! Presidente não cede e diz que taça das bolinhas fica no Morumbi - 23/11/2007 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte UOL Esporte
UOL BUSCA

23/11/2007 - 13h25

Presidente não cede e diz que taça das bolinhas fica no Morumbi

Fernando Figueiredo Mello
Em São Paulo
O presidente Juvenal Juvêncio esteve presente no treino do São Paulo desta sexta-feira, no Morumbi, e voltou a falar sobre a polêmica da taça das bolinhas. O dirigente máximo do São Paulo reafirmou que não cede aos apelos do Flamengo para ficar com a taça.

Arquivo Folha Imagem
Apesar da amizade com Márcio Braga, Juvenal Juvêncio não abre mão da taça
MAIS NOTÍCIAS DO SÃO PAULO
VEJA AS FOTOS DESTA SEXTA
"Não vou abrir mão da taça pelo Flamengo. Mas não existe atrito entre os clubes. Sou amigo do Márcio Braga, que é uma pessoa maravilhosa, mas acho que vou ganhar essa disputa", afirmou Juvêncio, lembrando que o troféu pelos cinco títulos nacionais não será entregue no próximo domingo.

A taça das bolinhas, que ficará em definitivo na sala de troféus do Morumbi, deve ser entregue ao São Paulo na festa de encerramento do Campeonato Brasileiro, no dia 3 de dezembro. Já a taça oficial pela conquista do título de 2007 estará nas mãos do capitão Rogério Ceni contra o Botafogo, domingo.

Já pentacampeão brasileiro, a equipe realizou treinamento nesta sexta em clima de festa. O técnico Muricy Ramalho comandou coletivo no estádio do Morumbi, onde o time encara o Botafogo, às 16h, no domingo. Antes da atividade, todo o elenco e mais a diretoria posaram para foto oficial.

Além da polêmica da taça, Juvenal Juvêncio falou sobre o time para a próxima temporada, principalmente as situações do zagueiro Breno e do meio-campo Jorge Wagner.

O presidente são-paulino afirmou que não abre mão da revelação do time na temporada de 2007 e vai brigar até o fim para manter Breno no elenco do próximo ano. O zagueiro de 18 anos, que tem contrato até julho de 2011, está sendo assediado pelo Real Madrid e, principalmente, pelo Bayern de Munique, clube que já teria feito proposta ao pai e ao procurador de Breno.

"O Breno é um excepcional jogador e vamos brigar por ele. Não queremos que ele saia. As normas não permitem que um clube procure e acerte primeiro com um jogador. O Bayern pode até pagar a multa (no valor de US$ 20 milhões - cerca de R$ 35 milhões), mas não pode procurar o jogador primeiro", disse Juvêncio.

Sobre Jorge Wagner, emprestado até o dia 31 de dezembro pelo Betis, o dirigente apenas disse que o São Paulo negocia com o clube espanhol. Segundo o próprio jogador afirmou na quarta-feira, o Betis definiu o valor de 2,5 milhões de euros (cerca de R$ 6,5 milhões) para o time do Morumbi ficar em definitivo com o camisa 7.

Hospedagem: UOL Host