min do segundo tempo

Hospedagem: UOL Host