! Reintegrado ao São Paulo, Fábio Santos rechaça rótulo de 'bad boy' - 15/04/2008 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte UOL Esporte
UOL BUSCA

15/04/2008 - 17h54

Reintegrado ao São Paulo, Fábio Santos rechaça rótulo de 'bad boy'

Julyana Travaglia
Em São Paulo
De volta ao elenco são-paulino, o volante Fábio Santos demonstrou arrependimento pela confusão acontecida no último dia 4, quando descontente com a antecipação da concentração para a sexta-feira anterior ao jogo do Juventus, brigou com o meia Carlos Alberto -pivô da decisão da comissão técnica pelo adiantamento da concentração, devido ao seu atraso no treino.

"Já conversei com o Carlos Alberto pessoalmente depois do ocorrido na noite de sexta. Devido a concentração ter mudado, me irritei um pouco, até pelo lance [do nascimento] do meu filho, o que não justifica o que aconteceu. Fui punido, acho justo", o volante são-paulino, afirmando ainda estar sentido pelo meia estar suspenso pela direção do clube.

"Não foi nada pessoal, o que fica aí na nossa cabeça é que somos dois adultos, conversamos de homem para homem, profissional para profissional. Estou aqui pra assumir os meus erros", continuou o atleta em uma espécie de pronunciamento, antes de responder às perguntas dos jornalistas.

Durante o tempo em que esteve ausente do clube, Fábio Santos treino apenas três vezes. O volante ainda disse que perdeu dois quilos por conta do estresse que a situação causou.

A reintegração do volante ao elenco coincide justamente com as ausências de Richarlyson e Zé Luís, suspensos da segunda partida da semifinal do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras.

O atleta sabe que a sua volta foi um pedido dos jogadores são-paulinos. No entanto, o atleta não acredita que o seu retorno seja somente pela necessidade do time de contar com um volante ao lado de Hernanes.

"Se eu fosse um mau-caráter, não estaria aqui. Estou aqui porque eu mereço. Não é pela necessidade, conversando com os meus companheiros de frente, olhando no olho de cada um, senti que eles pediram para eu voltar mesmo. Não foi pela necessidade, e sim pela pessoa que eu sou. O que me deixou mais feliz foi a confiança que eu sinto pelos meus companheiros", justificou o atleta, que agora quer apagar o rótulo de bad boy.

"Tenho um temperamento explosivo, é um defeito, tenho que corrigir. Não me considero bad boy, essa palavra foi u m pouco forte, não só para mim, mas também para o Adriano e o Carlos Alberto. Todo mundo quer ganhar, às vezes acabamos extrapolando um pouco, mas tudo que pode corrigir", finalizou.

Hospedagem: UOL Host